Uma “prosa” sobre o Schema.org

22/11/2021

A série “Prosas de catalogação” é uma atividade organizada pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Catalogação – GEPCAT. São palestras transmitidas pela canal do GEPCAT no YouTube, realizadas por profissionais ou pesquisadores da área que têm algo de interessante a dizer sobre o tema da catalogação e assuntos correlatos, sempre de maneira informal.

A prosa mais recente foi com Tiago Murakami, bibliotecário da equipe da Biblioteca da ECA com muita experiência em softwares de automação de bibliotecas, bibliotecas digitais e visualização da Informação. Tiago falou sobre o Schema.org, “uma atividade colaborativa da comunidade com a missão de criar, manter e promover esquemas para dados estruturados na Internet, em páginas da Web, em mensagens de e-mail e muito mais”. Em síntese, Tiago abordou o tema dos padrões necessários para organização de informações, de forma geral, explicando quais são as principais qualidades e limitações mais importantes do formato MARC – Machine Readable Cataloging, um dos mais usados nos catálogos de bibliotecas. Mostrou as diferenças entre o MARC e o Schema.org, um padrão mais novo, que já nasceu na Web e está preparado para o trabalho nesse ambiente – onde já é usado por mais de 10 milhões de sites.

Mesmo não tem sido criado especificamente para biblioteca, o Schema.org, segundo Murakami, pode ser adotado em sistemas de bibliotecas. A prosa termina com a apresentação, em primeira mão, da base de dados que Tiago está desenvolvendo para o acervo de gravações da Biblioteca da ECA, que deve substituir nossa heroica, porém já envelhecida e defasada, base Sonora.

Assistam ao vídeo da palestra:

Prosas de Catalogação : Uma visão sobre o Schema.org para bibliotecas, com Tiago Murakami

Também estão disponíveis os slides da apresentação.


Empréstimos por agendamento

05/11/2021

A partir de 8 de novembro vamos oferecer nosso serviço de empréstimos por agendamento. Para solicitar os empréstimos, preencha o formulário de agendamento e aguarde a resposta da Biblioteca. Vamos deixar o material separado para ser retirado no dia marcado. A ideia é evitar demora no atendimento, filas e aglomerações.

As regras para esse serviço são diferentes do nosso regulamento normal. Observem:

  • O agendamento deve ser feito com 2 dias úteis de antecedência, no mínimo.
  • Serão emprestados 6 itens por pessoa, no máximo (exceto para cadastros válidos só na ECA)
  • Para os cadastros válidos só na ECA (ex-alunos ECA, alunos especiais, professores convidados), o limite será de 2 itens
  • O atendimento será feito pela porta lateral da Biblioteca, em frente ao jardim e ao monumento Lugar com Arco.
  • Horário: das 10 às 14 horas (segunda a sexta-feira)
  • Não será permitida a entrada no espaço de estudo da Biblioteca, nem o acesso direto ao acervo. O material será separado e entregue pelos funcionários.
  • Só serão atendidos pedidos previamente agendados.
  • Para ter acesso a esse serviço, é necessário estar com o ciclo de imunização completo.

O local já está preparado:

Importante

Leve seu cartão USP (pode ser o e-card). Se não encontrar o cartão, o empréstimo poderá ser feito com seu número USP, sua senha e um documento original com foto.

Para agilizar, observe sempre se o material pode ser emprestado e se está disponível.

No exemplo acima, o livro CIRCULA, ou seja, pode ser emprestado. E está DISPONÍVEL, ou seja, está lá no acervo.

Já este outro também CIRCULA, mas, neste momento, está emprestado até dia 14.01.22.

Consulte o site da Biblioteca, para acompanhar nossas informações, ou nossos perfis no Facebook, Twitter ou Instagram, ou nosso canal no YouTube.

Se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco pelo e-mail ecabiblioteca@usp.br.


Animais no campus

25/10/2021

Nosso post de hoje é bem diferente. Não vamos falar de serviços de biblioteca, pesquisa, normalização, acervos, recursos online, nada disso. Hoje o assunto é fofo: bichinhos.

No campus da USP no Butantã é comum encontrarmos diversas espécies de pássaros e outros animais de pequeno porte. Os estudantes que ingressaram em 2020 e 2021, sem aulas presenciais, provavelmente ainda não tiveram contato com esses “coleguinhas” uspianos, mas eles estão lá, e os funcionários que já retornaram ao trabalho presencial têm registrado sua presença. Vejam algumas fotos publicadas na página Funcionários USP: A USP que habito em fotos:

Tucano – foto: Gisele Lopes
Saruê – foto: Sandra Sedini
Sagui – foto: Carlito Paulo
Coruja – foto: Marina Macambyra
Capivaras da Raia Olímpica – foto: José Estorniolo Filho

Gaviões, teiús, pica-paus e nossos famosos quero-queros – esses em grande quantidade – podem ser vistos passeando pelo campus. A diminuição da presença humana durante a pandemia teria aumentado a presença animal? Muitos funcionários tiveram essa impressão, mas, segundo esta matéria do Jornal do Campus, isso não deve ter ocorrido.

De qualquer forma, os humanos que vão retornar ao campus, ou começar a frequentá-lo, têm muita diversão à sua espera. Observar e fotografar os bichinhos é ótimo, mas sempre com cuidado para não maltratá-los e evitar conflitos. Os saguis são lindos, mas podem morder e transmitir doenças. Além disso, não é recomendável alimentá-los. Teiús (aqueles lagartões), são ariscos e não querem conversa com humanos, mas podem reagir com golpes da cauda quando ameaçados. E os elegantes quero-queros são famosos por defender aguerridamente seus ninhos – é melhor, portanto, deixá-los em paz.

Você tem fotos ou mais informações sobre a bicharada uspiana? Poste nos comentários.

Leia mais:

Monitoramento da fauna pela Prefeitura da Cidade Universitária

Resgate de animais

Bichos na ESALQ


O início do retorno

19/10/2021


A Reitoria determinou o retorno ao trabalho presencial de todos os funcionários “totalmente imunizados”. Ou seja, todos que já estão com seu esquema vacinal completo. Entretanto, é permitido aos dirigentes das unidades autorizar o escalonamento das atividades em esquema de trabalho híbrido (presencial e remoto), caso os locais de trabalho não permitam o distanciamento mínimo entre os servidores em seu local de trabalho. O documento da Reitoria alerta, ainda, que as chefias e dirigentes devem providenciar adequações no espaço físico, para garantir que o retorno seguro.

Os funcionários da Biblioteca da ECA já começaram a retornar ao trabalho presencial, mas ainda de forma escalonada, para evitar aglomeração.

Vamos ver como ficam os serviços para o público?

Empréstimos e devoluções


Por enquanto, ainda não é possível retomar o serviço de empréstimos. Assim que tivermos funcionários em trabalho presencial em quantidade suficiente, e as adequações no espaço físico estiverem concluídas, implantaremos um plantão para empréstimos por agendamento. Avisaremos pela nossa página no site da ECA e pelos nossos perfis nas mídias sociais.
No momento, estamos atendendo, excepcionalmente, aos pedidos dos docentes da ECA realizados por e-mail, dentro das nossas possibilidades.

Já foi retomado o Empréstimo entre Bibliotecas com as instituições que estejam atendendo.

Para devolver material emprestado, temos nossa caixa de devoluções instalada na entrada da Biblioteca, no saguão do prédio central da ECA. Atenção:

  • a caixa é exclusiva para materiais da Biblioteca da ECA.
  • não coloquem doações na caixa. Por enquanto, o recebimento de doações está suspenso.

Espaço físico

A Biblioteca realizou uma reforma durante a pandemia, destinada a reparar o afundamento do piso na entrada e imediações. A obra física já foi concluída, mas ainda temos trabalhos de reorganização do espaço de atendimento, volta do acervo às estantes, ventilação, instalações elétricas e rede, entre outros, para terminar. Essas atividades estão sendo feitas no ritmo possível, de acordo com a volta dos servidores imunizados.

Além disso, estamos aguardando a adequação dos espaços devido às novas exigências sanitárias, em nome da saúde de todos. O empréstimo por agendamento, quando começar, será feito logo na entrada da Biblioteca, nesse balcão que aparece na foto. Ainda faltam as barreiras de acrílico, instalação elétrica e rede no local.

A ECA está realizando diversas reformas e adequações do espaço para garantir o retorno seguro da comunidade, é necessário um tempo para terminar tudo.

Digitalização

Estamos atendendo aos pedidos de digitalização de teses, artigos de periódicos e capítulos de livros. As solicitações dever ser enviadas ao e-mail da Biblioteca: ecabiblioteca@usp.br.

Novo prazo de empréstimo

A Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica – AGUIA suspendeu a renovação automática dos empréstimos anteriores à pandemia. Entretanto, como a ECA ainda não retornou às aulas presenciais, pedimos que fosse feita mais uma renovação para nossos materiais. O novo prazo é 4 de novembro.

Essa renovação não atinge empréstimos realizados em outras bibliotecas. Para esses casos, o próprio usuário pode fazer a renovação pelo Dédalus, Busca Integrada ou aplicativo móvel Bibliotecas USP. Até fevereiro de 2022 não haverá limites para essas renovações. Vejam, em nosso site, o procedimento para renovações.

TCCs

Muitos ex-alunos estão entrando em contato conosco para perguntar sobre seus TCCs defendidos recentemente.

Esclarecemos que todos os TCCs que nos foram encaminhados de forma correta pelos Departamentos, de acordo com a portaria da CoCEX-CoG (recomendados pela banca e homologados pela Comissão de Graduação), foram catalogados e estão disponíveis para download no Dédalus e na Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos. Por enquanto, apenas o CAC e o Curso de Especialização Arte na Educação: Teoria e Prática enviaram seus TCCs dessa forma.

Neste vídeo, disponível no canal da Biblioteca no YouTube, explicamos o fluxo completo dos TCCs após a defesa. Divulguem para seus alunos e colegas!

Treinamentos

Você precisa de ajuda para localizar referências para sua pesquisa ou trabalho? Gostaria de conhecer as melhores fontes de informação online disponíveis? Tem dúvidas sobre normalização de trabalhos, citação e referências? Quer dicas sobre preenchimento do currículo Lattes e do ORCID? Conheça o programa de treinamentos da Biblioteca da ECA em sua versão à distância. Clique no link e escolha o assunto. Se sua dúvida não estiver no cardápio, não tem problema. Mande um e-mail para nós e pergunte!

Treinamentos

Como entrar em contato

A forma mais rápida e segura de conversar conosco é o e-mail institucional: ecabiblioteca@usp.br. Abrimos diariamente, várias vezes por dia, e geralmente respondemos no mesmo dia ou no dia seguinte. Além disso, todos os endereços de e-mail da equipe estão disponíveis na nossa página no site da ECA.

Mensagem para nossa página no Facebook ou perfil no Twitter também funcionam.

Telefones? Ainda não.

Para acompanhar as novidades

Para saber tudo sobre nossos serviços remotos e sobre a retomada do atendimento presencial, acessem nossa página no site da ECA, assinem o boletim Acontece na Biblioteca ou nos sigam nas mídias sociais. Qualquer notícia nova será postada nesses locais.


AND, OR, NOT

07/10/2021

Os operadores booleanos (AND, OR e NOT) indicam, em um sistema de busca, a relação entre os termos do tema que estamos pesquisando. Foram criados por George Boole, matemático do século 19 e um dos precursores da lógica moderna e são baseados na teoria dos conjuntos que aprendemos nas aulas de matemática (Intersecção, União e Exclusão).

Um exemplo clássico para explicar o uso dos operadores é o do cachorro e das pulgas. Se buscarmos cachorro AND pulgas vamos obter resultados com os dois animais no mesmo documento:

Se buscarmos cachorros OR pulgas, vamos obter resultados com qualquer um dos animais, ou ambos:

Mas, se não quisermos pulgas no nosso cachorro, temos que buscar cachorros NOT pulgas:

Mas quando e como usar AND, OR ou NOT sem enlouquecer nem travar o computador?

Uma dica: provavelmente você usa pelo menos um deles, todos os dias. Quando a gente digita arte moderna num buscador de internet ou no Dédalus, por exemplo, estamos usando o operador AND (substituído pelo espaço entre as duas palavras). A maioria dos sites, catálogos e bases de dados, hoje em dia, é assim. Como resultado, vamos obter registros que contém as duas palavras. Por exemplo:

Nem sempre, porém, vamos encontrar um livro ou qualquer outro conteúdo sobre arte moderna, pois estamos apenas recuperando palavras que aparecem no mesmo registro, texto, site etc. Um livro no Dédalus com o assunto ARTE RUPESTRE, publicado pela editora MODERNA, também seria recuperado nessa busca. Colocar a expressão de busca entre aspas (“ARTE MODERNA”) ajuda a obter um resultado mais preciso, porque os sistemas buscam a expressão completa, não cada palavra individualmente. Funciona nos buscadores, no Dédalus e na maioria das bases de dados.

E se quisermos fazer a busca usando o operador OR? Bem, aí será necessário digitar o operador.

arte OR moderna

ou selecioná-lo na tela de busca, como nesse exemplo do Scielo. A maioria das boas bases de dados têm esse recurso.

O resultado será um conjunto formado por todos os registros que contenham a palavra ARTE mais todos que contenham a palavra MODERNA. Ou seja, vamos encontrar trabalhos sobre qualquer tipo de ARTE e qualquer coisa moderna (até mesmo a vacina contra COVID que tem esse nome). Muitos estudantes gostam do operador OR, porque “traz mais coisas”, mas também traz muito material que não é pertinente. Então, para que serve o operador OR? Alguns usos mais populares:

  • Agrupar sinônimos ou termos de significado semelhante. Por exemplo: fotografia OR imagem
  • Termos em idiomas diferentes: pintura OR painting
  • Agrupar nomes diferentes de pessoas, países, cidades etc: fellini OR visconti; Brasil OR Argentina
  • Buscar várias datas: 2020 OR 2021

O operador NOT (também chamado de AND NOT) tem a função de excluir um conjunto de outro. Se quisermos excluir ARTE RUPESTRE de nossa pesquisa sobre arte, por exemplo, podemos fazer a busca: arte NOT rupestre.

Simples, não? Então vamos complicar um pouco. Para combinar mais um operador na mesma busca, às vezes precisamos usar parênteses, para indicar ao sistema qual é a primeira operação a ser feita. Por exemplo, se quisermos recuperar, no Dédalus, documentos sobre história da pintura e da escultura, a busca é assim:

história AND (pintura OR escultura)

Vamos testar? Façam essa busca sem os parênteses e vejam como o resultado muda.

Dúvidas? Falem conosco, comentando aqui ou mandando e-mail para ecabiblioteca@usp.br.

O exemplo e as ilustrações do cachorro e das pulgas foi tirado do TCC de Veruska J. Lopes, Técnicas de análise para a usabilidade de diferentes máquinas de busca.

Mais informações:

Operadores booleanos: técnica chave para obter os melhores resultados de pesquisa


Devoluções e renovações pandêmicas

27/09/2021

[Atualização 01/10/21] Como ainda não estamos em condições de reabrir, pedimos para a Aguia fazer mais uma renovação dos empréstimos anteriores à pandemia. O novo prazo é 4 de novembro, a partir daí passa a valer a renovação pelo usuário. Quem quiser devolver, pode usar nossa caixa 24 horas, no saguão de entrada do prédio central da ECA, mas não precisa mais sair correndo para fazer isso. MAS, ATENÇÃO! Vale apenas para materiais da Biblioteca da ECA!

Durante esse período em que a biblioteca ficou (e permanece) fechada para atendimento presencial, os itens emprestados foram sendo renovados automaticamente, no entanto, a partir de 4 de outubro não haverá mais renovações automáticas, ficando as renovações sob a responsabilidade dos usuários.

Mas, por que de outubro? A Portaria GR nº 7670, de 12 de agosto de 2021, que dispõe sobre o retorno às atividades presenciais na Universidade de São Paulo, diz que o retorno às atividades presenciais para a graduação é nessa data, então para ficar de acordo com a portaria a Aguia (Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica) decidiu que não haveria mais renovações automáticas a partir de então. 

Mas não entrem em pânico! Acabaram as renovações automáticas, no entanto assim como é feito nos meses de férias, não haverá o limite de três renovações seguidas normalmente adotado. Mais precisamente, não haverá limites de renovações até fevereiro de 2022, desde que o material não esteja com data de devolução atrasada, nem seja reservado por outra pessoa. Essa decisão oferece mais segurança para as pessoas, pois nem tudo precisa ser devolvido num curto espaço de tempo.

Para renovar usem os canais que vocês já estão acostumados: Aplicativo Móvel da AGUIA, Banco DEDALUS ou Portal de Busca Integrada da USP. Caso queiram ou precisem devolver já, nossa caixa de devolução 24 horas no saguão do prédio central está disponível.

Para o caso dos empréstimos que estavam atrasados quando a biblioteca fechou, não serão contados no prazo de suspensão os dias em que o atendimento presencial ficou indisponível.

Mais informações sobre renovações acesse nosso site. Restando dúvidas sobre esse e outros assuntos, basta nos enviar um e-mail para ecabiblioteca@usp.br.


Resumindo

20/09/2021

Acabei a tese! Ah, não, ainda tem que fazer o resumo…

O resumo de uma tese, ou de qualquer outro trabalho acadêmico, não é apenas uma exigência formal criada pelas normas de documentação para aborrecer os pesquisadores. É um elemento importante, que tem a função de apresentar ao leitor, de forma rápida, o conteúdo do texto.

O que muita gente não sabe é que existem padrões para elaboração de resumos. As normas da ABNT indicam o seguinte:

  • O resumo deve ressaltar o objetivo, o método, os resultados e as conclusões do documento
  • O resumo deve ser composto de uma sequência de frases concisas, afirmativas e não de enumeração de tópicos. Recomenda-se o uso de parágrafo único.
  • A primeira frase deve ser significativa, explicando o tema principal do documento. A seguir, deve-se indicar a informação sobre a categoria do tratamento (memória, estudo de caso, análise da situação etc.).
  • Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular.
  • Evitar: a) símbolos e contrações que não sejam de uso corrente; b) fórmulas, equações, diagramas etc., que não sejam absolutamente necessários; quando seu emprego for imprescindível, defini-los na primeira vez que aparecerem.
  • 150 a 500 palavras os de trabalhos acadêmicos (teses, dissertações e outros) e relatórios técnico-cientifícos; de 100 a 250 palavras os de artigos de periódicos. Fonte: NBR 6028 – Informação e Documentação – Resumo – Apresentação.

Em seu Guia de apresentação de teses, a Biblioteca da Faculdade de Saúde Pública da USP acrescenta algumas dicas:

  • O resumo deve começar com uma frase que contenha o essencial do documento original, evitando repetir as palavras do título.
  • Deve incluir unicamente os pontos significativos, ser claro e conciso, evitando comentários periféricos e generalidades
  • O resumo não deve conter citações bibliográficas, tabelas, quadros, esquemas.
  • Deve-se evitar: uso de frases negativas, adjetivos, advérbios, neologismos e abuso de explicações; expressões como “O presente trabalho trata …”, “Nesta tese são discutidos….”, “O documento conclui que….”, “aparentemente é….” etc.; informações que não estejam o documento original; abreviaturas e siglas – quando absolutamente necessário, citá-las entre parênteses e precedidas da explicação de seu significado, na primeira vez em que aparecem.

Além do resumo, há outro elemento fundamental para sintetizar o conteúdo de um trabalho: as palavras-chaves, ou seja, palavras ou expressões que nos dizem sobre o que é o texto, quais são seus assuntos principais. Devem ser suficientemente curtas para que possam ser usadas na busca num catálogo ou base de dados. Para fazer uma boa escolha de palavras-chave, a dica é se colocar no lugar de um pesquisador que esteja procurando pela tese ou artigo. Que termos de busca fariam esse pesquisador encontrar o trabalho e, talvez, outros do mesmo assunto?

Algumas unidades da USP exigem que as palavras-chaves informadas pelos autores de tese sejam extraídas do Vocabulário USP, que é a lista padronizada de assuntos adotadas pelas bibliotecas. Na ECA, isso não é necessário. Somos nós, da Biblioteca, que selecionamos os termos mais adequados no Vocabulário USP, tomando por base o resumo e nas palavras-chaves dos autores. Os autores só precisam se preocupar em descrever bem o conteúdo do seu trabalho. Mas, quem quiser usar o Vocabulário USP, pode pedir nossa ajuda.

Leia também:

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação


Folha de rosto

13/09/2021

A folha de rosto é um elemento obrigatório na elaboração de trabalhos acadêmicos, mas ela também gera algumas dúvidas. Começando pelo termo usado para se referir a essa parte do trabalho, afinal, é folha ou página de rosto?

O Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia de Murilo Bastos da Cunha e Cordélia Robalinho de Oliveira Cavalcanti prefere o termo página de rosto, definindo-a como:

Página que, no início de um item (documento/livro), apresenta a informação mais completa sobre o título, a responsabilidade, indicações da área de publicação, distribuição e outros elementos pertinentes.

A norma brasileira ABNT NBR 14724, que trata da apresentação de trabalhos acadêmicos, adota folha de rosto, já que essa parte do trabalho acadêmico é formada por duas páginas, a frente e o verso da folha.

Na parte da frente da folha (anverso) deve constar:

  • a) nome completo do autor
  • b) título: em letras minúsculas, com exceção da primeira letra, nomes próprios e/ou científicos
  • c) subtítulo, se houver, deve ser precedido de dois pontos
  • d) indicação da versão original ou corrigida
  • e) número de volume: se houver mais de um, identificar em cada capa o respectivo volume
  • f) natureza: tipo do trabalho (dissertação ou tese) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); nome da instituição a que é submetido; área de concentração
  • g) nome do orientador e, se houver, co-orientador
  • h) local (cidade)
  • i) ano de depósito (da entrega)

Uma das dúvidas que surgem nesse momento do trabalho é se a versão corrigida da tese ou dissertação precisa de nova folha de rosto? Sim, é preciso indicar que se trata de versão corrigida, e eventualmente corrigir a ficha catalográfica, atualizando número de páginas ou qualquer outro dado.

Outra dúvida tem a ver com o item f da lista acima quando diz que deve-se indicar o ‘grau pretendido’. Algumas autoras não se sentem representadas pelo título de mestre, e perguntam se é possível usar mestra.  As Diretrizes… usam em seus exemplos doutora para autoras e mestre para ambos, embora dicionários digam que mestre é um substantivo masculino. O Houaiss diz também que mestra é a “mulher que se dedica ao ensino; professora”.

Embora não dicionarizada, essa acepção de mestra como mulher que obteve o grau de mestrado vem se impondo pela prática das pesquisadoras.

Já o verso da folha de rosto deve trazer a ficha catalográfica, que também deve ser atualizada caso se trate de versão corrigida, e a autorização para reprodução.

Autorizo a reprodução e divulgação total ou parcial deste trabalho, por qualquer meio convencional ou eletrônico, para fins de estudo e pesquisa, desde que citada a fonte

As Diretrizes para apresentação de dissertações e teses da USP – Parte I (ABNT) trazem modelos de páginas de rosto a partir da página 31, vale consultar.


Publicando sua tese

08/09/2021

Sua dissertação ou tese foi aprovada e a banca recomendou a publicação! Parabéns, mas… e agora? Como e onde publicar?

A rigor, a publicação do trabalho em sua forma acadêmica já está garantida. Todas as dissertações e teses defendidas na USP são publicadas em nossa biblioteca digital, em acesso aberto. É uma excelente política da USP, que visa dar acesso ao conhecimento produzido pela universidade pública a toda a população, de forma gratuita. Simples, justo e íntegro. E você não precisa se preocupar com mais nada, é a equipe da Biblioteca que faz a submissão do trabalho.

Entretanto, se sua vontade é a publicação como um livro, prepare-se para enfrentar mais trabalho. O primeiro passo deve ser uma conversa privada com seu orientador ou orientadora. Um trabalho orientado por alguém não é uma obra individual, logo é importante que essa primeira publicação derivada parta de um diálogo franco com o docente. Lembre-se de que um elogio feito no calor da hora, na alegria de uma defesa bem-sucedida, não é suficiente para você ter certeza de que deve investir numa edição em livro.

Livraria da Edusp
Livraria da Edusp, foto de Luciana Callegari

Algumas dicas

Tese e livro são formatos diferentes. Você vai precisar reelaborar muita coisa em seu texto para transformá-lo em livro. A ajuda de um editor será importante nesse processo.

Encontrar uma editora que se disponha a publicar sua dissertação ou tese não é fácil, independentemente dos elogios da banca e da qualidade da sua pesquisa. A Editora da USP (Edusp), por exemplo, não publica dissertações de mestrado e deixa bastante explícita, em sua política de publicação, a necessidade de reelaborar o texto.

Obras originadas de teses de doutorado devem ser reformuladas pelo autor antes de serem submetidas à apreciação editorial, visando a sua adaptação à publicação como livro. Deve-se adotar um texto mais fluido e mais enxuto no que tange às referências bibliográficas e notas de rodapé, com redação uniforme. Citações extensas, referências e/ou digressões, típicas de teses universitárias, deverão ser editadas. Teses de doutorado enviadas para avaliação pela Edusp sem a devida reformulação serão imediatamente recusadas.

No texto Produção textual acadêmica: como [não] transformar sua tese em livro, o editor Parábola Editorial explica, com uma sinceridade que pode ser dolorosa, porque não publicam dissertações e teses. Já a editora Annablume, criada em 1993 com o propósito de dar visibilidade à produção das universidades, tem como linha mestre a publicação de dissertações e teses, como exposto no texto História da Annablume. Vale a pena dar uma olhada no catálogo dessa editora, ou fazer uma busca no Dédalus para ver quais livros editados por ela estão disponíveis nas bibliotecas da USP.

Cuidado com as editoras predatórias. Já vimos que publicar teses não é simples, logo, desconfie de editoras que se oferecem para publicar a sua mediante o pagamento de uma taxa. Até onde sabemos, essas editoras não fazem nenhum tipo de trabalho editorial de verdade, que compense o gasto para os autores. Dessa forma, não há vantagens em relação à divulgação na biblioteca digital da USP, que não cobra nada nem dos autores nem dos leitores. Leiam um pouco mais sobre o assunto no Blog do Pós-graduando e aqui mesmo, neste blog.

Converse com os colegas que já publicaram sobre a experiência deles. É uma boa maneira de evitar arapucas editoriais.

Considere seriamente a possibilidade de extrair artigos de sua tese ou dissertação e tentar publicá-los em boas revistas acadêmicas. Por mais que a ideia do livro ainda tenha muito apelo e, por que não dizer, charme, atualmente a publicação em periódicos é muito valorizada no meio acadêmico. Ter um artigo publicado numa revista aumenta a visibilidade da pesquisa e as chances de ser citado. Mais uma vez, converse com seu orientador ou orientadora. Aqui, neste blog, já fizemos alguns posts sobre o assunto. Veja, por exemplo:

Se você usou imagens que não sejam de sua autoria, prepare-se para conseguir as autorizações para usá-las. Algumas editoras pedem esses documentos mesmo para imagens de uso livre, para evitar problemas.

Pode ser interessante dar uma olhada nas teses que viraram livros. Para descobrir algumas delas pelo Dédalus, digite a frase “Originalmente apresentado como tese” ou “Originalmente apresentado como dissertação”, selecionando o campo Notas. O resultado não é totalmente preciso, porque os termos da frase podem variar conforme a época ou a prática da biblioteca, mas dá para ter uma boa ideia.

Dica final: se você conseguir publicar como livro e a editora solicitar que o trabalho não fique disponível online em nossa biblioteca digital, entre em contato com a Comissão de Pós-Graduação e faça uma solicitação formal nesse sentido. A Biblioteca da ECA não pode fazer isso sem autorização dos canais competentes.


Antes do envio: pré-submissão e carta de apresentação

01/09/2021

A primeira coisa a se fazer ao enviar um artigo para submissão em um periódico, é checar normas de submissão dessa revista. Mas a submissão de um artigo pode não ser exatamente a primeira etapa nesse processo. Alguns periódicos aceitam, recomendam ou mesmo tornam obrigatório o envio de carta de apresentação ou uma consulta de pré-submissão.

São etapas anteriores à submissão do artigo, nas quais não exatamente se terá que enviar o manuscrito completo. Podem ser processos conjuntos, mas normalmente são independentes. É preciso levar em conta se há informação sobre esses expedientes nas diretrizes do periódico.

A carta de apresentação, que já foi um expediente mais comum, tem como objetivo principal fazer o “lobby” do seu artigo. Deve informar se se trata de manuscrito original, se alguma parte do trabalho já foi publicada antes ou está sob análise de outro periódico, se há questões de conflito de interesse e o título do trabalho. Deve ser sucinta, com descrição resumida de descobertas, entre outras coisas.

Em última análise, sua carta de apresentação é feita para influenciar a decisão do editor de enviar seu manuscrito para avaliação por pares.

Fonte: Writing a Journal Cover Letter [Free Template]

Já na consulta de pré-submissão, que algumas revistas da Nature, PLOS e Elsevier pedem, o objetivo principal é consultar se o artigo atende ao escopo do periódico. Permite uma resposta mais rápida aos autores sobre a pertinência do trabalho para o periódico, evitando a tarefa maçante de formatar o artigo para um periódico que de forma alguma estaria interessado em seu artigo. É uma forma inclusive de consultar vários editores ao mesmo tempo, algo proibido no processo de submissão propriamente. 

Pode servir para apresentar argumentos de como seu trabalho atende ao escopo do periódico. No entanto, uma resposta favorável nessa etapa não é garantia do que o artigo será publicado. Mas lembre-se, a maioria das revistas não pede nem oferece essa possibilidade.

Se você está submetendo artigo para periódicos que adotam esses procedimentos, nas páginas linkadas abaixo é possível encontrar modelos para ambos.

How to Write a Pre-Submission Inquiry for an Academic Journal

Writing a Journal Cover Letter [Free Template]

Mais informações sobre o processo de submissão


%d blogueiros gostam disto: