A Biblioteca Digital da Produção Intelectual da USP: um novo caminho

No dia 22 de outubro, durante o Simpósio Internacional sobre Rankings Universitários e Impacto Acadêmico na Era do Acesso Aberto, foi oficialmente apresentada à comunidade acadêmica a Biblioteca Digital da Produção Intelectual da USP (BDPI).

Esse novo serviço tem como objetivo principal aumentar a visibilidade da produção acadêmica da Universidade e tornar público e acessível o conhecimento gerado pelas pesquisas aqui desenvolvidas. Para alcançar esses objetivos, a BDPI permite o arquivamento não apenas de informações referenciais sobre a produção, como já fazem o Banco de Dados Bibliográficos da USP e a plataforma Lattes, mas dos documentos com seu texto completo.

Esse recurso não vai, de forma alguma, ferir os direitos dos autores e editores, pois o próprio docente definirá a forma de acesso aos seus artigos e outros trabalhos: aberto, restrito ou fechado. Dessa forma, o professor pode ter seus trabalhos na BDPI mesmo sem o acesso ao texto completo, se assim o decidir. A vantagem disso, além da visibilidade, é a garantia da preservação desses arquivos, pois a BDPI tem, entre suas diversas funcionalidades, a preservação digital.

Outro aspecto interessante da Biblioteca Digital é a possibilidade de acesso às estatísticas de uso, ou seja, o autor pode acompanhar a quantidade de acessos aos seus trabalhos de forma muito rápida e simples. E como o conteúdo da BDPI é recuperado pelo Google, espera-se que os documentos nela depositados tenham muitos acessos.

Nesse momento inicial a BDPI tem como conteúdo os artigos coletados pela equipe do Departamento Técnico do SIBiUSP nos portais Scielo e Web of Science referentes ao período 2008 a 2011 e os trabalhos do ano de 2011 cadastrados pelas quatro bibliotecas que participaram do projeto piloto, entre as quais a Biblioteca da ECA.

O próprio autor poderá, se assim o desejar, cadastrar e fazer upload de seus trabalhos na BDPI, pois o sistema é baseado no princípio do autoarquivamento, procedimento que agiliza a divulgação dos trabalhos. Naturalmente, se o professor preferir, os bibliotecários de sua unidade poderão se encarregar da tarefa. O cadastramento rotineiro da produção na Biblioteca Digital deverá começar em 2013, após a elaboração de manuais e capacitação das equipes bibliotecárias e dos próprios autores.

Futuramente a BDPI deverá incluir, além de outros tipos de publicações impressas, a produção artística e audiovisual dos nossos professores. A Biblioteca da ECA está trabalhando, junto à equipe do DT-SIBi, na definição da estrutura e características principais de uma biblioteca digital para produção audiovisual, sob orientação do professor Eduardo Morettin.

Em 2010 fizemos uma pesquisa sobre o tema “acesso aberto” entre os docentes da ECA/USP, cujo resultado foi divulgado no post Panorama do acesso na ECA. Na ocasião, todos os professores que responderam ao questionário acreditavam que o acesso aberto é uma forma de dar visibilidade à suas pesquisas e afirmavam que publicariam sua produção numa publicação de acesso aberto. Por esse motivo, acreditamos que a Biblioteca Digital da Produção Intelectual tem tudo para ser um sucesso em nossa Escola.

Resolução da USP nº 6.444, de 22-10-2012

Acesso Aberto na USP

Semana Internacional do Acesso Aberto na UNAM

Gabinete de Projetos Open Access dos SDUM

Open Access Week

Wiki Acceso Abierto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: