Além da academia

Uma biblioteca como a da ECA oferece muito mais que a leitura árida de textos acadêmicos ou técnicos. Essa é uma das características de um acervo de ciências humanas, em que o uso do acervo não precisa ficar restrito à esfera da obrigação, das leituras indicadas pela bibliografia da disciplina. A fruição pode ser bem mais prazerosa, afinal, todo mundo gosta de cinema, teatro, música, artes… e por que não ler sobre?

No entanto, dizer que o uso pode ser também prazeroso, quando se pensa em coleções de DVDs, peças de teatro, livros de fotografias, revistas, é fácil. Mas, mesmo em áreas em que não é tão óbvio o interesse para além da academia, como biblioteconomia, relações públicas, turismo, jornalismo ou editoração há textos que podem ser lidos nas horas vagas, nas salas de passos perdidos (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1712200926.htm).

Alguns exemplos:

Turismo

Gringo na laje, Bianca Freire-Medeiros
“Regiões pobres e segregadas, em geral evitadas pelas elites, são transformadas em atrações turísticas mundo afora. Como compreender esse fenômeno? Trata-se simplesmente de um ‘zoológico de pobre’? Quem são os visitantes e em busca de que fazem esse tipo de passeio? O que pensam as populações visitadas a respeito desses turistas e suas câmeras fotográficas?”

Jornalismo

queda de bagá

 

A queda de Bagdá, Jon Lee Anderson
“Nenhum assunto se tornou mais passional e politizado do que a invasão do Iraque e a queda do regime de Saddam Hussein. A espessa neblina de propaganda, de defensores e opositores da guerra, tem ocultado a realidade do que o povo iraquiano sofreu sob Saddam, e sofre agora.”

O+inverno+da+guerra

 

O inverno da guerra, Joel Silveira
“O inverno da guerra é uma seleção rigorosa dos melhores textos escritos pelo correspondente brasileiro Joel Silveira, em nove meses de cobertura da Segunda Guerra Mundial. […]. Joel chegou à Europa no terrível inverno de 1944, e acompanhou a luta dos brasileiros até a tomada do Monte Castelo. […] descreve momentos cruciais do combate até a rendição alemã, em abril de 45.”

 

O último jornalista :imagens de cinema, Stella Senra
“como tem se construído a imagem do profissional de imprensa ao longo dos anos? É no cinema, nos filmes que representam o mundo do jornal, que estes ensaios buscam uma resposta. Tendo em mente a interface entre jornalismo e cinema, a cumplicidade partilhada pelas duas formas narrativas e de registro, uma variada gama de obras clássicas é examinada: De René Clair a Fritz Lang, de Alexander Mackendrick a Billy Wilder, de Howard Hawks a Antonioni, emergem algumas das principais linhas de força que têm modelado, nos últimos 50 anos, a sua figura: o tempo, o espaço urbano, a escrita, a tecnologia, a vocação, a objetividade.”

negocio dos livrosEditoração

O negócio dos livros: como as grandes corporações decidem o que você lê, André Schiffrin
“Quem decide o que está nas prateleiras das livrarias? Como são negociados grandes acordos internacionais de compra e venda de editoras e livros? O editor André Schiffrin, […], esclarece com análises polêmicas essas e outras questões sobre os bastidores do universo editorial. Uma experiência reveladora que denuncia como os cinco principais grupos de comunicação do mundo têm em suas mãos 80% dos livros editados nos Estados Unidos.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: