DOI – Digital Object Identifier

Em algum momento de sua vida acadêmica talvez você já tenha se deparado com a sigla DOI e se perguntado o que isso significa. Neste post, de maneira bastante simples, iremos apresentar o que é e qual a importância do DOI. Vamos lá.

O que é DOI?

DOI é uma sigla que corresponde ao termo em inglês Digital Object Identifier, em nossa língua, Identificador Digital de Objetos. Um nome DOI  é um identificador que se vincula a objetos físicos ou digitais, possibilitando ofertar serviços e garantir a propriedade intelectual, sobretudo de objetos digitais disponíveis na internet. O DOI provê persistência no acesso aos objetos digitais (textos, imagens, áudio, vídeo, etc.), isso significa que tais objetos tornam-se acessíveis por meio deste identificador, independentemente de configurações de rede, mudanças no nome do servidor e até mesmo no caso do servidor deixar de existir. Além de garantir o acesso ao objeto digital via internet, o DOI individualiza este objeto, que se torna único (é uma espécie de RG do documento digital).

Como é?

O DOI constitui-se por uma sequência de números e letras. A primeira parte da sequência, precedendo uma barra “/”, corresponde ao código do diretório, que é sempre 10, e ao código de registro que identifica a instituição responsável pelo depósito DOI e é atribuído por uma agência de registro, como a CrossRef, por exemplo – principal agência de registro da International DOI Foundation (DOI). A segunda parte é o que particulariza o objeto a ser identificado. No exemplo abaixo, “Revista Turismo em Análise, 2016, v. 27, n.2, artigo da página 235 à 255” é o objeto identificado pelo sufixo.

                      10.11606         /       issn.1984-4867.v27i2p235-255

                        Prefixo                         Sufixo

Qual a importância?

Até aqui começamos a entender que o DOI é como uma espécie de documento de identificação de objetos digitais, que os torna únicos e também persistentes.  A importância disto está no fato de que links podem parar de funcionar quando os recursos para os quais apontam são deletados, renomeados ou transferidos, por exemplo. Devemos lembrar que URLs não são identificadores, mas, sim, endereços, e a persistência de um documento não pode estar vinculada ao seu endereço, o qual pode mudar ou deixar de existir. Outros serviços são viabilizados a partir do DOI, como a gestão de direitos autorais, elaboração de métricas de acesso e de citação.

 Quais documentos podem ter DOI?

O DOI atua na identificação e descrição de entidades físicas ou abstratas, digitais ou analógicas, reais ou virtuais, mas seu uso vem tornando-se importante no âmbito dos documentos digitais, sejam eles textos, imagens, áudio ou vídeos.

Como atribuir um código DOI a um documento?

O DOI é atribuído a um determinado conteúdo por um editor ou instituição responsável que arcará com o custo deste serviço.   Assim, providenciar o DOI é papel do editor/instituição responsável que tenha interesse e não dos autores dos artigos.

Como obter um documento a partir de um DOI?

Um caminho é digitar no navegador de internet o nome DOI precedido de:   dx.doi.org/

Exemplo : dx.doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v27i2p235-255

Outra opção é acessar o site da Crossref  e em “Metadata search” pesquisar pelo DOI do documento desejado.

Também é possível pesquisar no site do próprio sistema DOI, a partir da opção “Resolve a DOI name”.

Na plataforma do currículo Lattes é solicitado o DOI de um artigo que escrevi, mas não sei qual é. Como fazer?

Até aqui já percebemos que não são todos os documentos que possuem um DOI. Assim, primeiramente você deve indagar se sua obra possui DOI. Se você publicou um artigo numa revista, por exemplo, verá na página web que traz informações sobre o seu texto o código DOI, caso ele exista. Veja um exemplo de como aparece o DOI num artigo da Significação: revista de cultura audiovisual. Neste exemplo, o DOI aparece nesta página após as referências. Se não houver, obviamente você não irá preencher o DOI em seu currículo Lattes.

Mas atenção: o DOI não é obrigatório, mas se a revista não tiver, é preciso informar outro número: o ISSN. Um artigo publicado numa revista que não tenha DOI nem ISSN não pode ser cadastrado no item Artigos completos publicados em periódicos do Lattes. Deve ser registrado como Texto em jornal ou revista.

Para incluir o DOI de um trabalho seu no currículo Lattes veja essas orientações

Estou escrevendo algo e utilizei como referência obras que possuem DOI. Como colocar isto na referência?

Não há uma regra na ABNT quanto ao DOI, mas sugere-se que este seja incluído nas referências como uma nota, já que a partir dele é possível localizar o documento.

Exemplo: XAVIER, Ismail Norberto. O nome próprio, a tela-espelho, o corpo-palavra e seu duplo. Significação: revista de cultural audiovisual, 2015 v. 42, n. 43, p. 14-39. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2015.98301

Documentos sobre o tema que foram consultados:

Guia do usuário do Digital Object Identifier 

CrossRef / DOI  nas revistas científicas

Dúvidas?! Procure @ bibliotecári@

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: