Mundo Geek invade evento na USP

17/04/2014

veredas-001

O 19º Veredas se propõe a explorar o universo dos eventos Geeks

O Veredas, evento de turismo voltado para estudantes universitários, terá em sua 19° edição o tema Turismo Geek, assunto em alta devido ao impacto turístico gerado por eventos, cada vez maiores, voltados para esse público, como os festivais de anime, campeonatos de videogame, a Campus Party e feiras de tecnologia. O Veredas será realizado no dia 28 de abril às 19h, no Auditório Teatro Laboratório da Escola de Comunicações e Artes, na USP.

Para discutir esse tema, o evento contará com a presença de Maurício Cid, criador do maior blog do Brasil, o Não Salvo; Luide Hister, criador do Amigos do Fórum; Caio Luiz de Carvalho, líder da indústria nacional de eventos e ex-presidente da “SP Turis” e Otávio Juliato, que além de blogueiro do Omelete, é diretor comercial da Comic-Con Experience, a primeira Comic-Con do Brasil – que acontecerá em dezembro desse ano. Os convidados farão uma pequena palestra e irão debater em uma mesa redonda sobre eventos geeks e sua importância para o turismo.

O Veredas, evento que visa iniciar com os alunos de turismo uma discussão sobre assuntos não debatidos em sala de aula, já tratou de temas como “Turismo e Moda”, “Turismo para Deficientes”, “Turismo Mochileiro” e “Desafios no Turismo Brasileiro”. Ele é realizado pela Agência de Comunicações ECA Jr, uma instituição sem fins lucrativos gerida totalmente por alunos da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP).

A ECA Jr. tem como parceiros institucionais: ABERJE, AIESEC, Companhia de Talentos, DRC- que apoiará o evento sorteando um curso de design de games- e Maxpress. A 19ª edição do Veredas terá o apoio das empresas: Cengage Learnig, Editora FGV, Get Nuts, Loja Mundo Geek, Mama Cida, Printi, Supremo Salgados, Wizard, e Vitrine dos Brindes.

 

Horário: das 19h às 23h

Local: Auditório Teatro Laboratório da ECA na USP

Endereço: Av. Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443 – Cidade Universitária

Valor: R$15,00 – vendas na ECA Jr. e online no site  https://www.sympla.com.br/19-veredas-turismo-geek__18768

Site do Veredas: http://agenciaecajr.wix.com/veredas19

 

Obs.: release do evento, postado no blog a pedido dos organizadores.


Como o cinema vê o índio brasileiro?

14/04/2014

Como o cinema mostra o índio brasileiro? De uma forma estereotipada? Consegue ir além do cocar de pena, urucum e arco e flecha? Abaixo uma lista de filmes, séries e reportagens feitas para televisão, documentários etnográficos do nosso acervo de material audiovisual mostrando e discutindo as questões dos índios brasileiros.

Sylvio Back fez uma “colagem de trechos de filmes brasileiros e estrangeiros que contêm imagens de índios, realizada com o objetivo de mostrar como o cinema vê o índio brasileiro. Documentários, filmes de ficção, cinejornais, desenhos animados, comerciais e filmes de propaganda governamental, produzidas entre 1912 e 1983, alternam-se sem preocupação cronológica, exibindo imagens ora estereotipadas, ora realistas, idílicas, cômicas ou trágicas.”
Yndio do Brasil
Brasil, 1995, 70 min

Planos de fundos-001

Também do mesmo diretor, República Guarani, no qual “historiadores, antropólogos e jesuítas de diversas nacionalidades discorrem sobre o projeto de assimilação dos índios guaranis, empreendido pela Companhia de Jesus no sul da América do Sul. O processo de evangelização dos índios, os conflitos com os bandeirantes, a cultura desenvolvida nas missões, as peculiaridades de seu modo de produção e as causas de sua destruição são alguns dos assuntos discutidos, em pontos de vista por vezes conflitantes. Imagens das ruínas das construções jesuíticas, de obras de arte sacras, trechos de filmes e iconografia da época são exibidos entre os depoimentos.”
Brasil, 1981, 100 min

Cenas de Vera Cruz
ZATZ, Inácio
Brasil, 1979, 30 min

Macunaíma
ANDRADE, Joaquim Pedro de, 1932-1988
Brasil, 1969, 103 min
Nascido numa tribo de índios da Amazônia, um menino negro cresce habituado a ingênuas malandragens. Em delirantes aventuras, ele sai em busca de uma medalha da sorte e chega a São Paulo onde, já adulto e branco, reafirma seu comportamento de herói preguiçoso e sem caráter. Baseado no romance homônimo de Mário de Andrade. Resumo extraído do catálogo da Mostra Eduardo Escorel, CINUSP, 2005.

Como era gostoso o meu francês
SANTOS, Nélson Pereira dos, 1928-
Brasil, 1971, 84 min

como era gostoso
Drama em que um francês é capturado por índios tupinambás no Brasil do século XVI. Torna-se, assim, objeto de ritual antropofágico. Resumo: FDE, Série Apontamentos.

Terra de índios
VIANA, Zelito, 1938-
Brasil, 1979, 105 min
Documentário que traça um panorama da situação real dos índios brasileiros. Índios de várias tribos, Xavante, Pacaas Novos, Nonoaí, Guarani, Nhambikuara, Amambaí e outras falam sobre a luta para conservar seus valores culturais, a demarcação de terras, a marginalização, as doenças levadas pelo homem branco, a falta de assistência médica, a invasão das reservas. Mostra todos os preparativos e o significado de uma festa Tupi e a XIa. Assembléia de Chefes Indígenas. Entre os depoimentos, aparece Darcy Ribeiro na XXXa. Reunião Anual da SBPC em São Paulo, 1978, discutindo o problema do índio.

Asurini x Araweté: Documentários etnográficos
RIBEIRO, Frederico F
Brasil, 1981, 60 min
Registro do modo de vida e formas de produção dos Asurini e dos Araweté, dois grupos indígenas da região do Xingu, ameaçados de extinção. 1. Asurini: fuso e fio: a transformação do algodão em fio e tecido. 2. Asurini: barro e corpo: a manufatura da cerâmica e a pintura corporal. 3. Araweté: a índia vestida: a confecção da indumentária feminina. 4. Araweté: técnicas primitivas: a produção de fogo pelo atrito de duas varinhas e o uso de uma espécie de formão para trabalhar madeira.

Yanomami: a luta pela demarcação
LIMA, Rui; Reportagem
Brasil, 1989, 45 min

Povo da lua, povo do sangue
TASSARA, Marcello G, l933-
Brasil, 1983, 35 min
Documentário sobre os índios Yanomami, realizado com fotos de Cláudia Andujar. As fotos, feitas entre 1972 e 1982, registram aspectos da cultura e da vida dos Yanomami, seu habitat, seus costumes, gestos, corpos e rostos. A primeira parte do filme documenta a cultura original dos Yanomami, destacando: a lenda da criação do povo branco, o papel do líder na comunidade, as festas, a relação com o meio-ambiente, a cerimônia funerária. A segunda parte mostra o processo de desagregação social e cultural provocada pela chegada do homem branco. Depoimentos: tuxuaua Chico Opiktheri, Sra. Dantas, Lino Pereira Cordeiro, Álvaro F. Sampaio.

Deixem viver os Yanomami
Brasil, 1989 a 1990, 32 min

Yanomami
SCHIMITT, Caco
MESQUITA, Salma; Reportagem
Brasil, 1990, ca.60 min
O filme enfoca o problema da ocupação de territórios Yanomami por garimpeiros e o processo de destruição e extinção das populações indígenas, causado pela exploração do ouro na região. O dia-a-dia dos Yanomami, sua cultura e seus costumes são confrontados com incorporação de novos hábitos e com a chegada de doenças infecciosas transmitidas pelos garimpeiros. É exibida uma manifestação de garimpeiros, realizada contra a operação montada pela Polícia Federal para tirá-los das áreas indígenas. Programa apresentado no Concurso anual da Federação Nacional de Associações de Jornais.

Xingu
NOVAES, Washington
Brasil, 1985, 120 min
Compacto da série em 11 capítulos apresentada pela Rede Manchete em 1985, que retrata a cultura e o modo de vida das nações do Xingu. Os diversos rituais e seus significados, com destaque para os ritos de iniciação (prova dos marimbondos e perfuração da orelhas); a pajelança, ritual de cura; o Iamaricumá, dança exclusivamente feminina; o “Jauari”, ritual guerreiro; o Quarup, festa em honra aos mortos. Os próprios índios explicam as relações familiares em sua sociedade, a educação das crianças, o processo da passagem da adolescência para a vida adulta, o casamento e o relacionamento entre homens e mulheres. Paru, chefe da nação Iawalapiti, conta como se escolhe um pajé entre seu povo. Os chefes Raoni e Marcos Terena falam sobre os problemas da posse da terra e o inevitável contato com o homem branco.

A arca dos Zo’É
CARELLI, Vincent
Brasil, 1993, 22 min
Mostra a experiência de um índio da aldeia Waiãpi, do estado do Amapá, que viaja de avião para a aldeia dos índios Zo’É, levando vídeo sobre sua tribo realizado pelo projeto Vídeo na aldeia. Intercalando cenas das tribos Zo’É e Waiãpi, apresenta as descobertas recíprocas entre as duas tribos, suas semelhanças, diferenças e estabelecimento de relações de amizade.

Mata, a alma do índio
PERERA, Mirta Gonzalez
Brasil, 1996, 11 min

Jaraguá
D’AVILA, Fernanda Melfi Braga Silveira
Brasil, 1999, 14 min

Ao redor do Brasil
REIS, Luiz Thomaz
Brasil, 1932, 71 min

Catehe
JEHÁ, Regina
Brasil, 19–, 9 min

O povo brasileiro: Matriz tupi
FERRAZ, Isa Grinspum; FREDERICO, Flávio; FARIAS, Mauro
Brasil, 2000, ca.25 min
Série baseada na obra do antropólogo Darcy Ribeiro, que investiga a formação do povo e da nação brasileira. Este capítulo aborda a cultura dos habitantes da terra antes da chegada dos portugueses: costumes, sexualidade, relações entre homens e mulheres, guerras. Descreve-se o ritual antropofágico, ilustrado por desenhos de artistas europeus. Darcy Ribeiro fala de sua convivência com os índios caapós. Os índios são vistos em seu ambiente natural, envolvidos com as atividades próprias de sua cultura. Depoimentos: Darcy Ribeiro, Aziz Ab’Saber e Washington Novaes.

Hans Staden
PEREIRA, Luiz Alberto Mendes (Gal)
Brasil / Palestina, 1999, 91 min
capa hans staden-001Em 1550, o viajante alemão Hans Staden naufraga no litoral de Santa Catarina. Dois anos depois, consegue chegar à vila de São Vicente, reduto da colonização portuguesa. Durante dois anos, trabalha como artilheiro do forte de Bertioga. Quando se preparava para voltar à Europa, onde receberia o reconhecimento e o ouro do Rei de Portugal por seus serviços na Colônia, sua vida muda de forma inesperada. Em janeiro de 1554, Staden vai em busca de um escravo da tribo Carijó que o servia no Forte, desaparecido depois de sair para pescar. À beira do rio onde o índio costumava pescar, encontra uma cruz fincada, que era sinal usado pelos portugueses para chamar os Tupiniquins, seus aliados. Staden dá um tiro de mosquetão para atrair os Tupiniquins, mas quem aparece são sete Tupinambás, inimigos dos Portugeses e de seus aliados, que o aprisionam. O prisioneiro é levado para a aldeia de Ubatuba, onde os índios preparam um ritual festivo para matá-lo e devorá-lo. Staden se esforça para encontrar uma estratégia para se manter vivo. Mente que é francês, povo aliado dos Tupinambás, mas acaba desmascarado. Ciente do forte misticismo dos Tupinambás, consegue convencer os índios a não devorá-lo, tornando-se curandeiro e adivinho da tribo. Após nove meses entre os Tupinambás, Staden é libertado em troca de um baú de mercadorias oferecido pelo capitão de um navio francês, voltando em seguida para a Europa. Resumo extraído da obra Cinema brasileiro: um balanço dos 5 anos da retomada do cinema nacional.

A muralha
ARAÚJO, Carlos; RIOS, Luiz Henrique; SARACENI, Denise
AMARAL, Maria Adelaide
Brasil, 2000, 13h30

Viagem interior 1996-2003: Ouroboros spiritus mundi
BÏYAN, Sacha Dean
Brasil, 2004,
CDR0145
Fotografias, textos e biografia do fotógrafo Sacha Dean Bïyan. Traz imagens de habitantes dos países andinos e amazônicos.

Caramuru: a invenção do Brasil
ARRAES, Guel
Brasil, 2001, 88 min
A invenção de um país chamado Brasil começa em Portugal, onde o talentoso pintor Diogo Álvares cultiva a arte de embelezar a realidade, o que lhe cria muitos problemas com a poderosa corte de Portugal. Contratado para ilustrar os mapas que seriam usados nas viagens de Pedro Alvares Cabral, Diogo envolve-se com a sedutora Isabelle, francesa que frequenta a corte em busca de ouro. A cortesã rouba o mapa de Diogo, que é então, punido e deportado para as costas brasileiras, onde conhece a bela índia Paraguaçu e sua irmã Moema, vivendo então o primeiro triângulo amoroso da história do Brasil.

Brava gente brasileira
MURAT, Lúcia, 1949-
Brasil, 2000, 104min
Diogo, cartógrafo português a serviço da Coroa, viaja pela região do Pantanal no ano de 1778. No caminho do Forte Coimbra, os soldados que o acompanham estupram e matam um grupo de índias. O português também participa mas, com remorso, salva a mulher que violentou e a leva até o forte, que está em guerra com os índios. Os dois iniciam um romance e ela engravida. Os índios enganam os portugueses com um estratagema semelhante ao cavalo de Tróia e invadem o forte. A índia e o bebê desaparecem, e o comandante do forte explica a Diogo que as mulheres daquela tribo têm o costume de matar as crianças que não podem levar quando fogem.

Do outro lado do rio: os Pankararu do Real Parque e a cidade de São Paulo
MOTOKI, Carolina Falcão
Brasil, 2005, 50min

Conversas no Maranhão
TONACCI, Andrea, 1944-
Brasil, 1977, 120 min

Mato eles?
BIANCHI, Sérgio, 1945-
Brasil, 1983, 33 min
O extermínio suave dos últimos índios da reserva de Mangueirinha, no sudeste do Paraná, com a conivência daqueles que os deveriam proteger. As questões se desenvolvem como numa estrutura de teste de múltipla escolha. Resumo extraído do site da Cinemateca Brasileira.

mato eles sergio bianchi

Kuarup
GUERRA, Ruy, 1931-
Brasil, 1989, 119 min
kuarup01Em crise por não conseguir conter seus instintos sexuais, padre Nando é enviado às missões no Xingu, onde tem um envolvimento com uma repórter inglesa. No Rio de Janeiro, durante um reunião sobre a criação do Parque Nacional do Xingu, percebe que a real intenção das autoridades é garantir o controle político da região.De volta ao Xingu, participa do Kuarup, cerimônia indígena que retrata a criação dos homens. Com o suicídio de Getúlio Vargas, a situação política do país piora. Nando eventualmente abandona o sacerdócio, abraça definitivamnete a causa indígena e, já durante a ditadura militar, junta-se à luta dos camponeses, é preso e torturado, mas não desiste de lutar pela liberdade.

O espírito da TV
CARELLI, Vincent
Brasil, 2005, 18 min

Eu já fui seu irmão
CARELLI, Vincent
Brasil, 1993/94, 32 min
Um documentário sobre o intercâmbio cultural entre os Parakatêjê, do Pará e os Krahô, do Tocantins, que embora falem a mesma língua, nunca haviam se encontrado antes. Krôhôkrenhum, líder dos Parakatejê, preocupado com a descaracterização do seu povo, resolve ir conhecer uma aldeia Krahô que conserva muitas de suas tradições. Um ano depois, os Parakatejê retribuem o convite. No final, os chefes selam um pacto de amizade entre os dois povos. Resumo extraído do livro Vídeo nas aldeias 25 anos.

Shomôtsi
PYÃKO, Wewito
Brasil, 2001, 42 min

Marangmotxíngmo mïrang = Das crianças Ikpeng para o mundo
TXICÃO, Natuyu Yuwipo; TXICÃO, Karané; TXICÃO, Kumaré
Brasil, 2001, 32 min

Kinja Iakaha, um dia na aldeia
WAIMIRI, Araduwá; WAIMIRI, Iawysu; WAIMIRI, Kabaha; ATROARI, Sanapyty; WAIMIRI, Sawá; ATROARI, Wamé
Brasil, 2003, 42 min

Imbé Gikegü, Cheiro de Pequi
MARIKÁ; KUIKURO, Takumã
Brasil, 2006, 36 min

Pi’õnhitsi, Mulheres xavantes sem nome
TSEREWAHÚ, Divino; TÔRRES, Tiago Campos
Brasil, 2009, 54 min

Kene Yuxi, As voltas do Kene
YUBE, Zezinho
Brasil, 2010, 48 min

Bicicletas de Nhanderú
ORTEGA, Ariel; FERREIRA, Patricia
Brasil, 2011, 48 min
Uma imersão na espiritualidade presente no cotidiano dos Mbya-Guarani da aldeia Koenju, em São Miguel das Missões no Rio Grande do Sul. Resumo extraído do livro Vídeo nas aldeias 25 anos.

M’Boi Mirim – Dos índios, das águas, dos sonhos
CHNAIDERMAN, Miriam
Brasil, 2007, 26 min

Tainá 2 – a aventura continua
Lima, Mauro
Brasil, 2005, 80 min
DVD2846

Marubo: Uma tribo da Amazônia
Mota, Gonzaga; Rosa, Ricardo Monte
Brasil, 1991, 5 min
No Vale do Rio Javari, fronteira como Peru, vivem os Índios Marubo – uma tribo amazônica que luta para preservar suas tradições e cultura. Este documentário mostra um grupo de Marubos, seu dia a dia, sua relação com a “civilização” e principalmente sua riqueza de ritos e valores.

O Brasil, os índios e, finalmente, a USP
Tassara, Marcello G.
Brasil, 1988, 120 min

O povo brasileiro: Brasil caboclo
FERRAZ, Isa Grinspum; FREDERICO, Flávio; FARIAS, Mauro
Brasil, 2000, ca.25 min

Também faz parte de nosso acervo a coleção de filmes etnográficos produzida por Harald Schultz para a Encyclopaedia Cinematographica, projeto do Instituto do Filme Científico de Gottingen, que registra aspectos da culutra de índios de aldeias Kraô, Kalapalo, Waura, Suyá etc., no cultivo de campo queimado, juntando e preparando tartarugas, luta livre, jogo de luta javari, danças de exorcirmos, dança de márcaras Kokrit, obtenção de corante urucu, preparando o beiju etc.

Para uma lista completa acesse nossa base de Filmes e Vídeos digite índios e selecione Assunto. Como ilustra a imagem.

indios assunto

Os resumos usados neste post vieram da base Filmes e Vídeos.


Programadora Brasil

07/04/2014

A Biblioteca da ECA recebeu, da Cinemateca Brasileira, uma doação de importância inestimável: o acervo da Programadora Brasil. Trata-se de um projeto da Secretaria do Audiovisual e Sociedade Amigos da Cinemateca que produziu, sob a coordenação da Cinemateca Brasileira, 295 DVDs contendo mais de 900 filmes brasileiros de várias épocas e todos os gêneros, de longa, curta e média metragem.

programadora

Recebemos a coleção quase completa, faltando apenas 23 DVDs. Parte dos filmes já constava do acervo da Biblioteca, mas muitos deles são títulos novos que ainda estão sendo catalogados e cadastrados no Dédalus. Alguns dos filmes já catalogados:

Absolutamente certo
DUARTE, Anselmo, 1920-2009
Brasil, 1957, 95 min
VC1066, VC1510, DVD1201, DVD3396

Aleluia, Gretchen
BACK, Sylvio, 1937-
Brasil, 1976, 118 min
VC0109, XDVD0312, DVD1291, DVD3348

Amei um bicheiro
ILELI, Jorge, 1925-; WANDERLEY, Paulo, 1908-1973
Brasil, 1953, 90 min
VC0547, DVD1199, DVD3363

Anahy de Las Misiones
SILVA, Sérgio, 1945-
Brasil, 1997, 115 min
DVD0048, DVD3342

Assim era a Atlântida
MANGA, Carlos, 1928
Brasil, 1975, 105 min
VC0479, XDVD0105, DVD3350

Beijo 2348/72
ROGÉRIO, Walter
Brasil, 1990, 100 min
VC1083, XDVD0543, DVD3364

O bravo guerreiro
DAHL, Gustavo, 1938-2011
Brasil, 1968, 76 min
xVC0111, xVC0184, XDVD0394, DVD3379

Os cafajestes
GUERRA, Ruy, 1931-
Brasil, 1962, 90 min
VC0019, VC1649, XDVD0043, DVD3380

Castelo Rá-Tim-Bum, o filme
HAMBURGER, Cao
Brasil, 1999, 106 min
VC1409, VC1595, DVD3362

Conterrâneos velhos de guerra
CARVALHO, Vladimir, 1935-
Brasil, 1992, ca.150 min
VC0869/70, DVD3339

O corpo
GARCIA, José Antonio
Brasil, 1991, 80 min
VC0919, XDVD0542, DVD3365

A dama do cine Shangai
PRADO, Guilherme de Almeida, 1954-
Brasil, 1988, 117 min
xVC0041, XDVD0382, DVD3356

Deus e o Diabo na terra do sol
ROCHA, Glauber, 1938-1981
Brasil, 1964, 125 min
VC0036, VC0204, XVC0293, DVD0208/9, DVD0631, XDVD0518, DVD3343

O dragão da maldade contra o santo guerreiro
ROCHA, Glauber, 1938-1981
Brasil, 1969, 95 min
VC0030, VC1705, DVD2285/6, DVD2295/6, DVD3357

Edifício Master
COUTINHO, Eduardo, 1933-
Brasil, 2002, 110 min
DVD0725/6, XDVD0302, DVD3351

Eles não usam black-tie
HIRSZMAN, Leon, 1937-1987
Brasil, 1981, 115 min
VC0062, DVD0895, DVD1306, DVD3366

Esta noite encarnarei no teu cadáver
MARINS, José Mojica, 1931-
Brasil, 1966, 107 min
DVD0122, DVD1581, DVD3358

Estamira
PRADO, Marcos
Brasil, 2005, 116 min
DVD2791, DVD3390

Estômago
Marcos Jorge
Brasil, 2008, 113 min
DVD2809, DVD3391

Estranho encontro
KHOURI, Walter Hugo, 1929-2003
Brasil, 1958, 90 min
VC0098, XDVD0028, DVD3368

Eu me lembro
Navarro, Edgard, 1949-
Brasil, 2005, 110 min
DVD3397

Filme demência
REICHENBACH, Carlos, 1945-2012
Brasil, 1985, 90min
DVD2599

O homem do Sputnik
MANGA, Carlos, 1928
Brasil, 1959, 97 min
VC0480, XDVD0081, DVD3369

Iracema: uma transa amazônica
BODANZKY, Jorge, 1942-
Brasil, 1974, 90 min
VC0047, DVD0661, DVD1682, DVD3359

Jango
TENDLER, Sílvio, 1950-
Brasil, 1984, 110 min
xVC0011, XDVD0479, DVD3352

Justiça
RAMOS, Maria Augusta, 1964-
Brasil / Holanda, 2004, 107 min
DVD0700/1, DVD3381

A lira do delírio
LIMA JR, Walter, 1938-
Brasil, 1978, 104 min
VC0091, XDVD0030, DVD3353

Macunaíma
ANDRADE, Joaquim Pedro de, 1932-1988
Brasil, 1969, 103 min
VC0033, VC0214, DVD0879, DVD2492, DVD2926, DVD3344

Madame Satã
AÏNOUZ, Karim, 1966-
Brasil, 2002, 105 min
DVD0973, DVD0974, DVD3354

Memória do cangaço
SOARES, Paulo Gil
Brasil, 1964, 30 min
VC1275, XDVD0530, DVD2508, DVD3396

Moro no Brasil
Kaurismäki, Mika
Brasil, 2002, 104 min
DVD3377

Na senda do crime
CERRI, Flaminio Bollini, 1924-1978
Brasil, 1954, 66 min
VC0067, XDVD0052, DVD3382

Narradores de Javé
CAFFÉ, Eliane
Brasil / França, 2003, ca. 102 min
DVD0521, DVD2832, DVD3392

Nossa escola de samba
GIMENEZ, Manuel Horacio
Brasil, 1965, 29 min
DVD2506, DVD3396

O Grilo Feliz
Ribas, Walbercy
Brasil, 2001, 80 min
DVD3347

A ostra e o vento
LIMA JUNIOR, Walter, 1938-
Brasil, 1997, ca.120 min
VC1673, DVD0316, DVD3370

O pagador de promessas
DUARTE, Anselmo, 1920-2009
Brasil, 1962, 95 min
VC0499, VC1071, XDVD0145, DVD0923, DVD3383

Por 30 dinheiros
Barbosa, Vania Perazzo; Hlebarov, Ivan
Brasil, 2005, 110 min
DVD3349

O prisioneiro da grade de ferro
SACRAMENTO, Paulo
Brasil, 2003, 124 min
eca-0384/90, VC0746, DVD0715, DVD2770, DVD3340

São Bernardo
HIRSZMAN, Leon, 1937-1987
Brasil, 1972, 113 min
VC0046, DVD1225, DVD1258, DVD3384

São Paulo Sociedade Anônima
PERSON, Luiz Sérgio, 1936-1976
Brasil, 1965, 90 min
XDVD0098, DVD0971, DVD0972, DVD3345

Sinhá Moça
PAYNE, Tom, 1914-
Brasil, 1953, 120 min
VC0099, XDVD0060, DVD3393

Subterrâneos do futebol
CAPOVILLA, Maurice, 1936-
Brasil, 1964 a 1965, 32 min
DVD2506, DVD3396

Terra em transe
ROCHA, Glauber, 1938-1981
Brasil, 1967, 115 min
VC1074, DVD0638, DVD0640, DVD2283, DVD2293, DVD3360

Terra estrangeira
SALLES JR, Walter, 1956-; THOMAS, Daniela, 1959-
Brasil, 1995, 100 min
VC0933, VC0996, XDVD0676, DVD3341

Todas as mulheres do mundo
OLIVEIRA, Domingos de, 1936-
Brasil, 1966, 86 min
DVD0200, DVD3385

Tudo bem
JABOR, Arnaldo, 1940-
Brasil, 1977, 113 min
VC0044, DVD1275, DVD3346

O velho: a história de Luiz Carlos Prestes
VENTURI, Toni, 1956-
Brasil, 1997, 105 min
xVC0104, XDVD380, DVD3355

Vida de menina
SOLBERG, Helena
Brasil, 2005, 102 min
DVD1692, DVD2784, DVD3361

Uma vida em segredo
AMARAL, Suzana, 1932-
Brasil, 2001, 98 min
DVD0611, DVD3371

Viramundo
SARNO, Geraldo, 1938-
Brasil, 1965, 38 min
VC1276, XDVD0341, DVD2505, DVD3396

Xica da Silva
DIEGUES, Carlos, 1940-
Brasil, 1976, 107 min
VC0110, VC1076, XDVD0282, DVD3394

Acompanhem a entrada de  novos títulos pela lista de novas aquisições que divulgamos periodicamente neste blog e no site da Biblioteca. Os catálogos impressos da Programadora Brasil em breve estarão disponíveis para consulta na Biblioteca.

 

 

 


Séries de TV no acervo da Biblioteca

31/03/2014

Compostas por diversos episódios articulados sobre a mesma trama, as séries de televisão prendem a atenção de telespectadores, que acompanham os episódios instigados a descobrir o que ‘virá depois’.

O sucesso de algumas séries de televisão se confirma por sua publicação em DVDs que as preservam para aqueles que querem assisti-las pela primeira vez ou então revisitá-las.

No acervo da Biblioteca da ECA há diversos seriados nacionais e internacionais dos mais antigos até tramas que foram sucesso recentemente. Conheça alguns:

Um dos títulos da nossa coleção é a famosa  Anos dourados que, lançada em 1986 e ambientada no Rio de Janeiro de 1950, gira em torno de um romance proibido vivido por Lourdinha (Malu Mader) e Marcos (Felipe Camargo), expondo também os conflitos dos demais personagens adolescentes com a moral da época.

Outra séranosrebeldesie que marcou época, Anos rebeldes é ambientada no período da ditadura militar e mostra a história de jovens que reagiram de maneiras distintas à situação política do país. Nesse cenário, desenrola-se a história de amor entre Maria Lúcia e João Alfredo, ela procurando preservar a felicidade pessoal, ele aderindo à luta armada.

A volta ao mundo com Orson Welles, de 1955,  traz cinco episódios da mini-série que Welles dirigiu para a  TV britânica. Nesta produção Orson Welles vai a lugares famosos de Paris, Londres, Madrid e também visita o País Basco,  entrevistando pessoas e mostrando aspectos específicos de cada lugar.

Baseada na obra de Nelson Rodrigues, Engraçadinha, seus amores e seus pecados, foi exibida em 1995 e mostra os inúmeros acontecimentos que a  descoberta do amor provoca  na vida da sensual Engraçadinha - filha do moralista deputado Arnaldo – que, com 18 anos,encanta a todos em sua cidade, despertando até mesmo a paixão de sua melhor amiga, Letícia, noiva de Sílvio, que é primo de Engraçadinha.

engracadinha

Exibida em 1979 na rede Globo, Malu mulher mostra as dificuldades da protagonista, que é mãe de uma adolescente e decide terminar seu casamento, no final dos anos 1970. Preconceito contra mulheres divorciadas, sexualidade feminina, aborto e violência contra a mulher são alguns dos temas tratados.

A série americana Família Soprano, criada em 1999, acompanha a vida de Tony Soprano, um mafioso de New Jersey que, em segredo, busca ajuda de um psicoterapeuta  para conseguir lidar com sua vida familiar e com os negócios da máfia.

Exibida em 2005, Hoje é dia de Maria é uma  fábula repleta de simbolismos que apresenta estruturas narrativa e estétmariaica baseadas na linguagem dos sonhos. Dividi-se em duas jornadas da vida da menina Maria, que primeiro  perde a mãe e vive entre as maldades da madrasta e as bebedeiras do pai. Protegida por Nossa Senhora, ela foge de casa e enfrenta as artimanhas do demônio, senhor dos descaminhos. Num segundo momento, a  pequena Maria, sozinha pelo mundo, descobre a violência, a ganância e a guerra, mas, também aprende uma grande lição: “É pelos sonhos que vamos!”

Está é só uma pequena amostra das séries de nosso acervo. Confira aqui a lista completa.

Para assistir às séries é possível utilizar as cabines individuais de vídeo e também a sala de vídeo com capacidade para 14 pessoas. Como as séries, geralmente, são formadas por mais de um DVD, a Biblioteca optou por não realizar o empréstimo deste material quando não houver mais de um exemplar, pois se um DVD  for perdido a obra ficará desfalcada.

Se você quiser pesquisar as séries do acervo utilize a Base Cena e em “campos de pesquisa” selecione a opção “gênero/forma” e digite o termo “série”.


Uma biblioteca de partituras

24/03/2014

O acervo de partituras da Biblioteca da ECA tem, atualmente, cerca de 20.000 peças musicais, todas à disposição do aluno ou pesquisador de música para empréstimo ou consulta local. São obras de todas as épocas, da música medieval à contemporânea, de gêneros diversos e cobrindo ampla gama de formações instrumentais.

3200 partituras para orquestra
3200 música de câmara
4400 piano
150 violino
900 violão
4600 coro
2000 voz e piano

Além das partituras publicadas pelas melhores editoras da área, há também uma coleção bastante especial de manuscritos de música sacra mineira e de obras de Henrique Oswald (foto ao lado), Fructuoso Vianna, Fúrio Franceschini, Lycia de Biase Bidart e Gilberto Mendes. Esse último doou para a Biblioteca da ECA sua obra musical completa, incluindo partituras publicadas, cópias e manuscritos autógrafos.

Outra particularidade interessante é a presença de obras editadas por pesquisadores do Departamento de Música no âmbito de seus trabalhos de mestrado ou doutorado. Alguns exemplos são a edição da Missa de Requiem, de Henrique Oswald, por Susana Igayara, e o primeiro registro em partitura de Asthmatour, de Gilberto Mendes, por Adriana Francato.

Embora a maior parte do acervo seja de música erudita, há alguns títulos muito bem selecionados para quem toca música popular, como: os songbooks de Caetano Veloso, Cazuza, Bossa Nova, Tom Jobim, Edu Lobo, Ary Barroso, Chico Buarque, Djavan e outros, da famosa coleção editada por Almir Chediak; os 14 volumes do Cancioneiro de Elomar Figueira de Melo; A casa Edison e seu tempo, coletânea em CD-ROM de partituras do início do século 20; caixa com a obra completa de Pixinguinha, editada pelo Instituto Moreira Salles e Imprensa Oficial do Estado; The Armstrong treasury: Louis’ songbook; Charlie Parker omnibook, para instrumentos em Mi bemol; obras completas dos Beatles; coletâneas de música popular brasileira e marchinhas antigas de Carnaval.

Quase todas as partituras do acervo podem ser retiradas por empréstimo, com exceção dos manuscritos e edições raras.

O catálogo completo das partituras pode ser consultado no site da Biblioteca:
http://www.eca.usp.br/biblioteca-bases/acorde/search.htm

A busca pode ser feita por título, compositor, arranjador, editor, assunto, número de opus e meio de expressão (instrumentos, vozes, grupos vocais e instrumentais). A única dificuldade é precisar colocar um  entre os termos de busca, ou digitar cada um numa linha. Observem os exemplos:

Villa*lobos
Piano*violino*orquestra
Cantata*Bach
Gilberto*Mendes*coro
Beethoven*op. 14

ou

Snap 2014-03-21 at 16.51.49

Para facilitar a seleção final das obras, as primeiras páginas das partituras estão sendo digitalizadas e inseridas no registro da base de dados. É só clicar no link Primeira página para ver a imagem.

Além desse acervo, os estudantes de música da USP também têm à sua disposição a base de dados Classical Scores Library, que dá acesso à partituras em pdf.  Mais detalhes no post anterior:

Bases de dados de música


Bases de dados de Música

17/03/2014

Neste post iremos apresentar algumas bases de dados específicas da área de Música. Antes de começar, lembramos que estes recursos somente podem ser acessados a partir dos computadores da USP ou pelo VPN.

musica

Classical Music Library:  Oferece acesso a vasto acervo de gravações musicais. Inclui desde canto gregoriano até gravações de compositores contemporâneos, e material de selos importantes como Hyperion, Bridge Records, Sanctuary Classics, Artemis-Vanguard, Hänssler Classic, Vox e outros. Traz música vocal, coro, música de câmara, orquestra, música solo instrumental e ópera.  É possível pesquisar por compositor, intérprete, regente, álbum, gênero, instrumento, gravadora, período.

Classical Scores Library: Disponibiliza mais de 24.000 partituras musicais de composições que vão desde a Renascença ao século XXI. Inclui obras com copyright de editoras como Boosey and Hawkes, Universal Edition, Peters e  A-R Editions, que podem ser baixadas no formato pdf.  Permite realizar buscas por compositor, gênero, instrumento, título, número de opus e período.

RILM Abstracts of Music Literature: Guia abrangente e contínuo para publicações sobre música do mundo inteiro. Inclui mais de 620.000 registros; mais de 30.000 novos registros são adicionados todos os anos. Cobre diversos tipos de documentos: artigos, livros, bibliografias, catálogos, dissertações, Festschriften, iconografias, comentários críticos para trabalhos completos, gravações etnográficas, resumos de conferências, recursos eletrônicos, críticas e muito mais.

RIPM Retrospective Index to Music Periodicals: apresenta  análise detalhada, feita por acadêmicos e editores de renome mundial, de conteúdo de textos sobre cultura e história da música publicados entre 1800 e 1950. Indexa atualmente o conteúdo de 140 revistas especializadas em música, incluindo artigos, análises, ilustrações, exemplos de músicas, propaganda, críticas da imprensa e muito mais. Além disso, oferece mais de 5.000 traduções em inglês de artigos de periódicos em outros idiomas.

Oxford Music Online: é um portal de pesquisa na área de Música que abrange os conteúdos da Grove Music Online, Oxford Companion to Music e do Oxford Dictionary of Music. Contém biografias, artigos, bibliografias e recursos multimídia. Permite pesquisar por assuntos, compositores, obras, períodos e estilos musicais.

International Index to Music Periodicals: Esta base de dados fornece acesso a registros bibliográficos sobre Música, contendo mais de 400 publicações internacionais bem como citações retrospectivas de cerca de 180 periódicos. O conteúdo, atualizado mensalmente  abrange publicações sobre música popular e erudita. ***ATENÇÃO: Atualmente estamos sem acesso a esta base de dados, que se encontra em processo de renovação***

Lembre-se, sempre que houver dúvidas procure por um bibliotecári@. Estamos prontos para auxiliá-lo a utilizar os diferentes recursos de pesquisa.

Quer conhecer a lista completa de bases de dados assinadas pela USP, incluindo as mencionadas, e acessá-las? Clique aqui 


Assuntos dos TCCs de Relações Públicas

10/03/2014

O curso de relações públicas na ECA surge junto com a Escola, começando suas atividades em 1967. Ao lado de Editoração, Jornalismo e Publicidade e propaganda é uma das habilitações da formação em Comunicação Social.

Para o último semestre do curso, a grade curricular sugere a elaboração de um Projeto experimental em relações públicas e um Trabalho de conclusão de curso. O Projex “envolve a realização de um projeto para um cliente real” e não é enviado para a Biblioteca; já o TCC é um trabalho mais teórico e deve ser enviado para a biblioteca. Em nosso acervo temos mais de 3.000 Trabalhos de conclusão de curso. Desses, 265 do curso de relações públicas.

Quando estão fazendo seus TCCs, é muito comum que estudantes venham até a Biblioteca para ver trabalhos feitos em anos anteriores, querem ter uma ideia mais precisa do que é exigido, quais assuntos têm sido discutidos, baixar a ansiedade ou aumentá-la!

Com base na nossa indexação (representação do assunto de um documento a partir de termos extraídos do Vocabulário controlado da USP), mostramos os assuntos preferidos entre os alunos de RP.

Comunicação organizacional é, de longe, o assunto que mais deu pano pra manga nos trabalhos de graduação. Nada menos que 62 trabalhos tratam desse assunto.

Planejamento de relações públicas aparece em 25 trabalhos; Relações públicas como profissão aparece em 18 trabalhos.

O termo Empresas foi usado para indexar 17 TCCs. Aqui uma curiosidade: pelo menos 35 organizações aparecem como assunto em TCCs de RP. Empresas ou instituições públicas, como Abril, Itaú, Secretaria da Administração Penitenciária de São Paulo, Diageo, General Motors, Olympia, etc. O interesse dos alunos pelas empresas, em parte, é fruto de muitos estagiarem ou trabalharem numa delas.

Alexandre Ratner Rochman, aluno de relações públicas que estudou os TCCs de sua área disponíveis na Biblioteca da ECA até 1999, fez as contas e percebeu que a maioria desses trabalhos que têm empresas como assunto, são do tipo estudo de caso. Ele diz que 37% dos TCCs são desse tipo e notou também “a orientação dos formandos para o mercado, ainda que o TCC possua, como já visto, um caráter mais acadêmico.”

Outros assuntos que despertaram atenção: Ação social, 13 trabalhos; Relações públicas governamentais, 11; Marketing cultural e Público interno, 10 cada um; Atendimento ao cliente e Organizações não-governamentais, 9 cada.

Relação de assuntos dos TCCs de RP

Trabalho citado: ROCHMAN, A. R. TCC de TCC’s: uma análise dos trabalhos de conclusão de curso de relações públicas da ECA/USP. 2001. 57 p.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.164 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: