Explorando o acervo: biografias

Este post é um convite para incursões por obras do acervo que trazem a vida e obra de pessoas que, com suas trajetórias, marcaram seus campos de atuação.

Histórias de canções: Chico Buarque. Autoria: Wagner Homem.

O autor queria reunir em um livro as histórias mais interessantes que estão por trás de algumas das mais destacadas composições de Chico Buarque. Na medida em que registrava, sentia a necessidade de contextualizar cada uma delas, mostrar em que momento da história do Brasil e da música popular brasileira as obras foram compostas. Foi assim que tomou corpo esse livro que nos coloca em contato com um dos artistas mais destacados de nossa cultura.

 

Vianinha: teatro, televisão, política. Organização: Fernando Peixoto

Fragmentos representativos do pensamento de Oduvaldo Vianna Filho sobre teatro, televisão e política. Vianninha levou para o palco questionamentos fundamentais da realidade brasileira, escrevendo sobre o homem simples, trabalhador, num momento em que o palco era, também, território de batalha contra a opressão e a ditadura, conforme exposto na obra em questão.

 

El enigma Almodóvar. Autoria: Jean-Max Méjean

Uma obra chave para adentrar no mundo particular de um dos grandes diretores do cinema.

 

Dina Sfat: retratos de uma guerreira. Autoria: Antonio Gilberto

Por meio de fotos apresenta a trajetória da atriz, levando o leitor a conhecer, também,  um pouco da história cultural de nosso país.

Gianfrancesco Guarnieri: um grito solto no ar. Autoria: Sérgio Roveri

Autor e ator de Eles não usam black-tie, Guarnieri entrou para a história do teatro por exibir a realidade de um tipo de herói que até então era pouco afeito às encenações: o homem do povo, com tudo que podia reunir de mais sublime e mais mesquinho. Porta-voz dos pobres, favelados, operários, malandros sedutores, comunistas, prostitutas, grevistas e mais uma infinidade de figuras marginalizadas às quais ele deu centralidade no palco.

Nelson Rodrigues: da palavra à imagem. Autoria: Joel Cardoso

Para enveredar pelos percursos da obra de Nelson Rodrigues que continua a ‘esbofetear a hipocrisia burguesa, humana, demasiado humana’, conforme indica o prefácio da obra.

Humberto Mauro: o pai do cinema brasileiro. Autoria: André Di Mauro

Biografia romanceada sobre vida e obra de Humberto Mauro, pioneiro do cinema brasileiro.

Vale tudo: o som e a fúria de Tim Maia. Autoria: Nelson Motta

A partir de pesquisas e da convivência com Tim Maia, Nelson Motta apresenta, no ritmo do rei do samba-soul, a sua história de som, fúria e gargalhadas.

Piolin: o corpo e a alma do circo. Autoria: Walter de Sousa Junior

Aberlardo Pinto Piolin foi personagem ambíguo, de intensa personalidade artística e de inacreditável timidez pessoal, indiscreto e eloquente sob a pintura, mas recolhido e silencioso na vida pessoal, amigo de intelectuais e de circenses comparados a Chaplin e a Chicharrão, com uma comicidade tanto grotesca quanto contemporânea.

 

Para consultar disponibilidade e localização dos itens acesse www.dedalus.usp.br  e aproveite para explorar nosso catálogo em busca de conhecer outras vidas e obras.

Para realizar pesquisas por biografias em nosso acervo, confira orientações nesse outro post.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: