Filmes

DVDs catalogados em outubro de 2016

Abdias Nascimento
Bola, Fernando
Brasil, 2011, 38min20

Abdias Nascimento foi um dramaturgo, pintor, escritor, professor, deputado e senador da República. Em 1944, Abdias criou o Teatro Experimental do Negro. Na época, uma iniciativa totalmente insólita que tentava promover a inclusão de atores, diretores e autores negros. Dessa experiência revolucionária sairiam grandes nomes da dramaturgia brasileira, como Léa Garcia e Ruth de Souza. Mas essa é só uma das várias frentes de luta de uma vida toda dedicada à militância pelos direitos dos negros. Como parlamentar, Abdias Nascimento apresentou diversos projetos para reduzir a desigualdade racial. É dele o primeiro projeto de lei propondo ações compensatórias como políticas públicas de igualdade racial. No cenário político, Abdias figura como um dos expoentes do PDT, vinculado ao partido e ao seu criador, Leonel Brizola, desde as primeiras conversas para criação da legenda, ainda no exílio. No documentário, baseado no último grande depoimento gravado por Abdias, também estão contadas histórias de uma trajetória difícil, que inclui prisões e perseguição na época da ditadura. Ao mesmo tempo, Abdias rememora passagens engraçadas, como as confusões do tempo em que esteve no Exército, na década de 1930, e as viagens do grupo de poetas que se intitulava Santa Hermandad Orquídea pela América Latina. (Fonte: TV Câmara)

Ativismo – Brasil; Negros – Brasil; Cultura afro-brasileira; Política – Brasil; Teatro – Brasil; Teatro Experimental do Negro – TEN (companhia teatral); Ativistas políticos; DVD3794

Acossada
Black, Karen; Akeman, Karen
Brasil, 2006, 7 min

Francesinha perdida no Rio de Janeiro se depara com gangue de mafiosos do cinema nacional. E agora, quem poderá salvá-la? (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Jovens; Gangsteres; Rio de Janeiro (Cidade / Brasil); DVD3831

Alma nua
Marins Jr., Helvécio
Brasil, 2003, 6 min

A luz e a escuridão, sons e imagens que aguçam os sentidos. O silêncio irrompido por barulhos num ambiente no qual a natureza reina. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Vídeo experimental; DVD3838

Amar…
Gregório, Carlos
Brasil, 1997, 23min

Uma comédia sobre um assunto triste: o amor não correspondido. Frederico, que amava Laura, que amava Joana, que amava Raimundo, que amava Lídia, e assim por diante… Um assunto que todos nós, infelizmente, já conhecemos. (Resumo retirado do folheto).

Casais; Século 20 – Década de 90; DVD3830

Aqueles dias
Nasr, Gustavo
Brasil, 2004, 9min56

A história de Paulo e Camila contada através de seu baú de fotografias. (Resumo retirado do folheto)

Casais; Relações conjugais; DVD3839

Arpoador
Ramos, Fernanda
Brasil, 2005, 03min47

Um dia no Arpoador contado por meio de fotografias (Resumo retirado do folheto).

Rio de Janeiro (Cidade / Brasil); Praias; Arpoador; Cinema experimental; DVD3839

Artesanato do cerrado
Reys, Marcya
Brasil, 2011, 6min00

Os artesãos de Planaltina, cidade do Distrito Federal, transformam flores e folhas secas do cerrado em lindos arranjos ornamentais, ao mesmo tempo em que ajudam a preservar o bioma. (Fonte: TV Câmara)

Artesanato – Brasil – Planaltina (DF); DVD3789

Artigo feminino
Brito, Maira
Brasil, 2007, 29min35

Para registrar a relação das mulheres com a política cotidiana, a equipe da TV Câmara viajou pelo país para encontrar personagens que, mesmo vivendo realidades muito diferentes, alimentam a vontade de mudar o país. Elas estão cada vez mais ativas nos sindicatos. São presença maciça nos movimentos sociais e nas discussões dos orçamentos participativos. Querem fazer uma política diferente e ocupar mais espaços de representação. As tentativas de mudança estão por toda parte, como mostram a trabalhadora rural do interior do Ceará, dona Francisca, e a costureira Nelsa Nespolo, da periferia de Porto Alegre. Há também o exemplo da Maria da Penha, que dá nome a Lei de enfrentamento à violência contra a mulher. Em Pernambuco, um grupo de teatro de rua combina arte e política. Assim como as jovens feministas de São Paulo. No campo da representação, temos o exemplo da primeira negra senadora da República, a carioca Benedita de Silva. E da primeira mulher prefeita de São Paulo, a atual deputada federal Luiza Erundina. E jovens que almejam alcançar cargos de poder, seguindo o exemplo da governadora Yeda Crusius. Esses e outros olhares incentivam mais pessoas a se engajarem pela mudança social. As mulheres não querem lugares privilegiados. Querem fazer diferente. E querem direitos iguais. (Fonte: TV Câmara)

Mulheres; Política; DVD3818

Auf der suche nach einer praktisch-realistischen haltung
KLUGE, Alexander, 1932-
Alemanha, 1983, 12 min

Na época da guerra fria, um homem na Alemanha faz projetos para se proteger em uma eventual terceira guerra mundial.

Guerras; Aeronaves; Pilotos de aeronaves; DVD2095, DVD3734

Bebel, garota propaganda
Capovilla, Maurice, 1936-
Brasil, 1967, 107 min

Saída de bairro pobre de São Paulo, uma garota propaganda procura a fama na publicidade e na televisão através de ligações amorosas com um jornalista, um ricaço, um produtor de TV e um publicitário: ascende na carreira mas logo decai, é negada pela família e não consegue manter seu amor por um estudante politizado. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Manequins e modelos; Publicitários; Milionários; Anúncios – Televisão; Propaganda; Mulheres; Prostituição; São Paulo (Cidade / Brasil); Século 20 – Década de 60; DVD3826

Behemoth
Gananian, Carlos G.
Brasil, 2002, 6 min

Um estranho ritual de magia negra acaba tornando-se um pesadelo de conseqüências desastrosas para um fiel orador. (Fonte: Porta Curtas).

Ritual de magia; Demônios; Ambientes fechados; DVD3840

Brasília: projeto capital
Schmidt, Frederico
Brasil, 2010, 41min35

Brasília: projeto capital faz um passeio no tempo para contar a história do nascimento de uma cidade. Não é por acaso. Brasília é resultado de muita discussão na Câmara dos Deputados. Desde a primeira constituinte, ainda no Brasil Império, até a constituição de 46, a proposta de interiorizar a capital do Brasil esteve presente, defendida inclusive por José Bonifácio, o patriarca da independência. Muitos são os personagensque ajudaram na “construção” de Brasília. Diversos presidentes,deputados e muita discussão ao longo da história. Até chegar o dia em que Juscelino Kubitschek resolve fazer da transferência da capital para o planalto central. A história da mudança contada pelas pessoas que participaram dela: o deputado Carlos Murilo, sobrinho de JK; o deputado Nestor Jost, segundo vice- presidente à época; os jornalistas Villas Boas Corrêa, Carlos Chagas; os servidores Sylvio Vianna, Luciano Brandão, Léa Fonseca, Ada Coaracy, Joel Teixeira; Roberto Menescal, Nelson Pereira dos Santos; e os pioneiros Genésio de Oliveira e Kleber Farias.  (Fonte: TV Câmara)

Brasília (Cidade / Brasil); História do Brasil – Século 20; DVD3800

Caçadores de Saci
Federico, Sofia
Brasil, 2005, 13 min

A chácara da pacata família de Onofre vem sendo assombrada por saci: a pipoca não arrebenta, o ovo não choca, o leite sempre azeda, o feijão vive queimando na panela, entre outros estranhos acontecimentos. Para resgatar a tranquilidade da casa, Onofre contrata os serviços de Valdevino, o maior caçador de sacis do sertão. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Folclore – Brasil; Saci; DVD3836

Cachaça
Beramo, André
Brasil, 2015, 7min56

A cachaça é quase tão antiga quanto o próprio Brasil. Surgiu junto com a introdução da cana-de-açúcar e já nasceu clandestina, pois concorria com o vinho e a bagaceira produzidos em Portugal. De tão popular e consumida, era usada como moeda de troca no comércio de escravos que vinham da África, o que motivou a primeira grande rebelião do Brasil Colônia, a Revolta da Cachaça, em 1660. Já legalizada, foi o primeiro produto produzido no Brasil a ser exportado para a Austrália, então colônia britânica no século XVIII. Apesar de muito apreciada e amplamente consumida, perdeu prestígio a partir do ciclo do café, no século XIX, passando a ser associada ao povão: virou “bebida de ralé”. Só no final do século passado é que passou a ser novamente valorizada pelos brasileiros. Ganhou qualidade e hoje é envelhecida em barris de madeira, igual a outros destilados famosos como uísque e conhaque. Celebrada até em animação dos Estúdios Disney, a cachaça é um dos produtos mais fortemente associados à brasilidade fora do país. (Fonte: TV Câmara)

Bebidas alcoólicas – Brasil; Cachaça; DVD3790

Café
Brito, Fernando
Brasil, 2011, 5min12

Os árabes foram os primeiros a cultivar o café, originário da Etiópia. Por isso, é conhecido como “vinho árabe”. O Brasil é hoje o maior produtor mundial. No início do Século XX, o café se tornou o principal produto da economia brasileira e impulsionou a industrialização do País. Hoje, a qualidade da produção nacional melhorou e o Brasil se tornou o segundo maior consumidor da bebida. Para além dos números, o café faz parte da tradição e da identidade País. O café conquistou o paladar do brasileiro como uma bebida quente, o “cafezinho passado na hora”, mas cresce o número dos apreciadores dos cafés inovadores, como as bebidas geladas, com chocolate ou com álcool. (Fonte: TV Câmara)

Cafeicultura – Brasil; Café; DVD3789

A canga
Vilar, Marcus
Brasil, 2001, 12 min

Num descampado, no meio de uma lavoura seca, o velho Ascenço Teixeira obriga os filhos a colocar nos ombros uma canga de boi. A esposa e a nora também são obrigadas a ajudar no trabalho. Fora de si, o velho perde o controle da situação e a família reage, provocando um desfecho inusitado. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Família; Agricultores; Sertão; Brasil – Nordeste; DVD3829

O canto do mar
Cavalcanti, Roberto, 1897-1982
Brasil, 1953, 87 min

No litoral nordestino, que acolhe migrantes do sertão à espera de viagem para o Sul, o drama de uma família em desestruturação, devido a problemas financeiros e psicológicos motivados pela miséria.(Fonte: Cinemateca Brasileira).

Migração; Migrantes; Nordestinos; Litoral; Brasil – Nordeste; Século 20 – Década de 50; DVD3827

Capoeira
Labarrère, Teresa
Brasil, 2011, 5min46

A capoeira é uma modalidade esportiva muito difundida atualmente no Brasil e no mundo, mas nem sempre foi assim. Considerada um costume bárbaro de negros e proibida pelo Código Penal Brasileiro de 1890, sua prática só foi descriminalizada no ano de 1940, com a elaboração do Novo Código Penal. Hoje, diversas escolas perpetuam essa tradição, segundo linhagens e rituais próprios, que fazem da capoeira uma das expressões culturais mais ricas do Brasil. (Fonte: TV Câmara)

Cultura – Brasil; Capoeira; DVD3789

Carta-mãe
Rodrigues, Gisele
Brasil, 2008, 49min20

Comenta a história constitucional brasileira, desde a Carta de 1824 até a atual, passando pelos diferentes Governos, e recorre a exemplos de outros países, explicando os variados tipos de constituição presentes no mundo contemporâneo. Entre as curiosidades, explica de onde surgiu o termo “Carta Magna” e mostra que a doutrina religiosa ainda se confunde com a constituição em vários países. (Fonte: TV Câmara)

História do Brasil; Constituições – Brasil; Assembléia constituinte – Brasil; DVD3812

Cerâmica
Laquintine, André
Brasil, 2011, 5min28

Quem não tem uma peça de cerâmica em casa? O material, surgido na Idade da Pedra Polida, está intrinsecamente ligado à cultura brasileira. Na história da humanidade, a cerâmica surge inicialmente como ferramenta utilitária para armazenamento e transporte de comida. Nas tumbas dos faraós egípcios foram encontradas várias peças que se referiam à religião. Na China, foi representada pelos Guerreiros de Xian. Hoje, no Brasil, os principais produtores são os estados de Pernambuco, Minas Gerais e Pará. (Fonte: TV Câmara)

Cerâmica – Brasil; DVD3789

Chapeleiros
Cooper, Adrian
Brasil, 1983, 24 min

Rodado em uma fábrica de chapéus do início de século, o filme evoca uma produção industrial opressiva onde a anormalidade se torna normalidade e os detalhes banais do cotidiano se tornam expressões de resistência humana. (Fonte: Curtagora).

Indústrias; Chapéus; Operários; Campinas (Cidade / Brasil); Século 20; DVD3837

O chapéu do meu avô
Zakia, Julia
Brasil, 2004, 28 min

A aproximação entre a documentarista e seu avô, dono da última fábrica de chapéus do Brasil. Entre visitas a velhos chapeleiros, mexericos nas gavetas e armários do avô, roldanas de máquinas antigas e narrações e imagens de histórias passadas, o documentário capta a passagem do tempo, os sentimentos e as sutilezas das relações familiares e das relações construídas na antiga fábrica de chapéu. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Chapeleiros; Indústrias; Chapéus; Família; Avós; Campinas (Cidade / Brasil); Século 21; DVD3837

Chico Mendes: cartas da floresta = Chico Mendes: cartas de la selva
Queiroz, Dulce
Brasil, 2009, 43min38

“Minha vida começou igual a de todos os outros seringueiros: escravo submetido às ordens do patrão. Comecei com nove anos de idade. Em vez de receber as lições do ABC, aprendi a sangrar a seringueira.” É assim, com narração em primeira pessoa, que o documentário da TV CâmaraChico Mendes, Cartas da Floresta revela um lado pouco conhecido do líder seringueiro que morreu em defesa da Amazônia. Cartas, bilhetes e entrevistas mostram como Chico Mendes – criado longe dos bancos da escola – aprendeu a ler, a escrever e se tornou o maior líder seringueiro que o Brasil já conheceu. Além de testemunhar a luta dos seringueiros contra a pressão do latifúndio e a devastação da floresta, os textos revelam detalhes de como era o dia-a-dia de Chico Mendes. A narração das cartas é intercalada com depoimentos atuais, gravados pela TV Câmara na Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre, 20 anos após o assassinato do líder seringueiro. Participam do documentário o escritor e jornalista Zuenir Ventura, a antropóloga Mary Allegretti, seringueiros, amigos e parentes de Chico Mendes, entre eles as filhas Elenira e Ângela. (…) A produção mostra, de forma delicada, como Chico Mendes conseguiu chamar a atenção do Brasil e do mundo para a necessidade de se preservar a floresta, numa época em que as preocupações com o meio ambiente não constavam da pauta política. De sua luta resultou a criação das reservas extrativistas. (Fonte: TV Câmara).

Seringueiros; Ambientalistas; Meio ambiente – Brasil; Proteção ambiental; Amazônia; DVD3810

Cobogó
Bergamo, André
Brasil, 2013, 7min03

Inspirado em elementos da arquitetura colonial, o cobogó surgiu em Pernambuco no final dos anos 1920. Adequado ao nosso clima tropical, disseminou-se na construção civil brasileira nas décadas seguintes. Elemento vazado de estrutura modular, pode ser fabricado em larga escala e com baixo custo de produção. Foi incorporado pelo Movimento Modernista nos anos 1950 e acabou consagrado definitivamente na arquitetura residencial de norte a sul do país, especialmente depois da construção de Brasília. O cobogó garante luminosidade e ventilação a ambientes internos de modo sustentável, e as infinitas variedades de formas e dimensões trazem graciosidade geométrica às construções. Por tudo isso, o cobogó se caracteriza como traço peculiar de um modo de habitar genuinamente brasileiro. (Fonte: TV Câmara)

Arquitetura colonial – Brasil; Elementos vazados; Fachadas; DVD3790

Colheita
Guzmán, Carlos (Carlos Felipe Guzmán Cuberos)
Brasil, 2015, 12min54

Mostra a colheita  de café feita nas ruas de São Paulo nos períodos de maio e julho de 2014 e 2015.

São Paulo (Cidade / Brasil); Século 21; Café; XDVD1436, XDVD1437

Comprometendo a atuação
Bini, Bruno
Brasil, 2006, 17 min

Wallace é um jogador de futebol com um dilema. Aos dezoito anos, tem a chance de ser convocado para um time de primeira divisão. Mas isso vai depender de muito preparo, muita concentração e nada de sexo antes do jogo. (Fonte: PortaCurtas).

Jogadores de futebol; Casais; Cuiabá (Cidade / Brasil); Século 21; DVD3834

Contos da resistência : Estudantes e igreja
Silva, Getsemane; Bacalhao, Guilherme
Brasil, 2004, 29min14

Retrata a atuação de estudantes e da Igreja contra a ditadura militar. Relatos emocionantes de presos políticos e vítimas do regime marcam o documentário. (Fonte: TV Câmara).

Ditadura – Brasil; Resistência ao governo; Movimentos estudantis – Brasil; Igreja católica; DVD3811

Contos da resistência : Imprensa e artes
Silva, Getsemane; Reis, Marcya; Carvalheira, André
Brasil, 2004, 28min45

Trata da resistência nas artes e na imprensa no período da ditadura militar que vai de 1968 a 1979. Este período foi marcado principalmente pelo anúncio do Ato Institucional nº 5, o AI-5. Com ele se decretou a censura prévia em jornais, revistas, emissoras de TV e também nos espetáculos culturais de música, teatro, entre outros. (Fonte: TV Câmara).

Ditadura – Brasil; Resistência ao governo; Jornalismo – Brasil – Século 20; Jornalistas – Brasil – Século 20; Artistas – Século 20; DVD3811

Contos da resistência : O Congresso Nacional
Silva, Getsemane; Varela, Glória
Brasil, 2004, 29min17

Enfoca as relações políticas entre Congresso Nacional e governos militares. (Fonte: TV Câmara).

Ditadura – Brasil; Governos militares (1964-1985); Congresso Nacional – Brasil; DVD3811

Contos da resistência : Sindicalismo
Silva, Getsemane; Duque, Ronaldo
Brasil, 2004, 28min53

Conta como operários e líderes sindicais da região do ABC Paulista resistiam à falta de liberdade e se organizavam por melhores salários e condições de vida. O programa mostra a trajetória dos metalúrgicos: da alienação política à campanha pelas eleições diretas em 1984 e como a batalha por melhores salários resultou na luta pela redemocratização do Brasil. Histórias dramáticas e curiosas de operários anônimos e líderes reconhecidos. (Fonte: TV Câmara).

Movimentos operários – Brasil – São Paulo – Grande ABC; Sindicatos – Brasil – São Paulo – Grande ABC; Campanhas pelas eleições diretas (1984); Metalúrgicos – Brasil – São Paulo – Grande ABC; DVD3811

Cozinha sertaneja
Dellape, Santiago
Brasil, 2011, 5min13

Carne de sol, baião de dois, milho cozido, tapioca, cocada, rapadura… Só de falar nos pratos mais conhecidos da culinária nordestina já dá água na boca. A escritora Ana Rita Suassuna nos convida a um passeio pelas histórias que cercam a alimentação do sertanejo brasileiro e revelam um povo criativo e generoso. (Fonte: TV Câmara)

Culinária – Brasil – Nordeste; DVD3789

Dá-dos
Fernandes, Pedro Palhares
Brasil, 2003, 13 min

Este filme é um jogo de montagem com restos de outros filmes, na busca de criar uma interlocução com outros artistas da história que aceitaram o risco de enfrentar formalmente e conceitualmente em suas obras os contingentes imprevisíveis do acaso. Tais como Mallarmé, Tristan, Tzara, Kurt Schwiters e Marx Ernest, os ‘dádos’ foram lançados. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Cinema experimental; DVD3838

Demônios
Saghaard, Christian
Brasil, 2003, 24 min

Luz, som e sangue; um pesadelo alucinante com personagens do universo undergrond do centro de São Paulo. (Fonte: Porta Curtas).

Casais; São Paulo (Cidade / Brasil); DVD3840

Diálogo com Joaquim Nabuco
Reis, Marcya
Brasil, 2010, 37min14

No ano do centenário de morte de um dos personagens mais importantes da história do Brasil, a TV Câmara lança o documentário “Diálogo com Joaquim Nabuco”, em homenagem ao jornalista, parlamentar, diplomata e escritor, um dos grandes artífices da lei que aboliu a escravidão no País. Conhecido pela presença marcante, pela oratória vigorosa e pelas ideias à frente de seu tempo, Nabuco sempre se destacou como um modelo para a sociedade brasileira da época. Para contar essa história, o documentário apresenta Thiago, um jovem que simboliza o ideal que os abolicionistas ensejavam para os descendentes dos escravos libertos. Universitário, negro, nascido na comunidade da Rocinha, Thiago sai em busca da trajetória de Nabuco e mergulha no pensamento vivo do personagem, a fim de refletir sobre suas próprias raízes.  Entre conversas com especialistas, com a população nas ruas e ao conhecer lugares por onde o Nabuco passou, ocorre um “diálogo” – o encontro de dois homens separados pelo tempo – debatendo sobre a realidade brasileira do século XXI. (Fonte: TV Câmara)

Jornalistas; Políticos; História do Brasil – Século 19; Abolição da escravidão (1888); Negros; DVD3803

Dramática
Rocha, Ava Gaítan
Brasil, 2005, 20 min

Inspirado livremente no poema Hierarquia (1970), de Pier Paolo Pasolini, que lança sua visão sobre o Brasil daquela época, o filme retoma e confronta a realidade híbrida de um país convulsionado, suas tensões dramáticas, a partir das experiências radicais. (Fonte: Porta Curtas).

Cinema experimental; DVD3838

A escolha é sua: deputados e senadores
Bacalhao, Guilherme; Marcya Reis
Brasil, 2006, 24min19

Deputados e Senadores é o primeiro programa da série que fala aos jovens sobre as atribuições dos poderes Legislativo e Executivo. A série busca a conscientização política dos jovens, em especial aqueles na faixa etária entre 18 e 23 anos. Os entrevistados são cientistas políticos, representantes de ONGs, estudantes universitários e artistas. Participações especiais dos integrantes do Hip Hop Recanto Crew, do Recanto das Emas, cidade da periferia de Brasília. Numa linguagem visual e musical, os programas tratam das atribuições dos cargos do poder Legislativo e do poder Executivo. Foram quase três meses de trabalho, entre pesquisas, produção e realização. Misturando pop art, histórias em quadrinhos, hip hop e grafite, numa edição ágil e divertida, dois jovens apresentadores conversam, do jeito deles, sobre políticos, eleições, leis e cidadania. Os programas mostram a história relacionada ao Executivo e ao Legislativo, figuras de destaque, explicações e exemplos de como funciona o dia-a-dia dos poderes, os deveres de cada um, a tramitação das leis e informações sobre as eleições. (Fonte: TV Câmara).

Poder legislativo – Brasil; DVD3813

A escolha é sua: presidentes e governadores
Bacalhao, Guilherme; Marcya Reis
Brasil, 2006, 25min29

O segundo programa da série A escolha é sua mostra a história, o dia-a-dia e as funções do Poder Executivo. A linguagem ágil e direta, a dinâmica dos quadrinhos, e o som do hip hop são alguns dos ingredientes da série, que fala sobre política de um jeito inovador e divertido. Além da estética bem cuidada, o programa tem conteúdo rico: informações atuais somam-se à memória política do país, construindo um panorama que procura conscientizar os jovens acerca da importância de escolherem bem seus representantes. (Fonte: TV Câmara).

Poder executivo – Brasil; DVD3813

Esquerda volver
Dellape, Santiago
Brasil, 2014, 24min

Registro histórico de um aspecto pouco conhecido da ditadura militar no Brasil: a perseguição e expulsão de militares contrários ao golpe de Estado das fileiras do Exército, Marinha, Aeronáutica e da Polícia Militar.  investiga a história de três militares que foram vítimas do regime por terem vínculo com o comunismo. Nos meses seguintes ao golpe de 64, o capitão de mar e guerra Fernando de Santa Rosa respondeu a um inquérito do Centro de Informações da Marinha (Cenimar), ficou dois meses preso em um navio e foi expulso das Forças Armadas sob a acusação de ter “vocabulário comunista”. No mesmo ano, o militar Joaquim Aurélio de Oliveira participou da ocupação do Sindicato dos Metalúrgicos, no Rio de Janeiro, numa reivindicação por melhores condições de vida para os marinheiros. Com o golpe, Joaquim foi expulso da Marinha junto com centenas de outros praças e oficiais. Já o tenente-coronel Vicente Silvestre, da PM de São Paulo, também esteve no centro de outro episódio marcante do regime militar: a batalha da Rua Maria Antônia, em outubro de 1968, protagonizada por estudantes de esquerda, da Universidade de São Paulo (USP), e de direita, do Mackenzie. À frente de uma tropa destacada para conter o tumulto, o tenente Silvestre se recusou a obedecer à ordem de um superior que contrariava suas convicções pessoais. Preso no DOI-Codi, em São Paulo, Silvestre foi vítima de torturas e acabou expulso da corporação em 1976. (Fonte: TV Câmara)

Ditadura – Brasil; Golpe de 1964; Comunismo; Militares – Brasil; DVD3807

A face e a máscara
Marques, Vicente
Brasil, 1974, 15min

A força da luz, da sombra, da cor, na composição de um personagem; exercícios de relaxamento, expressão corporal, colocação de voz, maquiagem, vários momentos de um ator, do camarim ao palco. (Resumo retirado do folheto)

Linguagem teatral; Teatro – Representação; Teatro – Técnica; Caracterização do ator; DVD3835

Os fiéis
Solferini, Danilo
Brasil, 2003, 16 min

Três amigos contam as aventuras vividas durante uma famosa partida de futebol. As lembranças e euforia e a sensação de viverem um momento histórico. A invasão corintiana no Rio de Janeiro em 1977. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Amigos; Futebol; Viagens; Brasil; Século 20 – Década de 70; DVD3834

Folia de Reis
Bergamo, André
Brasil, 2014, 8min11

A Folia de Reis é uma manifestação cultural que representa a história bíblica da visita dos Reis Magos ao recém-nascido Menino Jesus. Assim como ocorre com as Festas Juninas, ela mescla de forma singular o sagrado e o profano. Foi trazida ao Brasil Colônia pelos portugueses e aqui sofreu influência das culturas indígena e africana. Festividade com profundas raízes rurais, a Folia de Reis ainda resiste como tradição passada de geração para geração, sobretudo no interior do país. (Fonte: TV Câmara)

Danças folclóricas – Brasil; Folia de Reis; DVD3790

Forno de barro
Brito, Fernando
Brasil, 2011, 4min25

O forno de barro data do século VIII antes de Cristo. Cada civilização adaptou seu formato e construção à sua cultura. Chegou ao Brasil pelas mãos dos portugueses, mas a necessidade de adequação dos utensílios e embalagens acabou por dar origem a um símbolo da cozinha nacional. (Fonte: TV Câmara)

Fornos de cerâmica; DVD3789

Frida Kahlo : calor e frio
Rachmann, Ismar
Estelar de Teatro
Brasil, 2014, 75min

Frida Kahlo: calor e frio, da Estelar de Teatro une teatro, dança, música ao vivo, artes performativas e festa para realizar uma cartografia antropofágica,  unindo o México de Frida Kahlo e do início do  século XX ao Matriarcado de Pindorama de Oswald de Andrade. Uma evocação ainda de artistas fundamentais na construção do imaginário do século passado e que estiverem no país vizinho neste período – Eisenstein, Artaud, Tina Modotti, Maiakovski. A peça transita por um México –  confluência de tempos diversos em que o passado pré-colombiano e mítico se cruza com o tempo histórico na busca de  inspiração para novas imagens. (Fonte: http://www.estelardeteatro.com.br).

Teatro – Representação; Dramaturgia; Performance; Criação (literária, artística, etc); Grupos teatrais – Brasil – Século 21; DVD3816, DVD3817

Gaivotas : uma tragédia em cinco atos
Borges, Cristian
Brasil, 1997, 10min20

Trabalha as fotos para reforçar a descontinuidade da narrativa buscada no filme. A partir da cena de um homem que come carne de gaivota, vomita e se mata, o filme faz uma reflexão sobre o gênero trágico.

Tragédia; DVD3839

Grosse reiche muss man leiten wie man kleine fischlein brät
KLUGE, Alexander, 1932-
Alemanha, 1993, 15 min

Documentário mostra cenas da guerra na Alemanha.

Guerras – Alemanha; DVD2096, DVD3735

Hoje é dia de Luiz Gonzaga
Uesato, André
Brasil, 2013, 56min

“Hoje É Dia de Luiz Gonzaga” é um programa de entrevistas com artistas e historiadores sobre o lendário Rei do Baião. O programa foi ao ar no dia 13 de dezembro de 2012, centenário de Gonzaga. Na primeira parte, é enfocada a vida de Gonzaga e sua forte ligação com Exu, a cidade do sertão pernambucano, onde ele nasceu e de onde tirou inspiração para suas músicas. Na segunda parte, destaque para a obra do homem que promoveu uma revolução no mercado musical, a partir de 1945, ao revelar para todo o Brasil a dimensão da cultura nordestina com toda sua complexidade e beleza. No total, foram entrevistadas 18 personalidades, entre historiadores, músicos, compositores, parentes e amigos de Luiz Gonzaga que traçaram um rico panorama sobre a intrincada trajetória do homem que urbanizou o baião, inventou o trio de forró, popularizou o xaxado do bando de Lampião (ídolo de sua infância) e que soube como ninguém cantar a vida e a alma de seu povo. (Fonte: TV Câmara)

Música popular – Brasil; Compositores; Cantores; DVD3798

Hoje é dia de Nelson Rodrigues
Amaro, André
Brasil, 2013, 59min

Em 9 de dezembro de 1942, estreava “A mulher sem pecado”, primeira das 17 peças que escreveu. Todas elas levaram para o “olho da fechadura” histórias assumidamente mórbidas, pestilentas, desagradáveis. E segundo seu próprio desejo, capazes de “produzir o tifo e a malária na plateia”. Censurado, vaiado, criticado pela esquerda e pela direita, o Anjo Pornográfico (como ficou conhecido) é considerado o renovador da cena teatral brasileira. Neste especial, ilustrado por encenações baseadas em suas peças, diretores e teóricos comentam o trabalho e a obra desse dramaturgo que modernizou o teatro no Brasil. (Fonte: TV Câmara)

Teatro – Século 20 – Brasil; Dramaturgos; DVD3796

Hoje é dia de palhaços
Uesato, André
Brasil, 2013, 27min

O programa “Hoje é Dia de Palhaços” aborda aspectos relevantes da arte da palhaçaria e revela como ela se desenvolve no Brasil. Palhaços renomados, brasileiros e estrangeiros, discutem no programa as origens do palhaço, as características do profissional brasileiro, o aprendizado do ofício, além das técnicas e linguagens da palhaçaria. Entre os participantes do programa, estão Léris Colombaioni, palhaço de família italiana; Francisco Everardo, o Tiririca, hoje deputado federal pelo PR de São Paulo; Manuela Castelo Branco, a palhaça Matusquela; Ankomárcio Saúde, o Chaubraubrau; Hugo Possolo, o Tililingo, dos Parlapatões; Zé Regino, o Zambelê; o argentino Fernando Cavarozzi, palhaço Chacovachi; Antonia Vilarinho, a Fronha; Guilherme Carvalho, o Pipino; e Marcio Libar, o palhaço Cuti-Cuti. (Fonte: TV Câmara)

Palhaços; DVD3797

Hoje é dia de Tomie Ohtake
Amaro, André
Brasil, 2013, 25min18

Tomie Ohtake, considerada a “dama das artes plásticas brasileiras”, é homenageada nesse especial da TV Câmara produzido para a série “Hoje é dia de”. Construída ao longo dos últimos 50 anos pelo estilo ímpar de enfrentar a obra e a vida, a carreira de Tomie Ohtake foi pontuada de desafios, ou do “eterno reinventar”, como mencionou o crítico de arte e curador Paulo Herkenhoff, um dos entrevistados do programa. Os depoimentos sobre a artista se estendem ao filho e arquiteto Ruy Ohtake e ao curador do Instituto Tomie Ohtake, Paulo Myada, que comentam as características da obra e as várias etapas de produção dessa artista nipo-brasileira que modificou a paisagem urbana de São Paulo. (Fonte: TV Câmara)

Artistas plásticos; Artes – Brasil – Século 20; Pintura – Brasil – Século 20; Gravura – Brasil – Século 20; Escultura – Brasil – Século 20; DVD3801

Izune
Cardoso, Frederico
Brasil, 2004, 16 min

Garoto pensa ter feito contato interplanetário através de sua bola de futebol. (Fonte: PortaCurtas).

Crianças; Futebol; Rio de Janeiro (Cidade / Brasil); Século 21; DVD3834

Laboratório Brasil: a luta contra a maior inflação do mundo: um drama de 25 anos
Stefanelli, Roberto
Brasil, 2007, 58min27

O documentário Laboratório Brasil aborda um tema desconhecido pela nova geração de brasileiros: como é viver com inflação e a complicada série de tentativas de acabar com ela nas décadas de 80 e 90. A produção, dirigida por Roberto Stefanelli, ouviu pessoas que tiveram papel de destaque no cenário da hiperinflação, que chegou a mais de 80 porcento ao mês no final do governo de José Sarney, além de observadores privilegiados daquela situação. Gente como Bresser Pereira, Gustavo Franco, Fernando Henrique Cardoso, Antonio Pallocci, Carlos Alberto Sardenberg, Paulo Nogueira Baptista, Fernando de Holanda Barbosa, Bernard Appy, Vicentinho e Pedro Malan. O documentário mostra ainda cartuns de Chico Caruso e pronunciamentos feitos na época por José Sarney, Fernando Collor, Zélia Cardoso e Maílson da Nóbrega, entre outros. Laboratório Brasil tem duração de 58 minutos e analisa os acontecimentos econômicos dos anos 1980, principalmente as medidas que resultaram na adoção de uma nova moeda, o cruzado, em 1986, quando o governo Sarney decretou também o congelamento de preços e salários. “Era o primeiro governo civil depois da longa ditadura militar. Os brasileiros imaginavam que iríamos festejar dias melhores. Como vemos hoje, havia uma longa e tortuosa estrada pela frente, com inflação galopante e moedas como cruzeiro, cruzado, cruzado novo, cruzeiro novo, cruzeiro (de novo), URV e Real”, afirma Steffanelli. Neste período, lembra o jornalista e cineasta, o Brasil bateu todos os recordes de inflação em todo o mundo, superando até mesmo a Alemanha, que passou por duas guerras mundiais. O documentário mostra a situação dos brasileiros que eram obrigados a sair correndo para o supermercado momentos depois de receber o salário, numa luta contra a remarcação imediata dos preços. Stefanelli aponta o caráter instrutivo da produção. “Se não conhecemos bem a nossa história, corremos o risco de repetir erros. Hoje, os governantes têm medo de estourar os gastos públicos e provocar a volta da inflação”, conclui. (Fonte: TV Câmara).

Inflação – Brasil – Século 20 – Década de 80; Inflação – Brasil – Século 20 – Década de 90; Economia – Brasil – Século 20 – Década de 80; Economia – Brasil – Século 20 – Década de 90; DVD3808

Leitores sem fim
Seabra, Roberto
Brasil, 2016, 37min08

Leitores sem fim relata histórias de pessoas que tiveram a vida modificada pelo hábito da leitura. A partir da realidade de bibliotecas públicas localizadas em regiões de baixa renda no Rio de Janeiro, o documentário mostra o novo modelo que se pretende criar de espaços culturais, baseado na experiência exitosa das Bibliotecas Parque da Colômbia. Mostra também a situação da leitura no Brasil e o esforço de parlamentares para universalizar as bibliotecas escolares no país. (Fonte: TV Câmara).

Bibliotecas públicas – Brasil; Formação de leitores; Leitura; Hábito de leitura; Políticas públicas – Brasil; Bibliotecas Parque (Rio de Janeiro); DVD3806

Linguagem do teatro
Bethencourt, João
Brasil, 1966, 18min

Toda a mágica do teatro é mostrada aos espectadores que participam dos problemas implicados nas diversas fases da montagem de uma peça – escolha, leitura, ensaio, etc., até a estreia para o público. (Resumo retirado do folheto)

Linguagem teatral; Peça de teatro; DVD3835

O malandro italiano
Caldas, Guga
Brasil, 2015, 28min18

Ao completar 90 anos, o caricaturista Lan mostra porque é o italiano mais carioca do Brasil. Afiado e irreverente como seu traço, Lanfranco Aldo Ricardo Vaselli Cortelline Rossi atravessou o mundo para chegar ao Rio de Janeiro, lugar que elegeu para sempre como a cidade do coração. A TV Câmara presta homenagens a esse flamenguista, portelense e mulatólogo, que soube captar, como poucos, a identidade do povo brasileiro. (Fonte: TV Câmara)

Caricaturistas; Caricaturas; Charges; DVD3799

Man.Road.River
Marcellvs, L.
Brasil, 2004, 10 min

Um homem. Uma estrada. Um rio. Uma silhueta que atravessa um rio compõe o único e impactante plano em preto-e-branco. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Vídeo experimental; DVD3838

Maré capoeira
Leblanc, Paola Barreto
Brasil, 2005, 15 min

Maré é o apelido de João, um menino de dez anos que sonha ser mestre de capoeira, como seu pai, para dar continuidade a uma tradição familiar que atravessa várias gerações. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Capoeira; Cultura afro-brasileira; Negros; Crianças; DVD3836

Marmelada de Santa Luzia
Reis, Marcya
Brasil, 2014, 8min44

A marmelada é doce conventual. Nasceu em meados do século XIII, criado por freiras portuguesas. Desde então, atravessou oceanos pelas mãos de grandes navegadores. O doce teria vindo com Pedro Álvares Cabral, na primeira caravela a chegar ao Brasil. Conta-se que até o imperador D. Pedro II não passava sem marmelada. E a preferida era feita num pequeno povoado de Goiás, chamado Arraial de Santa Luzia, agora conhecido como Luziânia. Lá, ainda hoje, pequenos produtores mantêm a tradição do doce, produzido artesanalmente em antigas fazendas da região, como a Pindaibal e a Comunidade Quilombola do Mesquita. (Fonte: TV Câmara)

Frutas – Brasil – Luziânia (GO); Doces; Marmelo; DVD3790

A menina do algodão
Bandeira, Daniel; Mendonça Filho, Kleber
Brasil, 2002, 6 min

A lenda da garotinha morta que aterrorizou crianças nas escolas do Recife, nos anos 70. (Fonte: Porta Curtas).

Banheiros; Escolas; Lendas; Recife (Cidade / Brasil); DVD3840

Mercado ver-o-peso
Dellape, Santiago
Brasil, 2013, 9min33

Há quatro séculos, o Mercado Ver-o-Peso retrata bem o caldeirão cultural que é Belém do Pará. Ritmos, sabores e etnias se misturam na maior feira livre da América Latina, onde se pode encontrar desde o famoso peixe com açaí até o “atrativo do amor” das feiticeiras amazônicas. (Fonte: TV Câmara)

Mercados – Brasil – Belém (PA); Feiras-livres – Brasil – Belém (PA); DVD3790

Mino Carta
Martinari, André
Brasil, 2014, 44min51

“Tornei-me jornalista por causa de um terno azul marinho.” Essa é uma das muitas frases interessantes tiradas de Mino Carta, novo documentário da série Memórias. No programa, Mino relata a relação tensa com a cúpula da editora Abril que culminou com a sua saída da direção da revista Veja – que ajudou a criar e dirigiu por vários anos. Além de viver nas redações dos jornais e revistas, o jornalista também tem um pé nas artes, com publicação de livros de ficção e exposição de pinturas. Descendente de italianos, Mino fala da vinda da família para o Brasil, lembra com nostalgia de São Paulo da década de 1940, conta como iniciou a carreira e fala sobre o desenrolar de sua trajetória através do jornal O Estado de S.Paulo, do Jornal da Tarde, das revistas Quatro Rodas, Veja, IstoÉ, Senhor e Carta Capital. Mino também tece comentários sobre a mídia brasileira, o período de censura no Brasil e o golpe de 1964, sobre o qual afirma: “não foi militar; o golpe foi civil em primeiro lugar”. (Fonte: TV Câmara).

Jornalistas; Jornalismo – Brasil; Censura; Golpe de 1964; DVD3809

Ninguém ama ninguém por mais de dois anos
Mello, Clovis
Brasil, 2015, 86min

Acompanha as histórias de cinco casais que vivem, paralelamente, no final dos anos 1950 e início dos anos 1960 no Brasil. Em uma sociedade cheia de moralismo, os desejos de homens e mulheres se manifestam de maneiras diferentes, porém, com liberdade, em suas vidas intímas. (Fonte: http://www.adorocinema.com).

Rio de Janeiro (Cidade / Brasil); Século 20 – Década de 50; Casais; Relações conjugais; Adultério; DVD3820, DVD3821

Nocturnu
Ramalho, Dennison
Brasil, 1998, 11 min

O inferno na Terra, deuses diabólicos, Lúcifer emergem das entranhas de um navio à busca de carne humana e sangue como alimento. (Fonte: Porta Curtas).

Embarcações; Demônios; DVD3840

Paisagem de meninos
Severo, Fernando
Brasil, 2003, 25 min

Numa cidade do interior, nos anos 30, cinco meninos tentam superar um obstáculo que os impede de assistir ao último capítulo de um seriado de aventura. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Crianças; Paraná (Estado / Brasil); Século 20 – Década de 30; DVD3836

Pamonha
Stefanelli, Roberto
Brasil, 2011, 5min54

Os primeiros registros do milho estão no México dos Maias, mas no Brasil tornou-se mais que um simples alimento. É uma parte importante da nossa história. Como dependia do homem para ser plantado, caminhou passo a passo com os bandeirantes no Brasil que saía do litoral. E dele nasceu a pamonha, misturando índio, europeu e africano. (Fonte: TV Câmara)

Milho; DVD3789

Paneleiras de Goiabeiras
Uesato, André
Brasil, 2015, 5min54

As panelas de barro da região de Goiabeiras, em Vitória, no Espírito Santo, são internacionalmente famosas. Produzidas artesanalmente, sem uso de quaisquer equipamentos, e queimadas em fogueiras ao ar livre, são consideradas Patrimônio Imaterial pelo Iphan (Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Sua tradição remete aos índios que habitavam a região e é repassada de mãe para filha até os dias de hoje. As panelas de goiabeiras possuem relação íntima tanto com o barro do vale do Mulembá, considerado especial, quanto com outro Patrimônio Imaterial: a moqueca capixaba. (Fonte: TV Câmara)

Artesanato em barro – Brasil – Vitória – Goiabeiras (ES); Panelas; DVD3790

Pão de queijo
Caldas, Guga
Brasil, 2011, 4min56

O programa conta a história da origem do pão de queijo, uma iguaria tradicionalmente brasileira, fruto da mistura da mandioca nativa, com o leite e o queijo dos europeus, e nascido da habilidade das escravas domésticas das grandes propriedades rurais. (Fonte: TV Câmara)

Gastronomia – Brasil – Minas Gerais; Cultura – Brasil – MInas Gerais; DVD3789

Para sempre assim
Lemos, João Carlos; Carlomagno, Róger
Brasil, 2001, 7min16

Um casal lida com problemas de comunicação e relacionamento, algo muito pessoal, mas também universal. É um conto urbano que se passa em São Paulo, mas poderia ser qualquer outra cidade grande.

Casais; Relações conjugais; DVD3839

Parlamento e democracia
Bérgamo, André; Uesato, André
Brasil, 2015, 14min08

Documentário apresenta os momentos em que o Poder Legislativo teve um papel de destaque na vida política brasileira, desde a primeira Assembleia Constituinte (1823) até a atualidade. A narrativa destaca o processo de elaboração das Constituições, o funcionamento atual do Congresso Nacional e os mecanismos de acolhimento das demandas da sociedade civil. (Fonte: TV Câmara)

Parlamento – Brasil; Congresso Nacional – Brasil; Constituição – Brasil; Poder Legislativo – Brasil; Assembléia constituinte – Brasil; História do Brasil; DVD3792

O Pasquim: a subversão humor
Stefanelli, Roberto
Brasil, 2004, 44min04

Em 1969, ano particularmente duro no regime militar, surgiu no Rio de Janeiro “O Pasquim”, tablóide que, com sua irreverência, humor e anarquia, daria uma nova roupagem e linguagem ao jornalismo brasileiro, uma forma mais coloquial à publicidade e causaria um forte abalo nos níveis da hipocrisia nacional. A TV Câmara conta no documentário “O Pasquim – a Subversão do Humor”, através dos principais personagens desta história, como ele invadiu o Brasil, enfrentando a censura e a cadeia com o riso aberto, como se fosse mais uma das farras da turma de Ipanema. Em O Pasquim, Jaguar, Ziraldo, Sérgio Cabral, Luiz Carlos Maciel, Marta Alencar, Miguel Paiva, Claudius, Sérgio Augusto, Reinaldo, Hubert lembram como se escreveu esta página da nossa história e Angeli, Chico Caruso, Washington Olivetto e Zélio como ela foi determinante para as páginas seguintes. Ninguém ficou rico com a publicação, embora ela tenha vendido nos seus melhores tempos, entre 1969 e 1973, até 250 mil exemplares. Um volume acima do razoável, se lembrarmos que os jornais de tiragem nacional rodam hoje, mais de 30 anos depois, com toda a informatização, a facilidade de distribuição e as fortes campanhas de assinantes, cerca de 300 mil exemplares. A verdade é que o comportamento da chamada Patota do Pasquim era tão anárquico quanto o conteúdo do jornal. E o que ganharam gastaram entre prisão, brigas, festas e altas dosagens etílicas. Bem que os militares e a elite brasileira tentaram sufocá-lo diversas vezes e de formas variadas mas, quando conseguiram, ele já havia disseminado uma nova forma de comportamento nos meios de comunicação. Como diz Jaguar, a imprensa tirou o paletó e a gravata, ou, como diz Olivetto, passamos a escrever e nos comunicar com língua de gente, do povo. (Fonte: TV Câmara).

Jornalismo – Brasil; Jornalismo alternativo – Brasil; Jornalismo político – Brasil; Jornais brasileiros; O Pasquim (jornal); Ditadura – Brasil; Governos militares (1964-1985); Cartunistas; DVD3819

Pequi
Labarrère, Teresa
Brasil, 2014, 9min35

Este novo episódio do Brasilidade trata do pequi, um fruto nativo do cerrado, muito popular na cozinha regional do Centro-Oeste, com crescente destaque nos espaços gourmet do País. (Fonte: TV Câmara)

Gastronomia – Brasil; Frutas – Brasil; Pequi; DVD3790

Perigo Negro
Sganzerla, Rogério, 1946-2004
Brasil, 1992, 28 min

Ascensão e queda de um jogador de futebol vistas por um torcedor fanático e sua mulher volúvel, deslumbrada pelo “cartola” Moscosão, que liquida com a carreira do craque. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Futebol; Jogadores de futebol; Barbeiros; Empresários; Rio de Janeiro (Cidade /Brasil); Século 20; DVD3834

Por trás do pano
Villaça, Luiz
Brasil, 1999, 95min

Helena é uma jovem atriz em ascensão que possui muito talento e insegurança e que é casada com Marcos, um artista plástico que brinca o tempo todo com os medos e o ciúme de sua esposa. Até que um dia ela recebe um convite que será também o maior desafio de sua carreira: encenar uma peça teatral com Sérgio, um consagrado e talentoso ator que possui também gênio difícil e está em crise amorosa e profissional. Sérgio é casado com Laís, uma arquiteta bonita e ciumenta cuja vida conjugal se deteriora ainda mais devido à convivência do ator com Helena, em decorrência dos ensaios da nova peça em que estão trabalhando. (Fonte: http://www.adorocinema.com)

São Paulo (Cidade / Brasil); Século 20 – Década de 90; Atrizes (Teatro); Teatro – Representação; Casais; Relações conjugais; DVD3833

O princípio feminino do sol
Núcleo Patrícia Bárbara
Brasil, 2002, 7 min

Um dia, o sol e o vento fizeram uma aposta para ver quem era o mais poderoso e iria reinar sobre os céus. (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Cinema experimental; DVD3838

Protokoll einer revolution
Lemmer, Günter
Alemanha, 1963, 12 min

Apresenta a ascenção e a queda da ditadura no fictício país de Las Villas.

Ditadura; Cinema experimental; DVD2098, DVD3737

Quebra coco, faz a vida
Silva, Getsemane
Brasil, 2006, 29min58

História de realizações de mulheres pobres descendentes de escravos e se passa no Maranhão. Elas se organizaram e, da semi-escravidão, passaram à independência econômica. O documentário Quebra Coco, Faz a Vida dá voz a essas mulheres, que contam como venceram as dificuldades para dominar todo o processo produtivo do babaçu, inclusive sua comercialização e exportação. Há dez anos, elas apenas recolhiam o fruto e tiravam a amêndoa para transformar em meio de vida. Não tinham terra, foram proibidas de catar coco e viviam praticamente escravizadas pelos donos das terras, quebrando 10 quilos de coco para comprar um quilo de arroz na mercearia do proprietário. Cansadas de serem exploradas, as quebradeiras resolveram se organizar. Por meio de uma cooperativa que criaram, conseguiram forçar o governo estadual a promover uma reforma agrária na região do médio Mearim, a 400km de São Luiz (MA). E, depois, inventaram um jeito de controlar todo o processo produtivo do óleo de babaçu. O documentário mostra ainda a cultura desta comunidade. Na vila, remanescente de quilombos, algumas noites são animadas pelo Tambor de Crioula: batuques, danças e versos, alguns deles em línguas africanas – de significado esquecido. (Fonte: TV Câmara).

Mulheres – Brasil – Maranhão; Trabalho escravo – Brasil – Maranhão; Agricultura – Brasil – Maranhão; DVD3815

Raça humana
Queiroz, Dulce
Brasil, 2010, 40min

O país do orgulho da miscigenação, apregoado por Gilberto Freire e Darcy Ribeiro, se deparou há alguns anos com uma questão espinhosa: a adoção de cotas raciais nas universidades. Se falar de racismo no Brasil já era tabu, falar de cotas, então, se transformou num daqueles temas sobre os quais é melhor nem iniciar conversa. A menos que estejamos em um grupo onde todos são favoráveis ou todos contrários. Aí, sim, dá para desabafar os inconformismos, de um lado e de outro. É neste clima de “assunto proibido”, discutido só entre os pares, que os entrevistados do documentário Raça Humana começam a desfiar o intrincado novelo das cotas. Durante três meses, a equipe que trabalhou no documentário acompanhou a rotina de uma das maiores universidades do país: a Universidade de Brasília-UnB, que de forma tão ousada quanto isolada adotou o sistema de reserva de vagas com recorte puramente racial. No documentário, alunos cotistas e não-cotistas, professores, movimentos organizados, partidos políticos e representantes da instituição falam abertamente sobre o “tabu” das cotas raciais, seja defendendo ou condenando o sistema. Ao mesmo tempo, o documentário mostra ações externas à universidade que permeiam ou influenciam a discussão, como a votação do Estatuto da Igualdade Racial, em tramitação no Congresso – também cercada de muita polêmica, protestos e impasses. No documentário, questões seculares e mal-resolvidas da história do Brasil vão ressurgindo, tendo como pano de fundo a discussão das cotas raciais. Ao refletir sobre a reserva de vagas para negros no ensino superior, os entrevistados revelam que a discussão vai muito além: envolve o papel das universidades brasileiras; as falhas do sistema educacional; a questão da meritocracia nos vestibulares; o racismo e, principalmente, o papel do negro na estrutura sócio-educativa do país. É nesse caldeirão de questões que o filme mergulha e mostra que, para além das reações muitas vezes apaixonadas, raivosas ou até intolerantes, está em pauta no Brasil uma discussão histórica, que não pode ser desprezada. A situação vivida hoje pela UnB é, ao mesmo tempo, peculiar e universal – uma amostra do Brasil contemporâneo, ainda cheio de preconceitos, mas também capaz de refletir sobre a sua história e reconstruí-la a partir de novos parâmetros. (Fonte: TV Câmara)

Negros – Brasil; Universidades; Relações étnicas e raciais; Racismo – Brasil; Universidade de Brasília; DVD3795

Rede de dormir
Laquintinie, André; Caldas, Guga
Brasil, 2011, 6min49

Registrada pela primeira vez na Carta de Caminha, a rede de dormir, ou rede de descanso, é considerada um objeto de uso doméstico originária dos índios da América do Sul, tendo se disseminado por todo o mundo. O Brasilidade expõe parte da história da rede, seus usos e sua evolução no decorrer da história. (Fonte: TV Câmara)

Artesanato – Brasil; DVD3789

Rennen
KLUGE, Alexander, 1932-
Alemanha, 1961, 9 min

Curta-metragem apresenta cenas de corridas de carros dos anos 50.

Automóveis; Cinema experimental; DVD2098, DVD3737

Repente
Dellape, Santiago
Brasil, 2011, 5min39

A poesia é feita na hora, a gosto do freguês. Assim é o Repente, traço genuíno da cultura nordestina. Entoado nas cordas da viola, é chamado “cantoria”. Batido no couro do pandeiro, é a “embolada de coco”. Mas, independentemente do ritmo, o que vale é o improviso. (Fonte: TV Câmara)

Música folclórica – Brasil; Repente; DVD3789

Restauração digital “A idade da Terra”
Brasil, 2007, 2min31

Apresenta trechos das sequências original e restaurada do filme “A Idade da Terra “, de Glauber Rocha.

Cinema – Brasil – Século 20; A idade da terra (filme); Filmes – Restauração; Cineastas brasileiros – Século 20; DVD3802

O retrato do velho
Caldas, Guga
Brasil, 2014, 35min51

O documentário aborda a relação de Getúlio Vargas com os caricaturistas que o retrataram durante seus dois períodos como presidente do Brasil. Narra um pouco da história da caricatura no país e no mundo, dando destaque para nomes de grande importância na primeira metade do século XX, como J. Carlos, Belmonte e Théo. Com uma minuciosa pesquisa dos periódicos da época, o documentário associa ilustrações e animações aos depoimentos, reconstituindo de maneira divertida um importante período da história do Brasil. (Fonte: TV Câmara)

Caricaturas – Brasil; História do Brasil – Século 20; Políticos; DVD3793

Sonhozzz
Camacho, Paulo F.
Brasil, 2005, 11 min

O processo de estar acordado e ao mesmo tempo viver a claustrofóbica sensação de um sonho tumultuado. (Fonte: Porta Curtas).

Cinema experimental; DVD3838

Sônia Maria: sonho 100 dimensão
Silva, Getsemane
Brasil, 2005, 25min34

O primeiro documentário da série mostra a trajetória do “100 Dimensão”, o grupo de catadoras de lixo de uma cidade pobre da periferia de Brasília que transformou um galpão de tijolo aparente em uma fábrica de cidadania para dezenas de pessoas, até então desempregadas ou à beira da marginalidade. Ali, no Riacho Fundo II, a cooperativa de coleta e reciclagem fez que essas pessoas se tornassem empreendedoras de sucesso e um exemplo para a comunidade. Tudo a partir do lixo. Um trabalho que contribui para a limopeza da cidade e garante renda para mais de 150 pessoas. (Fonte: TV Câmara)

Catadores de material reciclável; Reciclagem de resíduos urbanos; Cooperativas; Mulheres; Brasília (Cidade/Brasil); DVD3804

Superoutro
Navarro, Edgar, 1949-
Brasil, 1989, 45 min

Um louco de rua tenta libertar-se da miséria que o assedia e acaba por subverter a própria lei da gravidade. (Fonte: Cinemateca Brasileira). (Fonte: Cinemateca Brasileira).

Loucos; Salvador (Cidade / Brasil); Século 20; DVD3832

Teatro brasileiro : novas tendências
São Paulo, Olney, 1936-1978
Brasil, 1975, 11min

As diversas tendências por que passou o teatro brasileiro a partir de 1957, com o lançamento da peça O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna. As inovações introduzidas por Suassuna, Augusto Boal, José Celso Martinez Correa, Oduvaldo Viana Filho, Gianfrancesco Guarnieri e outros alteraram os conceitos acadêmicos de direção, de utilização dos recursos de iluminação e cenografia. Essas transformações lançam as bases de um teatro tipicamente brasileiro, comprometido com a realidade do país. (Resumo retirado do folheto)

Linguagem teatral; Teatro – Brasil – Século 20; Teatro – Produção e direção – Brasil; DVD3835

Teatro brasileiro : origem e mudança
São Paulo, Olney, 1936-1978
Brasil, 1974, 12min

Um panorama do teatro brasileiro a partir do início do século 20. Os comediantes e as mudanças introduzidas nas raízes do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), Teatro Maria Della Costa, Teatro do Sete e Cia. Tônia-Celia-Autran no processo de renovação. A contribuição do Teatro de Arena. (Resumo retirado do folheto)

Linguagem teatral; Teatro – Brasil – Século 20; DVD3835

Teatro Municipal
Santos, Ruy
Brasil, 2004, 13min

Documentário que mostra o Teatro Municipal do Rio de Janeiro como obra arquitetônica e como local de representação artística, sua localização em contraste com a arquitetura dos edifícios modernos, os detalhes de sua fachada e de seu interior, sua decoração, os camarins, o local da orquestra. O filme mostra o funcionamento do Teatro num dia de espetáculo e sua importância cultural. (Resumo retirado do folheto).

Teatros – Brasil – Rio de Janeiro (RJ); Teatros – Arquitetura; Teatro Municipal (Rio de Janeiro); DVD3835

Tempo Glauber
Brasil, 2007, 18min17

Vídeo sobre o processo de restauração do filme “A Idade da Terra “, de Glauber Rocha.

Cinema – Brasil – Século 20; A idade da terra (filme); Filmes – Restauração; Cineastas brasileiros – Século 20; DVD3802

Tó Teixeira, o poeta do violão
Jordy, Cassim; Ribeiro, Roberto
Brasil, 2013, 56min34

Documentário contempla a história das músicas e da vida de Tó Teixeira (Antonio Teixeira do Nascimento Filho), o Poeta do Violão. São narradas também passagens da verdadeira saga que foi a pesquisa realizada por Salomão Habib, em mais de 20 anos, acerca da vida e da obra de Tó Teixeira.

Música instrumental – Brasil – Século 20; Violão; Músicos brasileiros; DVD3825

Toda criança é criança: o estatuto da criança e do adolescente
Bacalhao, Guilherme; Uesato, André
Brasil, 2015, 54min27

O documentário relembra as mobilizações em favor do Estatuto da Criança e do Adolescente, quando centenas de meninos e meninas de rua ocuparam o Plenário da Câmara dos Deputados para votar simbolicamente a aprovação do Estatuto. Também são ouvidos alguns parlamentares atuantes na aprovação – entre eles a relatora do projeto na Câmara dos Deputados, Rita Camata, e a deputada federal Benedita da Silva (PT/RJ). O deputado federal e médico Osmar Terra (PMDB/RS) comenta sobre a importância de se proteger a primeira infância, fase inicial do desenvolvimento da criança. A produção relata experiências vivenciadas em Brasília e em Jaboatão dos Guararapes, município integrante da Região Metropolitana de Recife. Tratam-se de ações alinhadas à rede de proteção à infância e à juventude estabelecidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Na periferia da capital federal, uma creche comunitária fundada por uma ex-catadora de lixo é mantida apenas com doações de voluntários, sem apoio do Estado; ainda em Brasília, é mostrada a rotina de diligências realizadas por uma conselheira tutelar para averiguação de denúncias de maus-tratos contra crianças, feitas através do “Disque 100” – essa mesma conselheira, paralelamente, ajuda as famílias a conseguir vagas em creches, escolas e atividades comunitárias que ajudem a assegurar os direitos das crianças e adolescentes; por fim, o funcionamento de uma instituição de acolhimento destinada a crianças e adolescentes afastados judicialmente de suas famílias e seus esforços para estimular a autonomia e o encaminhamento profissional desses jovens. Em Jaboatão dos Guararapes, é exibido o cotidiano de uma das unidades de internação da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase): o Centro de Atendimento Socioeducativo (CASE Jaboatão), destinado a jovens infratores, recebeu em 2014 o Prêmio Innovare na categoria especial “Sistema Penitenciário Justo e Eficaz”. A instituição, que se diferencia por colocar a escola como base de todas as suas atividades, apresenta, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), egressos com o menor índice de reincidência do Brasil. Ao costurar todas essas experiências, o documentário pretende oferecer um panorama do funcionamento do Estatuto da Criança e do Adolescente no Brasil, entender seu passado e oferecer as possibilidades para o futuro. (Fonte: TV Câmara).

Estatuto da Criança e do Adolescente; Crianças – Brasil; DVD3805

Tropel
Nunes, Eduardo
Brasil, 2000, 17 min

A vida monótona do açougueiro João é quebrada com o anúncio do casamento da sobrinha de D. Eva: Melissa, uma menina de 13 anos. (Fonte: Porta Curtas).

Açogueiros; Adolescentes; DVD3840

Vinil verde
Mendonça Filho, Kleber
Brasil, 2004, 13min

Vinil Verde se passa no bairro Casa Amarela, da cidade do Recife, onde uma mãe presenteia sua filha com uma caixa cheia de antigos discos de vinil coloridos, com músicas infantis. A mãe ordena que ela poderia ouvir todos exceto o disco de cor verde. No entanto, a filha desobedeçe e escuta mesmo assim o disco verde. Como resultado, algo estranho sempre acontece quando ela toca o disco verde. (Fonte:

Mães; Filhos; Fábula; DVD3839

Viola
Labarrère, Teresa
Brasil, 2013, 7min48

Comparada ao violão, instrumento da mesma família de cordas dedilhadas, a viola é muito mais antiga. Trazida pelos colonizadores portugueses no séc. XVI, a viola ganhou diferentes formas e afinações, recebendo nomes variados, conforme as tradições regionais do Brasil: viola caipira, viola sertaneja, viola fandangueira, viola cabocla, viola de arame, viola de folia, viola de repente, etc. Nos dias atuais, a viola reconquistou o público urbano e ganhou destaque na cena musical brasileira.  (Fonte: TV Câmara)

Instrumentos musicais de corda; Viola; DVD3790

Wragda
Cardoso, Frederico
Brasil, 2004, 11 min

Equipe de filmagem viaja para Cataguases com interesses documentais e acaba por conhecer Seu Iran, pertencente a uma seita sanguinária que tem idioma próprio e inventado. Decidem por um roteiro ficcional inspirados nos relatos. A morte ronda. (Fonte: Porta Curtas).

Jovens; Seitas religiosas; Cataguases (Cidade / Brasil); DVD3840

Zé Celso: tupy or not tupy
Uesato, André
Brasil, 2015, 51min24

A partir de depoimentos do próprio Zé, de trechos da peça Walmor Y Cacilda 64 – Robogolpe, que contém elementos autobiográficos, e também de ensaios e cenas de peças mais antigas de autoria dele, é possível conhecer um pouco mais sobre a vida do irreverente autor. Dramaturgo, diretor, ator e músico, Zé Celso iniciou a carreira no teatro amador quando ainda era estudante, no final da década de 50. “Comeu” a obra de Oswald de Andrade e, antropófago, foi um dos pais da Tropicália. Encarou a ditadura militar tanto pelo lado político, com textos revolucionários, quanto pelo lado dos costumes, com suas montagens dionisíacas. Preso, torturado e exilado, produziu documentários sobre as revoluções portuguesa e moçambicana. Trabalhou com grandes nomes das artes, como Augusto Boal, Chico Buarque, Sérgio Britto, Raul Cortez, Pascoal da Conceição, entre outros. Contra a especulação imobiliária, lutou pela manutenção do Teatro Oficina no bairro do Bixiga, em São Paulo, e levantou o debate sobre ocupação urbana e a importância da Cultura nas cidades. Zé Celso é o diretor brasileiro mais longevo em atividade e já produziu cerca de 40 peças, como O Rei da Vela, Roda Viva, As Bacantes, Os Sertões e a série Cacilda!. Sempre inovando, provocando e seduzindo o público. (Fonte: TV Câmara).

Diretores de teatro; Dramaturgos; Teatro – Século 20 – Brasil; Teatro – Século 21 – Brasil; Companhias teatrais; Ditadura – Brasil; Teatro Oficina (companhia teatral); Walmor y Cacilda 64 – Robogolpe (peça teatral); DVD3814

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: