Quando o livro não volta n. 2

06/04/2015
Foto: Noah Dibley, Flickr.

Foto: Noah Dibley, Flickr.

180 livros desta Biblioteca, quase todos comprados com dinheiro público, selecionados por professores e catalogados por bibliotecários pagos pela USP, talvez nunca mais retornem à sua condição original de patrimônio público.

E por que isso? Apenas porque alguém os retirou por empréstimo e decidiu torná-los bens privados.  São livros que deveriam ter sido devolvidos em 2013, 2012 e 2011.

Muita gente não acredita, mas  alunos de graduação e pós-graduação da USP, gente instruída, bem informada e escandalizada com a corrupção na política, às vezes não devolvem os livros que pegaram emprestados na Biblioteca.

Há quem viaje com os livros, ou os deixe trancados em casa enquanto viaja; há quem se mude e os esqueça na casa do (a) ex, ou da mãe, ou na república; outros emprestam o material para um amigo que some com eles; alguns simplesmente decidem ignorar os termos do acordo pelo qual cabe às bibliotecas formar, conservar, gerenciar e emprestar gratuitamente acervo e ao usuário devolver o material no prazo estipulado, colocando sua necessidade individual acima dos interesses da coletividade.

E sim, a Biblioteca entra em contato com as pessoas que atrasam, cobrando insistentemente a devolução do material. Já escrevemos sobre o problema no ano passado, e provavelmente ainda teremos que voltar ao tema.

https://bibliotecadaeca.wordpress.com/2014/05/05/quando-o-livro-nao-volta/

Não devolver livros das bibliotecas da USP pode ter consequências sérias. Se, por exemplo,  alguém se forma ou abandona o curso sem devolver um livro e resolve voltar para fazer pós-graduação ou outra graduação, ou mesmo para trabalhar na condição de docente ou funcionário, vai voltar suspenso em todas as bibliotecas da Universidade. É assim que funciona, o sistema grava todas as travessuras com ferro em brasa em nossos históricos de usuário. E não esquece jamais.

Se você, leitor deste post, tem algum material desta biblioteca em seu poder por mais tempo do que o combinado, traga de volta. Ou peça para alguém trazer. Se seu amigo desligado sumiu com livros emprestados em seu nome, é só comprar os itens desaparecidos e trazer para nós. Você vai gastar uma grana, mas é uma questão de cidadania, afinal. Os bibliotecários se comprometem a não fazer nenhum comentário nem lançar olhares feios. Talvez você perceba apenas um leve franzir de testa, nada que a frase “está um pouquinho atrasado” não transforme num sorriso.

Veja aí a lista de alguns títulos muito, muito atrasados e dê uma olhada lá nos rincões esquecidos das suas estantes. Será que algum dos livros que aquele seu ex-namorado australiano, sua colega de república ou seu filho ingrato abandonou na sua casa não tem um carimbo de biblioteca? Não custa olhar…

Araújo, Emanuel Antonio de Rezende. O jogo teatral com a peça didática de Bertolt Brecht

Bad music: the music we love to hate.

Ball, David. Para trás e para frente: um guia para leitura de peças teatrais.

Barbosa, Silvio. Cidadania a educação que passa pela TV brasileira.

Câmara, Raimundo. A inserção do programa Castelo Rá-Tim-Bum.

Castro, Consuelo de. À prova de fogo (peça em 3 atos).

Costa, Helouise. A fotografia moderna no Brasil.

Costa, Paulo. Diagnose em canto coral parâmetros de análise e ferramentas para avaliação.

Couchot, Edmond. A tecnologia na arte da fotografia.

Dencker, Ada de Freitas Maneti. Métodos e técnicas de pesquisa em turismo.

Dubois, Philippe. O ato fotográfico e outros ensaios.

Eco, Umberto. Viagem à irrealidade cotidiana.

Esteves, Antonia P. Televisão, criança, e professor uma proposta educativa.

Fabris, Annateresa. Identidades virtuais: uma leitura do retrato fotográfico.

Figueiredo, Lucy. Imagens polifônicas : corpo e fotografia.

Fios soltos: a arte de Hélio Oiticica.

Frye, Northrop. Sobre Shakespeare.

Glass, Philip. Opera on the beach.

Goulart, Ron. The great comic book artists.

König, René. Sociología de la moda.

Lipovetsky, Gilles. A sociedade da decepção.

Lipovetsky, Gilles. A sociedade pós-moralista o crepúsculo do dever e a ética indolor dos novos tempos democráticos.

Lipovetsky, Gilles. Metamorfoses da cultura liberal ética.

Lopes, Paulo. Estudo do desenvolvimento da escuta melódica de adultos integrados a coros vocacionais.

Lurie, Alison. Borges, Ana Luiza Dantas. A linguagem das roupas.

Maffesoli, Michel. Sobre o nomadismo.

Magalhães, Elcio. Processos fotográficos do século XIX.

Mogadouro, Cláudia de Almeida. Do pátio à sala de aula possibilidades.

Moran, José Manuel. Novas tecnologias e mediação pedagógica.

Napolitano, Marcos. Como usar a televisão na sala de aula.

Napolitano, Marcos. Cultura brasileira utopia e massificação.

Napolitano, Marcos. Cultura e poder no Brasil contemporâneo.

O fotográfico.

Oliveira, Christian. Turismo religioso.

Pedrosa, Mário. Mundo, homem, arte em crise.

Pedrosa, Mário. Mundo, homem, arte em crise.

Pedrosa, Mário. Política das artes textos escolhidos.

Potter, Keith. Four musical minimalists.

Ramos, Marco Antonio da Silva. Canto coral do repertório temático à construção do programa.

Shakespeare, William. A tragédia de Hamlet.

Sloboda, John. A mente musical: a psicologia cognitiva da música.

Stravinsky, Igor. Poética Musical

Toop, David. Ocean of sound aether talk, ambient sound and imaginary worlds.

Trindade, Cristina. Em busca de uma escritura cênica a partir de Artaud.

Valores e comportamentos nas organizações.

 


Quando o livro não volta

05/05/2014

Você precisa muito daquele livro para concluir seu TCC ou o trabalho final de uma disciplina. Mas alguém retirou esse livro e não devolveu. Está um mês atrasado e o pessoal da biblioteca não sabe dizer quando volta.  Aí você escuta aquela frase temível:

Já telefonamos e mandamos e-mail, mas a pessoa não deu retorno.

O livro que você precisa ler está emprestado. Você faz uma reserva, porque gostaria de aproveitar o feriado para estudar. Mas o colega que está com o livro prefere ignorar a sua necessidade e passar o feriado com o livro, mesmo sabendo que isto acarretará uma suspensão.

O professor pediu para a Biblioteca colocar alguns títulos de sua bibliografia na reserva didática, para todo mundo poder consultar, mas ninguém levar emprestado. Acontece que os livros já estavam emprestados quando ele fez o pedido de reserva, nas mãos de um  usuário que decidiu viajar para o exterior com os livros e não vai devolvê-los antes do final do semestre.

Chato, não?

É para minimizar essas situações tão desagradáveis  que as bibliotecas da USP aplicam penalidades rigorosas para os usuários que atrasam a devolução do material. Não cobramos multas em dinheiro, mas suspendemos os empréstimos por um período igual ao tempo de atraso, multiplicado pela quantidade de itens. Por essa regra, o usuário que devolver 10 livros com atraso de um dia, ficará 10 dias suspenso em todas as bibliotecas do sistema.

E atenção: fins de semana e feriados também são contados como dias de atraso, ainda que a biblioteca não esteja aberta. Um dos objetivos dessa regra é desestimular o atraso anterior aos feriados prolongados, já que todo mundo gosta de aproveitar esses dias para estudar e fazer trabalhos.

Portanto, tome cuidado! Você pode renovar o empréstimo por 3 vezes, e pode fazer isso isso pelo Dédalus ou Busca Integrada, facilmente. Veja como:

http://www3.eca.usp.br/biblioteca/servicos/renovacao

Se tiver alguma dificuldade com isso, entre em contato conosco por telefone, e-mail ou chat, faremos a renovação para você. E depois de renovar as três vezes, se você ainda precisar de mais tempo, traga o material, devolva  e retire novamente (se ninguém tiver feito reserva).  É simples assim, ninguém precisa estourar o prazo e ficar suspenso.

Mas não se esqueça de um detalhe importante : se alguém fizer uma reserva do material que está com você, a renovação não será possível. Portanto, não leve os livros da biblioteca para um lugar onde fique impossível fazer a devolução – outro país ou cidade, por exemplo. Se você não devolver e não fizer a renovação, ficará suspenso. Mesmo que você tenha viajado com os livros, mesmo que você tenha esquecido  o livro trancado em sua casa antes de viajar, mesmo que esteja fazendo seu TCC ou terminando sua tese, você ficará suspenso. A Biblioteca da ECA lamenta, mas não pode remover a penalidade, ainda que você esteja precisando muito retirar material.

A regra da suspensão para quem atrasa não é da Biblioteca da ECA, é de todas as bibliotecas da USP. Está na portaria que institui o empréstimo unificado na USP. Mais informações:

http://www3.eca.usp.br/servicos/biblioteca/emprestimos

Quando são prejudicados por atrasos na devolução, os usuários costumam cobrar providências dos funcionários da Biblioteca.

Mas vocês não cobram essas pessoas? Vocês não podem fazer nada para evitar isso?

Bem, na verdade, cobranças por e-mail, carta, telefone e mensagens pessoais pelo Facebook são parte da nossa rotina de trabalho e consomem bastante tempo da equipe. Um tempo que, não podemos deixar de lembrar, poderia estar sendo empregado em outros serviços, se todos os usuários respeitassem o compromisso assumido quando pegam emprestado um bem público. E isso é tudo que a Biblioteca pode fazer: cobrar com regularidade, aplicar as desagradáveis penalidades previstas no regulamento e pedir a todos que sejam solidários com seus colegas.

E se você for furtado ou roubado? Se alguém levar seu carro ou sua mochila com livros de uma biblioteca dentro? Bem, mesmo não sendo sua culpa, você precisa repor os livros perdidos, porque o material estava sob sua responsabilidade. Entre em contato conosco para tratar do assunto antes do vencimento do prazo do empréstimo – não deixe atrasar. Se você tiver dificuldades para comprar o material perdido, podemos negociar um prazo razoável para a reposição. Venha conversar!

 


%d blogueiros gostam disto: