Doações de reservas técnicas

Bolsistas da FAPESP e CNPq, quando recebem verba para adquirir livros e outros materiais necessários à realização de suas pesquisas, devem entregá-los às suas bibliotecas após a conclusão do trabalho. Dessa forma, o investimento público feito para aquele pesquisador poderá ser usufruído por outros.

As reservas técnicas dos pesquisadores são uma forma importante de manter atualizado o acervo das bibliotecas universitárias, sobretudo nessa época de verbas magras.

No decorrer deste angustiante ano de 2020, recebemos:

  1. Bolsista Ísis Biazioli de Oliveira (orientador: Prof. Dr. Mário Videira)

SAFFLE, M; DALMONTE, R. (orgs). Liszt and the birth of Modern Europe: music as a mirror of religious, political, cultural and aesthetic transformations (Franz Liszt Studies Series)
LISZT, F; RAMANN, L. Gesammelte Schriften, v.1.
KREGOR, J. Program music.
WEGNER, S. Symphonien aus dem Geiste der Vokalmusik: Zur Finalgestaltung in der Symphonik im 18. und frühen 19

capa de livro

2. Projeto “Representações da mulher caipira no cinema brasileiro: Amélia (2000), de Ana Carolina, e Uma Vida em Segredo (2001), de Suzana Amaral”. Bolsista: Erika Amaral Pereira (orientador Prof. Dr. Eduardo Morettin)

Teoria feminista: da margem ao centro, de Bell Hooks
Os parceiros do Rio Bonito, de Antonio Candido
Irmã outsider, de Audre Lorde
Nova história do cinema brasileiro, v. 1 e 2, de Fernão Pessoa Ramos
Interseccionalidade, de Carla Akotirene
Imagens da mulher no Ocidente moderno, de Isabelle Anchieta
Mulheres de cinema, organização de Karla Holanda
Feminino e plural, organização de Karla Holanda
Mulheres atrás das câmeras, organização de Luisa Lusvargi e Camila Vieira da Silva
Pensamento feminista hoje: perspectivas decoloniais, organização de Heloísa Buarque de Hollanda
Corpos que importam, de Judith Butler
Políticas do sexo, de Gayle Rubin
E eu não sou uma mulher? Mulheres negras e feminismo, de Bell Hooks
Olhares Negros: raça e representação, de Bell Hooks
Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil, de Sueli Carneiro

3. Projeto “Estética, ética e semiótica do homoerotismo pós-HIV/AIDS: Contribuições comunicacionais e semiopsicanalíticas para a saúde publica a partir do consumo digital da pornografia amadora”. Bolsista: Renato Gonçalves Ferreira Filho (orientadora: Profa. Dra. Maria Clotilde Perez). Recebemos 98 títulos, entre os quais:

A elite do atraso: da escravidão à Lava-jato, de Jessé Souza
A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço, de Pierre Lévy
A potência feminista, ou o desejo de transformar tudo, de Verónica Gago
A razão africana: breve história do pensamento africano contemporâneo, de Muryatan S. Barbosa
A sexualidade nas ciências humanas, de Maria Andrea Loyola
A sublimação: uma erótica para a psicanálise, de Érik Porge
A transformação da intimidade: sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas, de Anthony Giddens
A vítima tem sempre razão? Lutas identitárias e o novo espaço público brasileiro, de Francisco Bosco
AIDS anunciada: a publicidade e o sexo seguro, de Josi Paz
Anseios: raça, gênero e políticas culturais, de Bell Hooks
Arqueofeminismo: mulheres filósofas e filósofos feministas séculos XVII -XVIII, de Maxime Rovere
As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática, de Pierre Lévy
Bovarismo brasileiro, de Maria Rita Kehl
Cacofonia das redes, de Lucia Santaella
Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva, de Silvia Federici
Caro Dr Freud. Respostas do século XXI a uma carta sobre homossexualidade. Gilson Iannini
Cibercultura, de Pierre Lévy
Cidadania: um projeto em construção: minorias, justiça e direitos, de André Botelho e Lilia Moritz Schwarcz
Crítica da razão negra, de Achille Mbembe
Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil da colônia à atualidade, de João Silverio Trevisan

Como a Biblioteca ainda está fechada, devido à pandemia, e os funcionários estão trabalhando apenas de forma remota, vai demorar um pouco mais do que o habitual para esse material ser catalogado, registrado no Dédalus. Mas, assim que reabrirmos, o empréstimo será possível.

É importante lembrar que a entrega dos livros da reserva técnica é obrigatória. São compras feitas com verbas públicas, e os órgãos financiadores exigem que esses acervos fiquem nas bibliotecas das instituições. Além de ser justo, é um excelente serviço que os bolsistas, seus orientadores, FAPESP e CNPq prestam para a Universidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: