Mais 10 coisas para não fazer durante a pós-graduação

11/02/2019

Este post foi inspirado no texto 10 coisas que você não deve fazer em sua tese ou dissertacao, publicado no Blog do Pós-Graduando, de 2013, que ainda circula muito por aí. Fizemos uma versão incluindo o conceito de biblioteca, que consideramos útil para os pesquisadores.

1. NÃO PROCASTINE SUA IDA À BIBLIOTECA

O momento ideal para visitar sua biblioteca, aprender a consultar os catálogos, descobrir os recursos disponíveis, conhecer os bibliotecários e saber como eles podem ajudá-lo é no primeiro mês de aulas, antes de começar a pesquisa. Se você deixar para conhecer a biblioteca só quando seu orientador reclamar das suas referências e leituras, vai sofrer desnecessariamente. Acredite, uma das frases que os bibliotecários mais escutam é “por que eu não passei por aqui antes?”.

2. NÃO SEJA UM ILUDIDO

A ideia de que está tudo online e as bibliotecas e arquivos físicos não são mais necessários é um equívoco. Provavelmente você vai precisar de livros que só saíram em papel e que ninguém fez a gentileza de digitalizar. Dependendo da sua área de estudo, talvez tenha que consultar enormes arquivos de documentos impressos sem qualquer organização, se deslocar até outras cidades (ou países) e inalar muito poeira de papel antigo.

foto: Marino González (Flickr)

3. NÃO ECONOMIZE NA BUSCA DE ARTIGOS

Antes de ler muitos artigos, você vai precisar encontrá-los. E artigos não caem do céu, embora muitos estejam na nuvem. Lembre-se de que sua universidade provavelmente assina revistas em formato eletrônico e bases de dados para busca de artigos em milhares de títulos de periódicos, e nem sempre você vai encontrar todos esses conteúdos procurando só no Google Acadêmico. Peça informações sobre isso na sua biblioteca, mesmo que você ache que já tem tudo o que precisa. Talvez você nem precise ir pessoalmente até a biblioteca, muitas delas atendem por e-mail, telefone, chat…

 

4. NÃO TENHA MEDO DA ABNT (NEM DAS NORMAS DA APA, VANCOUVER OU CHICAGO)

Normalização não é muito simples mesmo, mas não é nenhum bicho-de-sete-cabeças. Basta entender e ter um pouco de paciência. Na maioria das bibliotecas universitárias há profissionais que podem ajudá-lo a entender isso tudo, manuais explicativos etc. Bibliotecários sabem lidar bem com essas coisas e também podem apresentá-lo aos gerenciadores de referências (Mendeley, Endnote etc), que descomplicam bastante a vida. Muitas bibliotecas até oferecessem treinamentos e aulas sobre essas ferramentas.

E sim, há várias outras normas além da ABNT, veja qual a sua instituição adota.  Atenção ao submeter artigos para revistas, veja qual é a norma adotada pela publicação.

5. NÃO SUPONHA QUE UMA INFORMAÇÃO EXISTA

Mas como ninguém escreveu nada sobre isso? Não é possível que não tenha nada na internet… Como esta biblioteca não tem esse material? Vou ter que ir até Portugal para consultar um arquivo?

Pois é, muitos pesquisadores se desesperam ao descobrir que fontes de informação, publicações ou acervos organizados que “tinham de existir” não estão acessíveis, ou custam caro ou simplesmente não existem. Ao escolher um tema de pesquisa, é importante verificar quais são os recursos informacionais disponíveis e o que será necessário para ter acesso a eles.

6. NÃO CONFIE CEGAMENTE NO QUE VOCÊ NÃO LEU

As citações de citações podem ser armadilhas que escondem e perpetuam indefinidamente erros de interpretação. Não abuse dos apuds no seu texto, procure sempre encontrar a fonte original, mesmo que dê trabalho. Os bibliotecários também podem ajudar com isso .

7. NÃO ACREDITE EM TUDO QUE SEUS COLEGAS AFIRMAM

Sim, você fez a lista de referências e a página de rosto do jeitinho que seu colega que já é doutor fez. Mas está errado. Ah, seu orientador garantiu que a biblioteca tem todos esses livros. Mas não tem, nunca teve. Para ter informações precisas sobre normalização ou disponibilidade de materiais no acervo, o mais seguro é consultar o pessoal da biblioteca. E seus catálogos.

8. NÃO ATRASE A ENTREGA DO MATERIAL DA BIBLIOTECA

Cuidado! Muitas bibliotecas cobram multas pela entrega fora do prazo, mas muitas fazem pior: aplicam suspensões de acordo com o tempo de atraso e a quantidade de itens atrasados. Você corre o risco de ficar sem acesso aos empréstimos em momentos cruciais do seu trabalho. Informe-se sobre o regulamento da sua biblioteca: prazos, quantidades, possibilidade de renovação dos empréstimos, penalidades etc. Peça uma cópia do regulamento, veja se está disponível no site ou exposto no mural.

9 . NÃO DEIXE DE INTERAGIR COM SUA BIBLIOTECA

Se você não for à biblioteca de vez em quando, se não acessar seu site ou perfis nas mídias sociais, dificilmente vai descobrir que aquele acervo importante ou aquele serviço que você precisa está lá. Fale com os bibliotecários, pergunte, mande e-mail, siga no Twitter ou Facebook (se a biblioteca tiver), telefone, insista. Não tenha receio de incomodar, responder às suas perguntas é a parte mais importante do trabalho dos bibliotecários.

10. NÃO BRIGUE COM A SUA BIBLIOTECA

Mas brigue por ela. Se falta pessoal, espaço, acervo ou atenção, reclame e reivindique. Fale com a chefia, mande carta para o diretor. Ter uma boa biblioteca é um direito seu e uma obrigação da instituição de ensino.


Divulgação de teses e dissertações defendidas na ECA

12/11/2018

As pesquisas desenvolvidas nos cursos de pós-graduação da ECA constituem avanços científicos nas áreas de Comunicação, Informação e Artes e, consequentemente, para a sociedade brasileira na medida em que podem contribuir ao desenvolvimento econômico, social e cultural do país.

Para contribuir ao processo de comunicação dos resultados das pesquisas realizadas na pós-graduação da ECA, a Biblioteca lança um novo serviço: a divulgação de teses e dissertações em nosso blog. Nossa proposta é realizar uma divulgação em linguagem simples para atingir um público que não é, necessariamente, da área. Será todas as quartas-feiras, conforme o fluxo de recebimento dos trabalhos.


Portanto, caso você tenha defendido sua tese ou dissertação na ECA e tenha interesse em ampliar o alcance de divulgação do seu trabalho, acesse nosso site e preencha o formulário com as informações solicitadas.

* Essa ação foi inspirada no Nexo acadêmico.


Precisamos falar sobre escrita científica

04/12/2017

Expressar-se por meio da palavra escrita não é tarefa das mais simples. A escrita científica demanda aprendizado, muita prática e domínio de técnicas específicas.

A atividade angustia muitos pesquisadores, sobretudo, por lidarem em seu cotidiano com resultados. Os pesquisadores lêem  pesquisas finalizadas, artigos publicados, teses e dissertações, assistem a apresentações de resultados de pesquisas, mas, não enxergam o processo e o longo caminho que o outro percorreu para chegar naquele ponto.

Com isso, frequentemente ocorre frustração, pois a escrita científica pode acabar sendo percebida como algo natural, uma habilidade da qual se é desprovido. Na sociedade do desempenho, tem-se a sensação de nunca ser bom o bastante.

Lembre-se, uma escultura, geralmente, é feita a partir de vários protótipos e é resultado de muita prática, com o texto acadêmico não é diferente!

Elencamos alguns materiais interessantes para auxiliá-lo em seu processo de escrita científica. Observe que tais materiais existem porque a tarefa é complexa  para todos. Você não está só em suas angústias e questionamentos, mas é importante não se deixar consumir. Veja lá:

Saúde mental dos pós-graduandos
Entrevista do psicólogo Robson Nascimento Cruz (pesquisador da PUC-SP).
https://www.youtube.com/watch?v=a4sFlYZuQ3g

O cotidiano da pós-graduação e o sofrimento com a escrita acadêmica
Entrevista do psicólogo Robson Nascimento Cruz (pesquisador da PUC-SP).
https://www.youtube.com/watch?v=00GsL-L_lik

No site Publication coach você encontrará dicas da editora Daphne Gray-Grant sobre o processo de escrita. Vale a pena conferir os vídeos, as dicas são pertinentes para o processo de escrita científica e fazem-nos lembrar que escrever é um trabalho.
http://www.publicationcoach.com/category/the-write-question/

A plataforma Coursera oferece gratuitamente acesso ao curso “Aprendendo a aprender: ferramentas mentais poderosas para ajudá-lo a dominar assuntos difíceis”. Apresentado pela Profa. Barbara Oakley e elaborado em parceria com o neurocientista Terrence Sejnowski, esse curso irá auxiliar a compreender um pouco o funcionamento da nossa mente, dando dicas para estimular modos distintos do pensar, evitar a procrastinação, aprender novos conteúdos, novos idiomas, dentre outros elementos interessantes.
https://www.coursera.org

O Laboratório de Letramento Acadêmico (FFLCH-USP) oferece auxilio gratuito à comunidade USP no processo de escrita em inglês, francês e português. O interessado irá ser atendido por um monitor com quem terá a oportunidade de conversar sobre o seu texto percebendo suas dificuldades e recebendo direcionamento para melhorar a habilidade de escrita.
http://letramentoacademico.fflch.usp.br/

Neste site você encontra vídeo-aulas (em francês) sobre a criação de mapas conceituais,  amplamente divulgados como técnica para aprendizagem e organização das ideias.
http://rb.ec-lille.fr/l/Cours_de_cartes_conceptuelles.htm

 

No site da Biblioteca da ECA elencamos algumas ferramentas úteis para auxiliar no processo de organização de informações, bem como sites com algumas dicas.

 

 


Serviços para o pesquisador

07/10/2013

A Biblioteca da ECA oferece alguns serviços específicos para pós-graduandos e alunos de graduação que estão desenvolvendo seus trabalhos de conclusão de curso. Os interessados podem procurar os bibliotecários de referência pessoalmente ou marcar uma conversa pelo e-mail ecabiblioteca@usp.br.

Apresentamos os recursos ao pesquisador, mostramos como fazer buscas, orientamos sobre a forma de obter bons resultados.

  • Orientação para normalização de trabalhos acadêmicos.

Esclarecemos dúvidas sobre elaboração de referências bibliográficas e citações no texto, de acordo com as normas da ABNT.

Normas ABNT que versam sobre elaboração e apresentação de trabalhos acadêmicos

Diretrizes da USP para elaboração de dissertações e teses

Coma fazer referência e citação de filmes

Como fazer referência e citação de música

  • Elaboração automática da ficha catalográfica de teses, dissertações e TCCs, preenchendo o formulário.

Documentos e sites interessantes

Catálogos de teses e dissertações

Gerenciadores de referência

Escrita científca

E mais

Essas informações também estão disponíveis na nova página Serviços ao Pesquisador do site da Biblioteca, link abaixo. A página será atualizada sempre que tivermos alguma novidade a acrescentar.

http://www3.eca.usp.br/biblioteca/servicos/servicosparaopesquisador


%d blogueiros gostam disto: