Leitura nas férias: explorando o acervo

Aproveite as férias e a pausa nos estudos para explorar o acervo da biblioteca em busca de leituras variadas. Neste post indicamos alguns livros do acervo que podem ser excelentes companhias para o período de férias!

Criação.   Nesta obra Gore Vidal leva o leitor ao século V a.C., período em que se conceberam idéias filosóficas, sociais e políticas que mudaram o curso do mundo antigo. O protagonista da história é Ciro, neto do profeta Zoroastro, que viaja como embaixador para além das fronteiras da Pérsia à procura de riqueza e, sobretudo, de respostas às perguntas acerca da criação e da origem do mundo.

The magic orange tree and other haitian folktales. Diane Wolkstein foi a responsável por coletar e apresentar ao leitor desta obra  variados contos do folclore haitiano. Precedendo cada conto, Diane traz uma breve explicação sobre o mesmo, o que colabora para que adentremos neste rico território em que há uma figura especial: o contador de histórias, figura que ganha destaque nesta obra.

A sangue frio: relato verdadeiro de um homicídio múltiplo e suas conseqüências.  Truman Capote conta a história da morte de toda a família Clutter, em Holcomb, Kansas, no ano de 1959, e dos autores da chacina. Além de narrar o assassinato do fazendeiro Herbert Clutter, de sua esposa Bonnie e dos filhos Nancy e Kenyon, o livro reconstitui a trajetória dos assassinos e as possíveis motivações para o crime.  A precisão factual do relato deste romance de não-ficção, entretanto, já foi posta à prova.

sereiaO canto da Sereia: um noir baiano. Nelson Motta ambienta este romance numa Bahia em que nunca se viu nada parecido. O assassinato da musa do carnaval, em plena terça-feira gorda, eletrizou Salvador – quem teria motivos para matar a linda Sereia, que aos 22 anos se tornara uma estrela exuberante do pop nacional? A princípio ninguém, mas a lei do suspense clássico também vigora nesta trama. Incluindo o mordomo, são todos suspeitos – os produtores artísticos, a fiel empresária, o compositor dos hits de Sereia e a mãe de santo mais poderosa da Bahia. Nesta obra, o autor desvenda a indústria do disco sob um ponto de vista divertido e original – o olhar de Augustão, o investigador particular, o detetive que não vive sem sexo, drogas e afro-jazz.

Lendas brasileiras. Nessa  obra o folclorista Luis da Câmara Cascudo  oferece ao leitor 21 lendas criadas pela imaginação de nossa gente e que são apresentadas agrupadas conforme sua distribuição pelas diversas regiões geográficas do país. Da Cobra Norato à Chico Rei, entre outras lendas, o leitor é convidado a explorar este universo da história oral brasileiro que foi sendo transmitido entre as gerações.

Super-heróis. Organizado por Gerson Lodi-Ribeiro e Luiz Felipe Vasques ‘Super-Heróis’ é uma coletânea sobre estes seres capazes de nos inspirar por seus feitos assombrosos e sacrifícios em prol de um mundo melhor. Nas 14 histórias apresentadas a justiça não escolhe campo de batalha, sejam os becos sujos de uma metrópole, os rincões afastados do interior brasileiro, uma Lisboa prestes a ser invadida por Napoleão ou a arena política onde se decide o destino da sociedade. Para o alto e avante!

Várias histórias. O enfrentamento dos preconceitos e da hipocrisia molda o universo ficcional de Machado de Assis Sua prosa melancólica dialoga com o leitor para criticar as convenções sociais. Os contos aqui  reunidos comungam com o interesse central do realismo de Machado de Assis: transfigurar artisticamente as questões morais da sociedade carioca do século XIX. Além de 16 contos, esta obra traz comentários críticos do professor José de Paula Ramos Jr.

Anos rebeldes. Flávio de Campos fez esta adaptação para romance da minissérie de Gilberto Braga que é uma viagem pelo passado recente dos primeiros anos da ditadura militar no Brasil, tendo como personagens centrais jovens estudantes cariocas que enfrentam os dilemas impostos pela situação gerada pelo regime.

O guardião de livros.  Uma escrava muda conta um segredo guardado durante 200 anos; um escravo apaixona-se por quem não deve; uma carioca leva um português a descobrir as delícias do sexo; um cientista judeu a quem são confiados dois livros raros naufraga nas ilhas Malvinas. Estas são algumas das personagens do romance de Cristina Norton, que narra a vida de um bibliotecário hipocondríaco que, em 1811, atravessa o Atlântico rumo ao Brasil acompanhado por 76 caixotes contendo o acervo da Real Biblioteca do Palácio de Ajuda, inicialmente esquecida no cais de Belém no momento da saída apressada da Corte portuguesa para o Brasil em 1808.

invasorO invasor. Marçal Aquino narra a história de três engenheiros que são sócios numa construtora e entram em conflito ao serem convidados para participar de uma falcatrua. Dois deles decidem eliminar o sócio que atrapalha o andamento dos negócios, mas não imaginam que estão entrando num  pesadelo de ambição, culpa e violência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: