Livros que somem

15/08/2016

Em março deste ano fizemos o inventário da coleção da Biblioteca da ECA. Para quem não sabe, trata-se de comparar todo o acervo físico com seus registros no banco de dados, para verificar se há materiais sumidos, registros errados no sistema e outros problemas.

Essas verificações são necessárias porque toda biblioteca bastante consultada está sujeita a furtos, apesar das câmeras de vigilância e do controle eletrônico do material.
Antigamente, no tempo da ficha, esse processo era tão complicado e moroso que precisávamos fechar a Biblioteca por, no mínimo, 20 dias. Hoje, felizmente, já podemos fazer inventários automatizados, que demandam bem menos tempo e trabalho, já que os dados são coletados por leitores de códigos de barras e posteriormente comparados automaticamente pelo programa com os dados do Dédalus. Dessa forma, todo o processo pode ser feito com a Biblioteca aberta.

Esse foi nosso segundo inventário automatizado (o primeiro foi feito em 2012). De lá para cá a quantidade de materiais desaparecidos por ano diminuiu, fenômeno que já havíamos detectado no inventário anterior, realizado em 2006. É uma boa notícia, principalmente se considerarmos que o volume de empréstimos e a frequência de usuários estão se mantendo estáveis nos últimos anos.

Entre 2006 e 2012 a nossa média anual de perdas era de 42 volumes. De lá para cá, a média caiu para 34 volumes, com o diferencial de que este último inventário também incluiu parte do acervo de audiovisuais.

DSCN7196

Muitos leitores devem estar pensando “que horror, desaparecem 34 livros por ano de uma biblioteca e vocês ainda acham pouco”. Pois é, na verdade não é muito. Pensem que, nesse mesmo período, circularam pela Biblioteca da ECA, em média 7200 pessoas por mês e fizemos 2300 empréstimos mensais (também em média). Além disso, provavelmente alguns desses perdidos ainda vão aparecer nos próximos meses.

De qualquer forma, ainda que a quantidade de livros desaparecidos não seja preocupante, é muito triste constatar que livros importantes, caros, adquiridos e mantidos com verbas públicas e difíceis de serem localizados em outros locais, provavelmente tenham sido furtados de uma biblioteca. Pesquisadores foram privados do acesso a informações vitais para seus trabalhos. Estudantes sem recursos tiveram sua chance de ler um livro que não podem comprar roubada por alguém que agiu de forma egoísta.

E ainda existem pessoas que se orgulham de furtar  livros em bibliotecas, como se fosse um gesto transgressor e rebelde. Vamos pensar melhor e rever isso aí?


Números de 2012

08/01/2013

Uma biblioteca parece um lugar bastante tranquilo – e na verdade é.  Mas isso não quer dizer que não seja um lugar cheio de atividade. Muito trabalho silencioso acontece para que uma biblioteca possa cumprir suas funções.

aaaDSC_0016

Vejam, por exemplo, um resumo dos principais números de 2012 da Biblioteca da ECA:

Passaram pela catraca 7937 pessoas por mês, em média.
Fizemos um total de 37919 empréstimos de material durante o ano, incluindo livros, revistas, teses, DVDs, CDs, partituras etc.

As consultas ao acervo realizadas localmente totalizaram 51257 no decorrer do ano.

Por “consulta” entendemos que alguém retirou um livro ou revista da estante, por exemplo, para ler na própria Biblioteca, ou apenas dar uma rápida olhada em seu conteúdo. Ou solicitou várias partituras para escolher qual delas levar, ou assistiu um DVD ou vídeo em nossos equipamentos da Seção de Multimeios.

Foram comprados 490 livros novos.
3516 itens foram recebidos em doação. Esse número inclui 990 livros, 129 CDs, 172 DVDs, 265 partituras e 810 fascículos de revistas.

Foram processados 6735 itens do acervo, entre livros, teses, DVDs, catálogos de exposição, partituras, fotografias, imagens digitais, CDs, discos em vinil e muitos outros tipos de documento.

1144 DVDs foram cadastrados no Dédalus.

“Processar” significa fazer a catalogação do documento, cadastrá-lo no Dédalus ou nas bases de dados específicas da Biblioteca da ECA, classificá-lo e indexá-lo por assunto, fazer resumos e uma série de outros procedimentos que possibilitem que os usuários encontrem o que necessitam no acervo.

Foram coletados 48560 códigos de barras de Livros, Folhetos, Peças de teatro não editadas, TCCs, Teses e Memoriais para a realização do Inventário Automatizado, entre os dias 02 e 20 de julho, sem a necessidade de fecharmos a Biblioteca. Desses materiais não localizamos  327 volumes.

Inventário é a levantamento e conferência dos materiais que compõem o acervo da Biblioteca. No Inventário Automatizado coletamos, com um scaner portátil, os códigos de barras dos materiais que estão acervo para serem confrontados com o Banco de Dados Bibliográfico da USP (Dédalus), possibilitando a identificação dos itens extraviados.

Em bibliotecas de acesso livre acesso e bastante frequentadas o desaparecimento de material é um fato inevitável. Felizmente, aqui na Biblioteca da ECA, a quantidade de desaparecimentos tem diminuído significativamente a cada inventário. E ainda temos esperança de recuperar alguns dos volumes não localizados.

A Biblioteca da ECA também tem usado as redes sociais para se comunicar informalmente o público.

Temos 3286 seguidores no Twitter, 1197 amigos no Facebook e 86 contatos no Flickr, onde nossas 148 fotos já totalizaram 6.158 visualizações. Se você ainda não está incluído nesses números, junte-se a nós!

Este blog teve 41.000 visualizações em 2012. Publicamos 34 novos posts nesse ano. O dia com mais tráfego foi 20 de novembro, com 320 visitas. O artigo mais popular nesse dia foi Citando filmes.

Esperamos que o ano de 2013 traga números ainda mais expressivos.


%d blogueiros gostam disto: