O cinema de Pasolini

Neste post apresentamos filmes de Pier Paolo Pasolini que compõem o acervo da Biblioteca da ECA. Poeta, romancista, crítico de arte e literatura, jornalista, teatrólogo, tradutor e cineasta, Pasolini foi figura controversa que nos anos do fascismo italiano colocou-se, por meio de sua obra, numa clara oposição ideológica ao sistema e convulsionou a opinião pública com alguns de seus filmes. Sua produção leva, invariavelmente, o espectador a reflexões em torno da relação entre política e arte.

 

Decameron (1971)

Traz contos do Decameron, de Bocaccio, descrevendo, em forma de sátira, a vida em Nápoles, na época do Renascimento.

 

Teorema (1968)

Um estranho chega à casa de uma família burguesa e seduz todos os moradores, a empregada, o filho, a mãe, a filha e finalmente o pai. Quando subitamente vai embora, as vidas de todos com quem se envolveu estão profundamente afetadas e ninguém consegue continuar vivendo da mesma forma.

 

O evangelho segundo São Mateus (1964)
A história de Jesus Cristo, do nascimento à ressurreição, na versão do Evangelho de São Mateus. Assim como Jesus conquistou uma legião de seguidores também teve muitos inimigos

 

Accattone: desajuste social (1961)

Accattone vive na periferia de Roma e sobrevive como cafetão de sua mulher. Quando ela é presa, não consegue o suficiente para matar a própria fome. Um dia conhece a ingênua Stella e tenta convencê-la a prostituir-se, mas um fim trágico vai se delineando e a história segue por outros rumos.

Imagem de Accattone

Medea (1969)

Jasão sai do exílio e parte para Iolco reclamar ao tio o trono que havia sido usurpado de seu pai. O rei concorda com a exigência de Jasão com a condição de que ele traga ao reino o Velocino de Ouro. Jasão aceita o desafio e com um grupo de homens, os argonautas, parte em direção a Cólquida para conquistar o Velocino de Ouro. Ao chegar em seu destino, conhece Medéia, uma feiticeira e filha do rei de Cólquida. Ela se apaixona por Jasão e o ajuda a roubar o velocino. Quando o grupo foge para Iolco, Medéia os acompanha, levando seu irmão que é assassinado e esquartejado pelo caminho para distrair os perseguidores. Anos depois, já como rei e pai de três filhos de Medéia, Jasão se apaixona pela filha do rei Creonte e abandona sua mulher, que para se vingar, mata os três filhos e envia para a rival um manto que se incendeia, matando-a.

 

Os contos de Canterbury (1972)

Na Idade Média, o escritor Geoffrey Chaucer ouve e anota várias histórias, engraçadas e eróticas, contadas por peregrinos que se dirigem à catedral de Canterbury. Prazer, alegria, a celebração do sexo e do corpo e de suas satisfações imediatas permeiam as histórias destes peregrinos que em sua jornada passam longas noites acordados.

 

As mil e uma noites (1974)

Um jovem se apaixona pela escrava que o escolheu como mestre, mas ela é raptada e ele parte a sua procura. Em meio a sua longa busca, irá se deparar com muitos outros personagens envolvidos em uma trama de traições, cobiças e desejos.

 

Mamma Roma (1962)

Mamma Roma é uma prostituta de meia-idade que deseja mudar de vida e de classe social, para assim voltar a viver com o filho Ettore, o qual não se interessa por estudos ou trabalho e leva uma vida em meio a arruaças com os amigos. O passado, entretanto, bate à porta de Mamma e passa a atormentá-la, mostrando que um recomeço pode ser inalcançável.

 

Édipo Rei (1967)

Édipo, quando nasce, é abandonado para morrer, mas um pastor o salva e entrega aos reis de Corinto, que o consideram um presente dos deuses. Já na juventude, é levado a questionar sua origem e decide consultar o Oráculo de Delfos, que lhe revela seu destino “inevitável”: matar o pai e se deitar com a mãe. Sem rumo, caminha, angustiado, por uma estrada, até se deparar com o rei Laio, com o qual se desentende e o mata. Chegando em Tebas, encontra uma cidade em ruínas devido à maldição da Esfinge. Édipo, derrotando-a, torna-se o herói local e casa com a rainha Jocasta.Entretanto, com o tempo, a população começa a adoecer, o caos se instala e todos imploram que Édipo os salve mais uma vez. Consultado o Oráculo, é revelado que o mal está entre eles: o assassino do rei Laio. Começa a busca pelo mal-feitor, até que o cego Tirésias o adverte que ele é a própria causa de tudo. A princípio indignado, é obrigado a investigar e descobre que o seu destino se havia cumprido. Jocasta, desesperada, se enforca e Édipo fere os próprios olhos, não querendo mais enxergar sua realidade no exato momento em que a descobre.

 

Gaviões e passarinhos (1966)

Pai e filho, ambos trabalhadores proletários, empreendem uma viagem, acompanhados e orientados por um corvo falastrão.  A jornada é marcada por discussões que debatem a ideologia do socialismo

Imagem de Gaviões e passarinhos

Lembre-se que os filmes podem ser assistidos nas cabines individuais da Biblioteca e, a partir de 2 pessoas, também é possível utilizar a sala de vídeo. Aqueles que possuem vínculo com a USP também podem levar o material para assistir em casa.

Algumas referências sobre Pasolini:

DIÁLOGO com Pasolini. São Paulo : Nova Stella : Instituto Italiano di Cultura : EDUSP, 1986. 791.430945 P283d e.1 a 3

LAHUD, Michel. A vida clara: linguagens e realidade segundo Pasolini. Campinas: : Editora da Unicamp; São Paulo: Companhia das Letras, Campinas, SP : Editora da Unicamp, 1993 São Paulo, SP : Companhia das Letras. .

NAZÁRIO, Luiz. Pier Paolo Pasolini. São Paulo : Brasiliense, 1986. 791.430945 P283n e.1 e 2

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: