Cut-up filmes (W.S.Burroughs e Antony Balch)

por Crenilda Abreu

Este DVD traz cinco títulos “The cut-ups(1966)” , “Ghost at n. 9(Paris)(1963-1972)” Towers open fire(1963)” e Bill & Tonny (1972) “William buys a Parrot(1963)” frutos da parceria de Burroughs e Balch usando o método cut up no cinema.

O mais velho representante da geração beat americana, Burroughs descobriu o cut-up em 1959 em Paris através de seu amigo e pintor Brion Gysin.
Quando Gysin começou experimentar Cut-ups em seus trabalhos, Burroughs imediatamente viu a semelhança desse método com as ‘justaposições’ usadas por ele em seu livro “Naked Lunch”. Em 1960 ele publicou essas primeiras experiências com Cut-ups no livro “Minutes to go” (em parceria com Gysin, Sinclair Beiles e Gregory Corso).
Burroughs e Gysin se engajaram nos experimentos com Cut-ups em vários meios. Balch estava familiarizado com o texto fragmentado de Burroughs e a idéia do Cut-up o instigou a procurar o equivalente no cinema.
O primeiro desses filmes-experimento foi Towers Open Fire, colagem dos principais temas e situações presentes nas Cut-ups novels feitas por Burroughs.

O Método cut-up por William Burroughs

No verão de 50 Brian Gysin, pintor e escritor, cortou artigos de jornal em partes e rearranjou os pedaços ao acaso.

‘Minutes to go’ é o resultado desse primeiro experimento com o cut-up. Esse livro contém cut-ups sem edição,  mantidos inalterados, que surgem como prosa coerente e significativa.

O método cut-up traz a colagem para os escritores, algo já usado pelos pintores há 50 anos. Na verdade, todos os disparos de cameras móveis ou fixas são, pelo imprevisto do que se pode passar e justaposiçoes possíveis , cut-ups.

E um fotógrafo vai lhe dizer que geralmente suas melhores fotos são acidentes…e os escritores dirão o mesmo.

Os melhores textos parecem surgir quase por acidente, mas até que o metodo cut-up fosse descoberto (Todo escrito é na verdade cut-up, vou voltar nesse ponto) os escritores não tinham jeito de produzir o acidente da espontaneidade . Voce não pode dispor da espontaneidade. Mas pode introduzir o fator da imprevisibilidade espontanea com uma tesoura.

O método é simples. Eis um jeito. Pegue uma página. Como esta por exemplo. Agora corte ao meio e depois de novo. Você tem 4 partes: 1, 2, 3, 4 … uma duas três quatro. Agora rerranje os pedaços colancando o ultimo com o primeiro e o segundo com o terceiro. E tem-se uma nova página.

Às vezes diz quase a mesma coisa. Às vezes algo totalmente diferente — (recortar um discurso político é um exercicio interessante).

Em todo caso você vai ver que diz alguma coisa e algo bem definido. Pegue um poeta, ou escritor que gostar. Anedotas, ou poemas que já tenha ouvido muitas vezes.

As palavras perderam significado e vida pelos anos de repetição. Agora pegue o poema selecione e copie passagens. Encha a página de trechos. Agora recorte a página. Você terá um novo poema. Quantos quizer.

Os Shakespeare’s e Rimbaud’s que quizer. Tristan Tzara disse: “Poesia para todos”, André Breton o chamou de polícia e o expulsou do movimento. Diga isso de novo: “Poesia é para todos”. Poesia é um lugar e aberto a todos os cut ups de Rimbaud, e você esta no espaço de Rimbaud. Eis um cut up de Rimbaud:

“Visit of memories. Only your dance and your voice house. On the suburban air improbable desertions . . . all harmonic pine for strife. “The great skies are open. Candor of vapor and tent spitting blood laugh and drunken penance.

Promenade of wine perfume opens slow bottle. “The great skies are open. Supreme bugle burning flesh children to mist.”

Cut-ups são para todos. Qualquer um pode fazer cut-ups. É experimental no sentido de ser algo pra se fazer. Right here write now. Não uma coisa de que se fale ou investigue.

Os filosofos gregos assumiram logicamente que um objeto duas vezes mais pesado que outro cairia duas vezes mais rapido. Não lhes ocorreu colocar os dois numa mesa e ver como caiam.

Recorte as palavras e veja como caem.

Shakespeare, Rimbaud estão vivos em suas palavras. Recorte as linhas e vai ouvir suas vozes. Cut ups costumam vir como mensagens codificadas com significado especial para quem corta.  Mesa-branca, mediunismo? Talvez. Certamente um salto na performance deplorável como se vê um poeta na mídia. Rimbaud surgiu e foi seguido por alguns poetas sofrivelmente ruims. Recortando Rimbaud pode-se ter a certeza de boa poesia, ainda que sem toque pessoal.

Todo texto é na verdade cut up. Colagem de palavras lidas ouvidas encabeçadas. Que mais? Usar a tesoura torna o processo aberto e matéria de expansão e variações. A prosa clássica, clara, pode ser toda composta pelo rearranjo de cut- ups.

Cortar e rearranjar uma página traz uma nova dimensão pra escrita, deixa o escritor tranformar imagens em variação cineramica .

Imagens ganham sentido por meio de uma tesoura, cheiram imagens pelo som visto pelo som ouvido pela cinestética.
Era ai que Rimbaud queria chegar com suas vogais coloridas. E seu ‘sitemático desarranjo dos sentidos’. O lugar de alucinaçoes, mescalina : ver cores provar os sons e cheirar formas.
Os cut-ups podem ser aplicados a outros lugares além de textos. Dr. Newman no seu “Theory of games and economic behavior” introduziu o metodo cut-up de açoes aleatorias num jogo e na estratégia militar: assumindo que o pior aconteceu e agindo de acordo. Se essa estratégia é de alguma forma descoberta… por causa da aleatoriedade o seu oponente nao terá qualquer vantagem em saber dela, já que não poderá prever o proximo passo.
O método cut up pode ser usado com vantagem no campo cientifico. Quantas descobertas não foram meros acidentes? Não se pode produzir acidentes pela ordem.
Os cut-ups trazem uma nova dimensão para os filmes. Recortar ao azar milhares de cenas ao azar dos lugares e tempos. Cortar pra trás. Cortar ruas do mundo todo.
Cortar e rearranjar o mundo e as imagens nos filmes.
Não tem porque aceitar o recauchutado quando se pode ter o melhor em primeira mão. E o melhor está ai, pra todos. “Poesia é pra todo mundo”…

Burrougs transcreveu ao fim do texto o cut-up do paragrafo anterior recortado em quatro partes e rearranjado.

ALL WRITING IS IN FACT CUT UPS OF GAMES AND ECONOMIC BEHAVIOR OVERHEARD? WHAT ELSE? ASSUME THAT THE WORST HAS HAPPENED EXPLICIT AND SUBJECT TO STRATEGY IS AT SOME POINT CLASSICAL PROSE. CUTTING AND REARRANGING FACTOR YOUR OPPONENT WILL GAIN INTRODUCES A NEW DIMENSION YOUR STRATEGY. HOW MANY DISCOVERIES SOUND TO KINESTHETIC? WE CAN NOW PRODUCE ACCIDENT TO HIS COLOR OF VOWELS. AND NEW DIMENSION TO FILMS CUT THE SENSES. THE PLACE OF SAND. GAMBLING SCENES ALL TIMES COLORS TASTING SOUNDS SMELL STREETS OF THE WORLD. WHEN YOU CAN HAVE THE BET ALL: “POETRY IS FOR EVERYONE” DOCTOR NEUMAN IN A COLLAGE OF WORDS READ HEARD INTRODUCED THE CUT UP SCISSORS RENDERS THE PROCESS GAME AND MILITARY STRATEGY, VARIATION CLEAR AND ACT ACCORDINGLY. IF YOU POSED ENTIRELY OF REARRANGED CUT DETERMINED BY RANDOM A PAGE OF WRITTEN WORDS NO ADVANTAGE FROM KNOWING INTO WRITER PREDICT THE MOVE. THE CUT VARIATION IMAGES SHIFT SENSE ADVANTAGE IN PROCESSING TO SOUND SIGHT TO SOUND. HAVE BEEN MADE BY ACCIDENT IS WHERE RIMBAUD WAS GOING WITH ORDER THE CUT UPS COULD “SYSTEMATIC DERANGEMENT” OF THE GAMBLING SCENE IN WITH A TEA HALLUCINATION: SEEING AND PLACES. CUT BACK. CUT FORMS. REARRANGE THE WORD AND IMAGE TO OTHER FIELDS THAN WRITING.

Informações Técnicas:

Extras: curta That-Fal’N (EUA, 1978 – 9min, dir. Stan Brakhage)

O método cut-up por William Burroughs

1. William buys a parrot (EUA, 1963, Cor, 1′)
2. Towers open fire (ING, 1963, P&B, 9′)
3. The Cut-ups (ING, 1966, P&B, 19′)
4. Ghost at nº 9 (Paris) (ING, 1963-1972, P&B/Cor, 43′)
5. Bill & Tonny (ING, 1972, Cor, 5′)

A biblioteca possui três cópias desse dvd,  dois podem ser emprestados: DVD1398, DVD1473

Fontes:
http://www.brightlightsfilm.com/39/cutups1.php

http://languageisavirus.com/articles/articles.php?subaction=showcomments&id=1099111044&archive=&start_from=&ucat=

texto usado na tradução:
http://writing.upenn.edu/~afilreis/88v/burroughs-cutup.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: