II Forum de Bibliotecas de Arte no CBBD

14/10/2019

Marina Macambyra, bibliotecária da nossa equipe, apresentou um trabalho no II Forum de Bibliotecas de Arte, evento paralelo ao XXVIII Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação (2019), realizado em Vitória – ES.

O trabalho, intitulado Objetos artísticos em bibliotecas de arte: a experiência da Biblioteca da ECA/USP, foi escrito em coautoria com as bibliotecárias Sarah Lorenzon Ferreira e Alessandra Vieira Canholi Maldonado.

Alessandra e Marina no CBBD 2019

 

Sua participação teve apoio da Comissão do Programa Permanente de Qualidade e Produtividade da ECA/USP (Proqual), que aprovou o pagamento da inscrição e diárias com os recursos do Programa.

Publicamos, a seguir, seu relatório de participação.

 

Organizado pela Rede de Bibliotecas e Centros de Informação em Arte no Estado do Rio de Janeiro, o II Forum foi aberto pela palestra de Ana Bugnone, da Universidad Nacional de La Platal Argentina, seguida pela apresentação dos trabalhos orais e pôsteres dos profissionais e estudantes participantes.

A excelente palestra de abertura,  Accesibilidad y democratización da la información em arte: los archivos de artistas, teve alguns pontos de contato interessantes com o trabalho que realizamos aqui na ECA, pautado pela vontade de divulgar, exibir e dar acesso aos trabalhos de artistas da forma mais ampla e democrática possível. Bugnone faz algumas recomendações sobre projetos de digitalização de arquivos de artistas, das quais destaco três que se enquadram perfeitamente nos princípios adotados pelo nosso projeto da Biblioteca Digital da Produção Artística:

A documentação disponível online de conter: uma descrição e uma “vizinhança” (conceito de Aby Warburg) entre documentos que formam parte da mesma série.

Aceitar que a maior acessibilidade e a digitalização implicam uma perda do poder de interpretação única dos documentos.

Considerar que uma maior acessibilidade de informação sobre a arte e dos arquivos em particular é uma forma de democratização a cultura.

Os trabalhos apresentados ao II Forum, bastante heterogêneos quanto à temática, apresentaram uma amostra interessante da situação dos acervos da área no país e do nível desigual de qualidade dos serviços. Mais uma vez, como já ocorreu em outros eventos dos quais participei, pude constatar, sem falsa modéstia, o quanto é original e relevante o trabalho que fazemos na Biblioteca da ECA, e o quanto devemos nos esforçar em divulgá-lo entre os colegas da área.

Nosso trabalho abordou três projetos em andamento, todos pautados pela ideia central de divulgar, valorizar, tratar e democratizar o acesso aos trabalhos de arte originais que mantemos em nosso acervo:

Organização da coleção de livros de artista

Revisão dos critérios de circulação e armazenamento dos trabalhos acadêmicos de arte

Criação da Biblioteca Digital da Produção Artística da ECA/USP

Ressalto, ainda, que além da divulgar o trabalho da nossa biblioteca, minha intenção era provocar, com esse trabalho, o início de uma discussão, entre as bibliotecas da área, sobre o tratamento de originais de arte, visto que recebemos informações sobre uma suposta recusa das bibliotecas em receber trabalhos com essas características gerados nos cursos de graduação e pós-graduação. Se isso for fato – e estou realizando uma pesquisa para verificar – é importante que nossa biblioteca leve às demais sua experiência e mostre que sim, é possível tratar essas coleções no âmbito das bibliotecas. Além de contribuir para democratizar o acesso a obras de arte geradas no ambiente acadêmico, aceitar esse desafio é uma forma de continuar fazendo sentido para a comunidade, quando atendemos um público do formado por artistas ou pessoas interessadas em arte de uma forma geral.

Merece destaque, pela relevância, o trabalho Desenvolvimento de vocabulários controlados para obras culturais: a Pinacoteca de São Paulo e o Getty Research Institute: relato de experiência, de Isabel Cristina Ayres da Silva Maringelli. A equipe da Biblioteca da ECA também participa de um trabalho nessa área, juntamente com a colega da Pinacoteca e outros integrantes da Rede de Bibliotecas e Centros de Informação em Arte de São Paulo – REDARTE-SP. Além disso, uma das atividades previstas no projeto da Biblioteca Digital da Produção Artística da ECA/USP é enviar ao Union List of Artist Names do Getty a biografia sucinta dos artistas formados pela ECA que ainda não está lá cadastrados. A biblioteca da Pinacoteca já enviou os dados de boa parte dos artistas brasileiros, nosso levantamento vai ajudar a completar o quadro.


Divulgação de teses e dissertações defendidas na ECA

12/11/2018

As pesquisas desenvolvidas nos cursos de pós-graduação da ECA constituem avanços científicos nas áreas de Comunicação, Informação e Artes e, consequentemente, para a sociedade brasileira na medida em que podem contribuir ao desenvolvimento econômico, social e cultural do país.

Para contribuir ao processo de comunicação dos resultados das pesquisas realizadas na pós-graduação da ECA, a Biblioteca lança um novo serviço: a divulgação de teses e dissertações em nosso blog. Nossa proposta é realizar uma divulgação em linguagem simples para atingir um público que não é, necessariamente, da área. Será todas as quartas-feiras, conforme o fluxo de recebimento dos trabalhos.


Portanto, caso você tenha defendido sua tese ou dissertação na ECA e tenha interesse em ampliar o alcance de divulgação do seu trabalho, acesse nosso site e preencha o formulário com as informações solicitadas.

* Essa ação foi inspirada no Nexo acadêmico.


Trabalhos acadêmicos e seus formatos

08/12/2014

Fomos convidados a participar do 4º Seminário de Pesquisas em Andamento, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da ECA/USP, cedendo alguns trabalhos acadêmicos de nosso acervo para a realização de uma exposição no encerramento do evento, no dia 29 de Novembro de 2014.

O Seminário foi organizado por um grupo de alunos do Programa, sob a responsabilidade da Profa. Dra. Elisabeth Lopes, e teve como objetivo “criar um espaço de troca de experiências entre pesquisadores das Artes Cênicas (e áreas afins) para ampliar a difusão das pesquisas em andamento e recém-concluídas na área”. A ideia de mostrar teses, dissertações e trabalhos de conclusão de curso com formatos especiais surgiu a partir da exposição Trabalhos de Arte, organizada pela Biblioteca da ECA no início de 2014, talvez a primeira mostra que apresentou ao público esse segmento tão particular da produção intelectual da Escola representada no acervo.

Os mestrandos Umberto Cerasoli e Nádia Satie, da comissão organizadora do evento, selecionaram para exposição os seguintes trabalhos:

BUENO, Luciana
Muito além da caixa cênica : a realização cenográfica contemporânea na cidade de São Paulo
Dissertação (Mestrado) – 2007
Orientador: RAMOS, Luiz Fernando
Localização: t792.025 B928m

CALLAS, Marcelo Girotti
O traje de cena como documento : estudo de casos de acervos da cidade de São Paulo / Marcello Girotti Callas.
Dissertação (Mestrado) – 2012
Orientador: VIANA, Fausto Roberto Poço
Localização: t792.026 C156t

GRINFELD, Fanny
Framboesas e cerejas
Tese (Doutorado) – 2003
Orientador: FAJARDO, Carlos Alberto
Localização: t709.8104 G867f

KAGUEYAMA, Flávia Adriana Ferreira
Poligrafias / Flávia Adriana Ferreira Kagueyama.
TCC, 2012.
Orientador: OLIVEIRA, Branca
Localização: TC2870

LIMA, Mariana Marcondes de
Projeto 1 : para um mergulho ; Projeto 2 : trafego entre o vazio do corpo
TCC, 2000.
Orientador: BUTI, Marco Francesco
Localização: TC376

LUCAS, Constança Maria Lima de Almeida, 1960-
Imagem e palavra
Dissertação (Mestrado) – 2007
Orientador: OLIVEIRA, Branca Coutinho de
Localização: t702.81 L933i

MASUKO, Wallace Vieira
HRMD : R / Wallace Vieira Masuko
Dissertação (Mestrado) – 2012
Orientador: Carlos Fajardo
Localização: t709.73 D826m

PELED, Yiftah
DTEEP dinâmicas e trocas entre estados de performance
Tese (Doutorado) – 2013
Orientação: TAVARES, Ana
Formato: 2 v (caixas) il.
Localização: t709.04074 P381d

PIMENTA, Rodrigo D’Avila
Móbil : cultura visual em movimento
TCC, 1998
Localização: TC3033

ROJAS, Yili Maria
Cadernos de partida
Dissertação (Mestrado) – 2010
Orientador: MUBARAC, Luiz Claudio
Localização: G t702.81 R741c

ZAMARIOLI, Débora
Cartografia de um corpo em cena : extração e codificação de matrizes corporais através do método Body Mind Centering
Dissertação (Mestrado) – 2009
Localização: t792.028 Z23c

Durante a exposição o público foi convidado a interagir com os trabalhos, manuseá-los e descobri-los. O interesse foi grande, com muitos buscando inspiração para enriquecer seu próprio trabalho.

foto: Nádia Satie

foto: Nádia Satie

foto: Nádia Satie

foto: Nádia Satie

Todos os trabalhos expostos, e muitos outros com características semelhantes, aguardam sua visita na Biblioteca da ECA.


Trabalhos de Arte

24/02/2014

Existe um pensamento visual? Não sei se esses Trabalhos de Conclusão de Curso, Mestrados e Doutorados, desenvolvidos na Graduação e Pós-graduação dos cursos de Artes Visuais respondem a essa pergunta. Mas, sendo uma pequena parcela do que nossos alunos têm feito nas últimas décadas, demonstram que o visível não se limita ao legível e que a visualidade é uma forma particular de articular nossa experiência frente ao mundo, contribuindo assim para melhor analisarmos as diferentes naturezas dos discursos, dos raciocínios e sensibilidades.

O texto do professor Claudio Mubarac abre caminho para refletirmos sobre os trabalhos acadêmicos da exposição Trabalhos de arte, que a Biblioteca da ECA apresenta entre os dias 17 de março e 17 de fevereiro. 

Não são apenas textos, são fotografias, cadernos de desenhos, gravuras, caixas de madeira, saquinhos cheios de sementes ou mel. Objetos atraentes  que podem ser tocados e manuseados à vontade, porque fazem parte do acervo de uma biblioteca.  Nessa exposição, para usar as palavras “roubadas” à autora da tese Framboesas e cerejas, a interatividade é permitida.

Veja a lista completa das obras expostas (e mais algumas):

Exposição Trabalhos de Arte

Este slideshow necessita de JavaScript.


Filmes da ECA no IPTV

01/04/2013

O professor Almir Antonio Rosa, do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA/USP, está coordenando um projeto de digitalização e divulgação dos filmes produzidos pelos alunos do curso de Audiovisual no IPTV.

A partir de um levantamento inicial realizado na base de dados da Biblioteca, já estão disponíveis para visualização os seguintes filmes:

A João Guimarães Rosa  – Direção: Marcello Tassara, 1969

Abismo – Direção: Sílvia Hayashi, 1998

Antes que seja tarde – Direção: André Queiroz, 2006

Cidade do tesouro – Direção: Célio Franceschet, 2008

Cigano – Direção: Eduardo Mattos, 2008

Contos de obituário : Mulher de bandidoEscritórioSopa – Direção: Ricardo Mordoch, – 2009

O desenho inacabado – Direção: Rosemery Saçashima, 1998

Eletrotorpe – Direção: Nalu BÉCO e Yuri AMARAL, 2008

A escada – Direção: BARCINSKI, Philippe – 1995 (DVD0382, XDVD0370)

Espalhadas pelo ar – Direção: Vera Egito, 2007

A estória da figueira – Direção: Júlia Zakia, 2006

Fim de semana sim – Direção: Miriam Ritton Magami e Vinicius Toro, 2009

Fuzarca no paraíso – Diretor: Regina Rheda, 1981 a 1982

A guerra de Arturo – Diretor: Júlio Taubkin e Pedro Arantes, 2009

A história de Angelo – Diretor: Diogo Cronenberger, 2009

O lençol branco – Direção: Juliana Rojas e Marco Dutra, 2004

Mais uma noite – Direção: Luís Eduardo Amaral e  Pedro Morelli, 2009

O malvindo – Direção: Régis Approbato, 1998

Noturno – Direção: Daniel Salaroli, 2004

Nuvens – Direção: Daniel Grinspum, 2008

O presidente – Direção: Luiza Favale, 2009

Projeto trapézio – Direção: Marília Fredini Alves, 2011

Romance .38 – Direção: Vitor Brandt e Vinícius Casimiro, 2008

Santa chuva – Direção: Rafael Salomão Cruz, 2007

Shpluph – Diretor: César Cabral, 1998

Velhas Virgens: atrás de cerveja e mulher – Direção: Ângelo Ravazi, 2009

No acervo da Biblioteca há cópias em DVD de todos esses filmes, que podem ser emprestadas. Verifique, pelo Dédalus ou Busca Integrada, se estão disponíveis.


A Biblioteca Digital da Produção Intelectual da USP: um novo caminho

29/10/2012

No dia 22 de outubro, durante o Simpósio Internacional sobre Rankings Universitários e Impacto Acadêmico na Era do Acesso Aberto, foi oficialmente apresentada à comunidade acadêmica a Biblioteca Digital da Produção Intelectual da USP (BDPI).

Esse novo serviço tem como objetivo principal aumentar a visibilidade da produção acadêmica da Universidade e tornar público e acessível o conhecimento gerado pelas pesquisas aqui desenvolvidas. Para alcançar esses objetivos, a BDPI permite o arquivamento não apenas de informações referenciais sobre a produção, como já fazem o Banco de Dados Bibliográficos da USP e a plataforma Lattes, mas dos documentos com seu texto completo.

Esse recurso não vai, de forma alguma, ferir os direitos dos autores e editores, pois o próprio docente definirá a forma de acesso aos seus artigos e outros trabalhos: aberto, restrito ou fechado. Dessa forma, o professor pode ter seus trabalhos na BDPI mesmo sem o acesso ao texto completo, se assim o decidir. A vantagem disso, além da visibilidade, é a garantia da preservação desses arquivos, pois a BDPI tem, entre suas diversas funcionalidades, a preservação digital.

Outro aspecto interessante da Biblioteca Digital é a possibilidade de acesso às estatísticas de uso, ou seja, o autor pode acompanhar a quantidade de acessos aos seus trabalhos de forma muito rápida e simples. E como o conteúdo da BDPI é recuperado pelo Google, espera-se que os documentos nela depositados tenham muitos acessos.

Nesse momento inicial a BDPI tem como conteúdo os artigos coletados pela equipe do Departamento Técnico do SIBiUSP nos portais Scielo e Web of Science referentes ao período 2008 a 2011 e os trabalhos do ano de 2011 cadastrados pelas quatro bibliotecas que participaram do projeto piloto, entre as quais a Biblioteca da ECA.

O próprio autor poderá, se assim o desejar, cadastrar e fazer upload de seus trabalhos na BDPI, pois o sistema é baseado no princípio do autoarquivamento, procedimento que agiliza a divulgação dos trabalhos. Naturalmente, se o professor preferir, os bibliotecários de sua unidade poderão se encarregar da tarefa. O cadastramento rotineiro da produção na Biblioteca Digital deverá começar em 2013, após a elaboração de manuais e capacitação das equipes bibliotecárias e dos próprios autores.

Futuramente a BDPI deverá incluir, além de outros tipos de publicações impressas, a produção artística e audiovisual dos nossos professores. A Biblioteca da ECA está trabalhando, junto à equipe do DT-SIBi, na definição da estrutura e características principais de uma biblioteca digital para produção audiovisual, sob orientação do professor Eduardo Morettin.

Em 2010 fizemos uma pesquisa sobre o tema “acesso aberto” entre os docentes da ECA/USP, cujo resultado foi divulgado no post Panorama do acesso na ECA. Na ocasião, todos os professores que responderam ao questionário acreditavam que o acesso aberto é uma forma de dar visibilidade à suas pesquisas e afirmavam que publicariam sua produção numa publicação de acesso aberto. Por esse motivo, acreditamos que a Biblioteca Digital da Produção Intelectual tem tudo para ser um sucesso em nossa Escola.

Resolução da USP nº 6.444, de 22-10-2012

Acesso Aberto na USP

Semana Internacional do Acesso Aberto na UNAM

Gabinete de Projetos Open Access dos SDUM

Open Access Week

Wiki Acceso Abierto


Publicações da Biblioteca

22/10/2012

Hoje fazemos uso das redes sociais, blog e site para divulgar a biblioteca e seus produtos. Mas não é de hoje que temos a preocupação de divulgar as novas aquisições, a produção bibliográfica das áreas de interesse da Escola, as publicações que interessam ao nosso público. A maior parte das publicações que produzimos no passado eram bibliografias, catálogos, guias, boletins.

Algumas dessas publicações eram produzidas em coautoria com outras instituições, alguns dos parceiros foram o Museu Lasar Segall, a Sociedade Brasileira de Música Contemporânea, a Federação Paulista de Conjuntos Corais.

As bibliografias tinham como objetivo manter os pesquisadores atualizados com o que se publicava nas áreas de interesse da Escola, os títulos dessas publicações deixam bem claro isso: Bibliografia Brasileira de Comunicação, Bibliografia da Dramaturgia Brasileira, Catálogo de Teses, Boletim de Documentação Musical etc..

Outras publicações buscavam principalmente divulgar o acervo: Catálogo do Serviço de Difusão de Partituras, Catálogo de filmes produzidos pela ECA, Sumários de Periódicos de Música, Sumários de Periódicos de Biblioteconomia e Sumários das demais áreas da Escola, publicações que chegaram a ter uma versão eletrônica acessível pelo antigo site da Biblioteca. As nossas lista de novas aquisições, hoje publicadas no blog, também já eram feitas.

O Boletim de Documentação Musical tinha por objetivo “noticiar a produção e as atividades musicais brasileiras”, era parte de um esforço que a Biblioteca desenvolvia na área de música. Mais tarde esse boletim fundiu-se ao Caderno de Música, que publicava artigos de pesquisadores da área e era publicado pela Federação Paulista de Conjuntos Corais.

Também foram produzidas bibliografias sobre autores específicos. O já citado Boletim de Documentação Musical era suplementado por catálogo de obras de compositores, por ex.: Camargo Guarnieri, Armando Albuquerque, Bruno Kiefer etc.

Algumas dessas publicações eram periódicas, outras foram preparadas em função de algum evento ocorrido na Escola, em homenagem a um artista ou simplesmente para atender demanda relacionada a determinado assunto que estivesse despertando interesse entre os pesquisadores. Vejam alguns títulos:

Bibliografia Comentada da Telenovela Brasileira (edição preliminar)

Bibliografia sobre a Classificação Decimal de Dewey

Bibliografia sobre Aplicações da Computação às Áreas de Comunicações e Artes.

Bibliografia sobre Comunidade e Jornalismo Comunitário.

Homenagem a Villa-Lobos – dez peças para piano

Homenagem a Henrique Oswald – oito peças para piano

Esses trabalhos de documentação tiveram a preocupação adicional de envolver a comunidade, como ocorreu na publicação Gláuber Rocha: bibliografia, de 1984,  cuja capa foi escolhida a partir de um concurso promovido pela Biblioteca e vencido por um estudante de cinema.  Em seu seu texto de abertura para essa bibliografia, Teixeira Coelho escrevia:

Quanto mais se apresentam projetos de preservação, menos se preserva. Talvez essa seja uma lei perversa sobre as relações entre pesquisa e preservação. Ou talvez seja uma lei que só tenha validade aqui, entre nós. Glauber escapará dessa maldição, através das brechas abertas pela Cinemateca Brasileira e outras, como esta construída pela Biblioteca da ECA. E quem pode dormir somos nós; sabemos que quando acordarmos poderemos consultar tudo isso. Ou que podemos consultar tudo isso para podermos acordar.

Entre 1987 e 1989  editamos o Biblioteca Informa, um pequeno e extremamente despretensioso boletim semanal, no qual eram publicadas listas de novas aquisições, divulgação de serviços e notícias diversas. A publicação, feita com recursos da própria Biblioteca, era tão simples e caseira que provocou em nosso diretor na época, professor Walter Zanini, o seguinte comentário:

“Tudo bem, meninas, eu gosto de arte povera, mas isso aqui é demais …”.


%d blogueiros gostam disto: