A conservação transformadora

Numa sala meio escondida da Biblioteca da ECA estão sendo produzidas as mais inesperadas transformações.  Entre máquinas de formas inusitadas, homens e mulheres armados com serras, bisturis, pincéis e agulhas devolvem à vida acadêmica livros rasgados e esquecidos, transformam matéria prima de nomes estranhos como percalux e tyvek em encadernações luxuosas e caixas elegantes.

Quase sem que ninguém perceba, desde 1994 a Oficina de Encadernação e Conservação da Biblioteca da ECA vem dando outra cara ao acervo de livros, revistas e partituras. Os funcionários mais antigos, quando passeiam entre as estantes, sabem disso. A mudança é visível e palpável. Os livros recuperados pela Oficina podem ser manuseados e lidos novamente, porque costuras bem feitas garantem sua completa abertura, enxertos e velaturas restituem ao papel sua integridade; não apenas capas novas, embora algumas delas sejam particularmente bonitas.

Carlos Roberto Alves, criador da Oficina e mestre inspirador de diversas turmas de dedicados aprendizes das artes da conservação de documentos e encadernação artesanal, é um adepto do “se quer bem feito, faça você mesmo” velha máxima à qual ele acrescenta: e ensine o que você sabe aos outros.  E foi assim, indignando-se com as barbaridades que algumas encadernadoras comerciais cometiam contra livros indefesos que o Carlos teve a ideia de dar destino melhor às verbas públicas. Por que não comprar equipamentos, aprender o trabalho e começar a cuidar do acervo com os recursos da própria Universidade? O projeto teve o apoio do Prof. Eduardo Peñuela Cañizal, então diretor da ECA e amigo dos livros, e deu certo.

Mas depois de um tempo lutando sozinho contra o eterno rasgar e despencar dos livros muito usados e nem sempre bem tratados, Carlos começou a dar cursos de encadernação artesanal na Oficina. Cursos gratuitos, abertos a qualquer interessado, durante o qual os alunos encadernam material da Biblioteca. No final, cada turma entrega à Biblioteca um bom lote de livros recuperados e bem encadernados. E cada aluno leva o conhecimento básico necessário para melhorar as condições dos acervos das bibliotecas onde trabalham ou mesmo, eventualmente, para entrar ou voltar para o mercado de trabalho.

No período de 1995 a 2006, a Oficina treinou 511 alunos; encadernou 5607 documentos; realizou intervenções de conservação em 2176 itens (dados de um relatório preparado em 2007).

Os funcionários da Biblioteca treinados pelos Carlos hoje estão capacitados a realizar desde intervenções simples para estabilizar os materiais até procedimentos complexos de restauro. Fazem envelopes, pastas e caixas para conservação, montam álbuns para fotografias, recuperam rasgos aplicando papel japonês, substituem grampos enferrujados por costuras, fazem enxertos com polpa celulósica e muito mais. E também desenvolvem competência técnica para avaliar a qualidade dos serviços das empresas encadernadoras contratadas pela Biblioteca.

Esse trabalho de formação de pessoal é tão ou mais importante do que as atividades de conservação propriamente dita. Na Oficina, funcionários que se sentiam desvalorizados tiveram a oportunidade de adquirir novos conhecimentos, dominar técnicas que pouca gente conhece e receber a admiração dos colegas pelo trabalho bem feito. Carlos tem o hábito, que já se tornou uma espécie de tradição na Biblioteca da ECA, de passar de mesa em mesa mostrando a todos o trabalho de seus alunos, mostrando a qualidade de cada detalhe e ressaltando os talentos de cada um.

A experiência da Oficina mostra que existem outros caminhos para a Universidade além da terceirização de serviços. A capacitação de pessoal, a descoberta de talentos, a inovação na criação de produtos específicos para a conservação de documentos – como a capa para discos de plástico polionda – está contribuindo para a implantação de uma cultura de conservação na Biblioteca da ECA. Aos poucos, todos ou quase todos os funcionários começam a entender a importância da conservação do acervo, e, em maior ou menor grau, a conhecer as técnicas e procedimentos mais adequados. Essa conquista não teria sido possível se a Biblioteca apenas contratasse serviços externos de encadernação, sem tomar em suas mãos o domínio dos saberes na área.

Carlos Roberto Alves está prestes a se aposentar, em busca de novas experiências, mas pretende continuar acompanhado os trabalhos do Grupo de Conservação do Sistema Integrado de Bibliotecas da USP. Deixa na ECA um pequeno grupo de sucessores, formados por ele e dispostos a continuar o trabalho da Oficina. Talvez no próximo essa equipe já tenha condições de retomar a rotina de cursos abertos à comunidade, com o mesmo entusiasmo do mestre.

Glossário:

Enxerto: processo de recuperação de um documento no qual houve perda de suporte (papel), realizado com poupa celulósica ou papel japonês na gramatura e cor do documento.

Percalux: material especial usado para revestir a capa de um livro, permite a gravação do nome pelo processo de douração e facilita a higienização.

Polpa celulósica: processo artesanal onde o papel é batido num liquidificador sem corte com água deionizada, coado com perlon ou filtro e espalhado em flocos para secagem. Depois deve ser macerado com cola CMC e aplicado no documento.

Tyvek: é um não-tecido composto 100 % de fibras de polietileno de alta densidade. Combina as melhores características e propriedades do papel, filme e tecido em um único produto (informação extraída do catálogo do fabricante).

Velatura: revestimento total de um documento com papel japonês, usando cola CMC. Dá maior sustentação ao documento fragilizado e permite boa leitura.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja mais fotos no Flickr.

Anúncios

11 Responses to A conservação transformadora

  1. Levy Paulino disse:

    Tive o prazer de participar com Carlos Roberto Alves de uma oficina em que aprendi muito fazendo, vendo-o trabalhar e como ele é profissional sério num sentido e muito alegre e feliz nesse tipo de trabalho. Isso aconteceu e 2008. Mas tenho necessidade ainda de
    conhecer mais e gostaria que me convidassem para outras oficinas

    Curtir

    • Olá Levy,
      O Carlos se aposentou, por conta disso tivemos que reestruturar a nossa Oficina de Encadernação. Estamos numa fase agora de capacitação/atualização da equipe que realiza as atividades de conservação do acervo e, no momento, não temos a intenção de reabertura de cursos e treinamentos.

      Curtir

  2. Silvia disse:

    Sou grata por ter tido oportunidade de fazer um curso com o Carlos e por ter trabalhado na mesma unidade, sem duvidas deixará saudade de seu belo trabalho na ECA.
    Um abração
    Silvia

    Curtir

  3. Renata disse:

    Excelência. Apuro técnico. Bom-senso. Generosidade. Existem muitas formas de se conhecer alguém ou algo. Eu reconheço um artista pela sua obra. O que digna uma obra é seu interlocutor. Para o Carlos, meus sinceros cumprimentos de agradecimento e admiração.

    Renata

    Curtir

  4. Solange Franco disse:

    O Carlos é um profissional de primeira grandeza e uma pessoa maravilhosa. A Universidade deve muito a ele por sua dedicação. Ele formou uma rede de comunicação em conservação de acervos muito boa. É aquele “cara” que não plantou uma sementinha, plantou um jardim imenso!
    Graças a ele temos muita gente cuidando dos acervos e querendo aprender mais. Tenho certeza que quem ficar no seu lugar vai honrar o serviço que ele deixou.

    Curtir

  5. Leticia disse:

    Além do trabalho tão bem realizado e da competência, vale ressaltar o quão especial é o Carlos como pessoa e como professor. Ele é alegre, dedicado, prestativo, ama o que faz e é especialmente generoso ao compartilhar suas experiências e seu conhecimento. Será mesmo muito difícil não ter mais sua alegria contagiante todos os dias, nem suas dicas preciosas quando precisarmos fazer qualquer reparo nos materiais da Biblioteca. Também sentirei saudades! Muita sorte e sucesso ao Carlos nessa nova fase!

    Curtir

  6. Normanda disse:

    Há alguns anos fiquei um período respondendo pela Diretoria Técnica da Biblioteca da ECA e tive oportunidade de acompanhar de perto o trabalho do Carlos e principalmente, constatar a paixão e o entusiasmo com que ele o desenvolvia. Carlos, desde então, mantem intacto a mesma paixão, o mesmo entusiasmo, num trabalho minucioso e competente, que ele generosamente transmite a quem se interessa por seus cursos. Vou sentir saudade Carlos!

    Curtir

  7. Marina Macambyra disse:

    O trabalho do Carlos e da Oficina é motivo de orgulho para todos nós, funcionários da Biblioteca da ECA. Uma das experiências mais interessantes que tive a honra de acompanhar. Vai ser difícil ficar sem o Carlos …

    Curtir

  8. Andreia Jardim disse:

    O Curso foi MARAVILHOSO, fiz parte da última turma do Carlos, ele é talentosíssimo e muito atencioso!!!!! Curte o que faz, acaricia as obras. Acredito que esse trabalho lhe dê muitos prazeres, desejo que ele tenha muitos novos desafios prazerosos nessa nova fase!!!
    Um bj pra ele!!!

    Curtir

  9. Elô disse:

    Realmente é um trabalho muito especial!!!
    Trata-se também de uma pessoa especial, que é o Carlos. Deixará saudades….

    Curtir

  10. Elizabete disse:

    Fiquei muito satisfeita por ter participado deste trabalho.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: