Questões de limpeza

31/07/2017

Uma biblioteca suja? Cheia de poeira? Insetos mortos no chão e fungos do tamanho de pitangas crescendo nos livros?

Não, não pode. Não poderia. Bibliotecas precisam de limpeza para receber seus usuários de forma digna e manter conservados seus maravilhosos acervos.

 

Mas, infelizmente, nossa Biblioteca têm recebido frequentes reclamações sobre sujeira no acervo, nas estantes e banheiros, quase todas bastante procedentes. O que acontece? Essas bibliotecárias, esse bibliotecário (temos só um) e todos esses técnicos  não ligam para o patrimônio sob sua responsabilidade?

Nada disso, pessoal. Nossa equipe é muito consciente dos perigos que a sujeira traz, não apenas para o acervo, mas também para o público e para nós mesmos, que passamos praticamente o dia todo aqui. Temos uma oficina de conservação, com funcionários capacitados e bem informados sobre todas essas questões. O problema é que a solução desses problemas não está ao nosso alcance.

A limpeza na Biblioteca da ECA, assim como em toda a Universidade, é atividade terceirizada, feita por empresas contratadas para esse fim. Toda a limpeza da Biblioteca e de mais alguns outros espaços da Escola é feita por uma única funcionária terceirizada. Não é difícil ver que é humanamente impossível a limpeza do recinto ser perfeita, ainda que os  funcionários da Biblioteca se encarreguem de limpar suas próprias mesas (e muitas outras coisas, na verdade).  Esse é um dos motivos pelos quais não permitimos que as pessoas comam ou tomem bebidas que não sejam água no interior da Biblioteca. Cafés entornados ou migalhas derrubadas aumentariam ainda mais a impressão de sujeira e a proliferação de insetos, principalmente daqueles horríveis e cascudos cuja presença já foi denunciada pelos usuários.

Nos últimos meses, tivemos o agravante das reformas. Quebra de paredes, troca de piso e forro, mudança de estantes deslizantes e outras atividades desse tipo contribuíram para aumentar a sujeira do ambiente.

E os banheiros, que nem sempre estão limpinhos e abastecidos com papeis e sabonetes? Bem, os banheiros de todos os prédios da ECA, incluindo os nossos, são de responsabilidade de apenas três funcionárias da empresa contratada. São muitos banheiros  para poucas moças cuidarem, e as falhas no serviço são constantes. Banheiros decorados são simpáticos, mas limpeza ainda é o requisito mais importante em instalações sanitárias.

O contrato com as empresas não prevê limpeza de acervo. A higienização dos nossos livros, revistas, teses e outras coleções impressas só é feita quando conseguimos contratar serviços de empresas especializadas nesse tipo de trabalho, que requer formação e treinamento específico das equipes. Os próprios funcionários da Biblioteca às vezes botam sua roupinha branca e fazem a higienização adequada de partes da coleção, mas não é possível limpar o acervo todo.  Nos casos mais graves de contaminação por fungos, enviamos lotes de livros para tratamento por radiação no IPEN.

Estamos contando tudo isso para que vocês saibam como as coisas funcionam (ou não funcionam). Não queremos que vocês parem de reclamar, pelo contrário. As queixas dos alunos, docentes e público em geral nos ajudam muito na luta por melhores condições de limpeza e manutenção das nossas instalações.  Podem reclamar conosco, por  e-mail, chat, Facebook ou caixinha de sugestões. Pessoalmente e por telefone também (claro), mas é sempre melhor ter um registro para mostrar. E vocês também podem se dirigir diretamente ao setor responsável pelo contato com a empresa limpadora, nos Serviços Gerais da Escola.

Serviços Gerais

(11) 3091.4040 (sr. Osvaldo)

Biblioteca

E-mail: http://www3.eca.usp.br/biblioteca/formulariocontato

Chat – http://sos.eca.usp.br/eca/livezilla/livezilla.php?reset=true

Facebook: http://www.facebook.com/ecabiblioteca

E os fungos do tamanho de pitangas? Brincadeira, pessoal. Venham sem medo, não temos monstros aqui! Mas, se aparecer algum, avisem.

 

 


%d blogueiros gostam disto: