Virou livro

Teses e dissertações estão inseridas colagem tese livros numa categoria de documentos conhecida como literatura cinzenta, grupo que inclui ainda relatórios técnicos, publicações governamentais, patentes, normas e outros documentos caracterizados pela divulgação precária, linguagem técnica, especialização, semipublicação etc., por isso normalmente ficam restritos a um público pequeno e especializado.

Isso mudou bastante nos últimos anos, por conta da avalanche que tem sido a internet. Hoje, teses e dissertações estão disponíveis para quem se interessar, em canais de acesso aberto, como a biblioteca de teses e dissertações da USP.

No entanto, esses canais, a despeito de serem acessíveis a todos, continuam sendo espaços especializados e conhecidos apenas por quem está no ambiente acadêmico. Isto, e o fato de serem trabalhos que usam uma linguagem árida e por vezes enfadonha para o público não especializado, afasta as editoras comerciais, principalmente as grandes, dessas publicações.

Apesar desses obstáculos, é considerável o número de trabalhos originalmente apresentados como teses de livre-docência e de doutorado, dissertações e mesmo trabalhos de conclusão de curso que são publicados como livros posteriormente, principalmente por editoras menores. Só no acervo da ECA existem quase 500 livros fruto de trabalhos acadêmicos, mais de 100 desses originados de trabalhos aqui da ECA.

Frequentemente são feitas mudanças na estrutura e texto, eliminando marcas características dos trabalhos acadêmicos, como notas de rodapé, que atrapalham a fluência da leitura; sumários e títulos ficam mais curtos e ganham termos mais palatáveis ao grande público. Vejam alguns exemplos do antes e depois:

Antes: A transversalidade da comunicação no processo de formação, difusão e investigação das tendências de comportamento e consumo.
Depois: Sobre tendências e o espírito do tempo.

Antes: Adaptações: conjunções, disjunções, transmutações : do literário ao fílmico e ao televisual
Depois: Conjunções, disjunções, transmutações: da literatura ao cinema e à TV.

Antes: O incentivo fiscal federal à cultura e o Fundo Nacional de Cultura como política cultural do Estado : usos da lei Rouanet (1996-2000)
Depois: Cultura neoliberal: leis de incentivo como política pública de cultura

Antes: A intertextualidade no discurso fílmico de Peter Greenaway
Depois: Introdução ao cinema intertextual de Peter Greenaway

Antes: O poder e difusão dos quadrinhos japoneses como reflexo da sociedade nipônica
Depois: Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses

Reparem que os títulos dos livros são normalmente mais curtos e suprimem palavras pouco usadas no dia a dia, como transversalidade, intertextualidade, fílmico, televisual etc.

Para os autores, além de ser o reconhecimento de seu árduo trabalho, garante mais visibilidade para os resultados de sua pesquisa.

Para uma lista desses livros em nosso acervo, busque por ‘originalmente apresentado como’, ou fale com um dos bibliotecários do atendimento.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: