Nasce uma revista de moda

18/02/2019

A moda como assunto nas revistas brasileiras já dava as caras em títulos surgidos no final do século 19 e nas primeiras décadas do século 20, como Revista da Semana, O Cruzeiro, Fon Fon, A Cigarra.

No entanto, é a partir do final dos anos 1950 e início da década seguinte que a moda deixa de ser assunto ocasional de revistas e ganha títulos próprios. Fruto do interesse cada vez maior das pessoas pelo assunto e da segmentação do mercado editorial brasileiro. Assim, surgem títulos como Manequim em 1959 e Claudia em 1961.

JOIA, capa, nº 1, ano 1, 30 de novembro de 1957

Mas antes dessas o jornalismo de moda ganha impulso no Brasil quando, em 1957, a editora Bloch lança a revista Joia, revista feminina quinzenal.

JÓIA acudiu como nome, aos padrinhos desta revista, sobretudo para significar ideal de aprimoramento gráfico e jornalístico. Uma revista moderna para a mulher moderna.

JÓIA nasce para ser assim, completa, afinada com o espírito das brasileiras de hoje, atenta aos novos reclamos das novas gerações, sempre em dia com os pensamentos das mães e das filhas…

Além de moda a revista trazia contos, fotonovelas, decoração, culinária, reportagens, textos sobre cinema, rádio, televisão, discos.

Na capa, seguia a receita de outros títulos daquele momento

Observe-se também que mulher vai para a capa porque é bonita – basta essa razão – e homem vai porque é importante, ou fez alguma coisa muito importante.

Em 1969 a revista muda de nome e passa a se chamar Desfile.

Se você se interessou, todos os títulos citados fazem parte de nossa Coleção Especial de Revistas Antigas, formada principalmente por títulos jornalísticos.

JOIA, p. 30, nº 145, setembro 1965. Caderno Especial, Brazilian Primitive


Mais 10 coisas para não fazer durante a pós-graduação

11/02/2019

Este post foi inspirado no texto 10 coisas que você não deve fazer em sua tese ou dissertacao, publicado no Blog do Pós-Graduando, de 2013, que ainda circula muito por aí. Fizemos uma versão incluindo o conceito de biblioteca, que consideramos útil para os pesquisadores.

1. NÃO PROCASTINE SUA IDA À BIBLIOTECA

O momento ideal para visitar sua biblioteca, aprender a consultar os catálogos, descobrir os recursos disponíveis, conhecer os bibliotecários e saber como eles podem ajudá-lo é no primeiro mês de aulas, antes de começar a pesquisa. Se você deixar para conhecer a biblioteca só quando seu orientador reclamar das suas referências e leituras, vai sofrer desnecessariamente. Acredite, uma das frases que os bibliotecários mais escutam é “por que eu não passei por aqui antes?”.

2. NÃO SEJA UM ILUDIDO

A ideia de que está tudo online e as bibliotecas e arquivos físicos não são mais necessários é um equívoco. Provavelmente você vai precisar de livros que só saíram em papel e que ninguém fez a gentileza de digitalizar. Dependendo da sua área de estudo, talvez tenha que consultar enormes arquivos de documentos impressos sem qualquer organização, se deslocar até outras cidades (ou países) e inalar muito poeira de papel antigo.

foto: Marino González (Flickr)

3. NÃO ECONOMIZE NA BUSCA DE ARTIGOS

Antes de ler muitos artigos, você vai precisar encontrá-los. E artigos não caem do céu, embora muitos estejam na nuvem. Lembre-se de que sua universidade provavelmente assina revistas em formato eletrônico e bases de dados para busca de artigos em milhares de títulos de periódicos, e nem sempre você vai encontrar todos esses conteúdos procurando só no Google Acadêmico. Peça informações sobre isso na sua biblioteca, mesmo que você ache que já tem tudo o que precisa. Talvez você nem precise ir pessoalmente até a biblioteca, muitas delas atendem por e-mail, telefone, chat…

 

4. NÃO TENHA MEDO DA ABNT (NEM DAS NORMAS DA APA, VANCOUVER OU CHICAGO)

Normalização não é muito simples mesmo, mas não é nenhum bicho-de-sete-cabeças. Basta entender e ter um pouco de paciência. Na maioria das bibliotecas universitárias há profissionais que podem ajudá-lo a entender isso tudo, manuais explicativos etc. Bibliotecários sabem lidar bem com essas coisas e também podem apresentá-lo aos gerenciadores de referências (Mendeley, Endnote etc), que descomplicam bastante a vida. Muitas bibliotecas até oferecessem treinamentos e aulas sobre essas ferramentas.

E sim, há várias outras normas além da ABNT, veja qual a sua instituição adota.  Atenção ao submeter artigos para revistas, veja qual é a norma adotada pela publicação.

5. NÃO SUPONHA QUE UMA INFORMAÇÃO EXISTA

Mas como ninguém escreveu nada sobre isso? Não é possível que não tenha nada na internet… Como esta biblioteca não tem esse material? Vou ter que ir até Portugal para consultar um arquivo?

Pois é, muitos pesquisadores se desesperam ao descobrir que fontes de informação, publicações ou acervos organizados que “tinham de existir” não estão acessíveis, ou custam caro ou simplesmente não existem. Ao escolher um tema de pesquisa, é importante verificar quais são os recursos informacionais disponíveis e o que será necessário para ter acesso a eles.

6. NÃO CONFIE CEGAMENTE NO QUE VOCÊ NÃO LEU

As citações de citações podem ser armadilhas que escondem e perpetuam indefinidamente erros de interpretação. Não abuse dos apuds no seu texto, procure sempre encontrar a fonte original, mesmo que dê trabalho. Os bibliotecários também podem ajudar com isso .

7. NÃO ACREDITE EM TUDO QUE SEUS COLEGAS AFIRMAM

Sim, você fez a lista de referências e a página de rosto do jeitinho que seu colega que já é doutor fez. Mas está errado. Ah, seu orientador garantiu que a biblioteca tem todos esses livros. Mas não tem, nunca teve. Para ter informações precisas sobre normalização ou disponibilidade de materiais no acervo, o mais seguro é consultar o pessoal da biblioteca. E seus catálogos.

8. NÃO ATRASE A ENTREGA DO MATERIAL DA BIBLIOTECA

Cuidado! Muitas bibliotecas cobram multas pela entrega fora do prazo, mas muitas fazem pior: aplicam suspensões de acordo com o tempo de atraso e a quantidade de itens atrasados. Você corre o risco de ficar sem acesso aos empréstimos em momentos cruciais do seu trabalho. Informe-se sobre o regulamento da sua biblioteca: prazos, quantidades, possibilidade de renovação dos empréstimos, penalidades etc. Peça uma cópia do regulamento, veja se está disponível no site ou exposto no mural.

9 . NÃO DEIXE DE INTERAGIR COM SUA BIBLIOTECA

Se você não for à biblioteca de vez em quando, se não acessar seu site ou perfis nas mídias sociais, dificilmente vai descobrir que aquele acervo importante ou aquele serviço que você precisa está lá. Fale com os bibliotecários, pergunte, mande e-mail, siga no Twitter ou Facebook (se a biblioteca tiver), telefone, insista. Não tenha receio de incomodar, responder às suas perguntas é a parte mais importante do trabalho dos bibliotecários.

10. NÃO BRIGUE COM A SUA BIBLIOTECA

Mas brigue por ela. Se falta pessoal, espaço, acervo ou atenção, reclame e reivindique. Fale com a chefia, mande carta para o diretor. Ter uma boa biblioteca é um direito seu e uma obrigação da instituição de ensino.


Violência: uma seleção de filmes

04/02/2019

Algo pode ser caracterizado como violento quando ocorre com força ou intensidade extrema, por vezes, brutal. O sujeito violento tem grande poder de destruição – sobre os demais e sobre si mesmo –, assim o termo pode ser empregado para caracterizar aquele que perde facilmente o controle sobre si, transbordando seu descontrole para aquilo e aqueles que estão ao seu redor com atos de violência. Para além da violência de ordem física ou moral compreendida como ato de indivíduos isoladamente, a violência pode ser institucionalizada, elemento vociferante e imperativo a dominar e orientar os variados aparatos de regulamentação do tecido social.

 

Cena do filme Notícias de uma guerra particular (1999). João Moreira Salles e Kátia Lund

Diante dos perigos da violência para a construção de relações em um mundo comum a todos, iniciamos o ano com uma seleção de filmes do acervo que, de algum modo, abordam o tema. Confira aqui a lista completa.


Os números de 2018

28/01/2019

Os livros, DVDs, partituras, revistas etc estão lá nas estantes, tem sempre pessoas arrumando, guardando e emprestando esse acervo, os bibliotecários e outros funcionários ajudam quem precisa de orientação. Mas nem todo o trabalho que fazemos numa biblioteca é visível para nossos usuários. É por isso que cultivamos o hábito de exibir alguns dos nossos números. Então, vamos lá.

Atendimento

Entraram na Biblioteca da ECA, no ano passado, 73438 pessoas, o que dá uma média de 6120 por mês. Esse pessoal veio pesquisar, retirar material, assistir filmes nas salinhas, estudar nas mesas individuais e nas salas de estudo em grupo – que agora tem ar condicionado -, pedir orientação aos bibliotecários, procurar alguma coisinha para ler no fim de semana etc.

Foram emprestados 23612 itens e consultados localmente 21845, ou mais. Muita gente consulta os livros e devolve nas estantes antes que a gente possa registrar nas estatísticas. É por isso, além de evitar que os livros sejam guardados em lugar errado, que a gente pede para deixar sobre as mesas os livros consultados.

Nossos treinamentos e palestras atingiram um público de 598 pessoas, e 418 procuraram individualmente o atendimento pelos bibliotecários. Podemos atender mais gente ainda, apareçam!

Aquisição

Em 2018 não recebemos verba para comprar livros, mas nem por isso o acervo deixou de crescer. Recebemos 2998 itens em doação, de instituições, empresas, pessoas generosas e, naturalmente, da FAPESP. Recebemos muitas doações, mas nem tudo é incorporado ao acervo. Após um trabalho de seleção cuidadoso, o material que não é adequado ao perfil do acervo é doado a outras instituições.

Tratamento da informação

Todo o material recebido passa por alguns processos antes de chegar às mãos dos usuários. Só encontramos os livros no catálogo e nas estantes porque há uma equipe que os analisa, cataloga, indexa e classifica por assunto e registra os dados no Dédalus e outras bases de dados. No ano passado a equipe encarregada desse trabalhos colocou à disposição do público 3233 itens, cadastrou no site da ECA 17 e-books publicados pela Escola, além de coletar e registrar 422 produções intelectuais de docentes.

Conservação

Livros, revistas e partituras e outros materiais impressos se desgastam, rasgam, perdem a capa e precisam ser recuperados. Vídeos e discos em vinil precisam ser copiados para suportes mais modernos para continuarem existindo. Nesse ano que passou nossa equipe de conservação foi responsável pela higienização de 1496 itens, conservação preventiva e pequenos reparos em 1578 e 69 conversões de suporte.

Divulgação, redes sociais, atividades culturais

Escrevemos e publicamos neste blog 46 textos originais. Tivemos 100.538 visualizações.

Fizemos publicações diárias no Facebook e no Twitter, preparamos e enviamos 11 boletins Acontece na Biblioteca, divulgamos 366 livros novos no Libib (não divulgamos todos, é uma seleção).

Organizamos 2 palestras, um debate e uma exposição, participamos da organização de um seminário.

Bibliotecários e tecnologia – palestra de Tiago Murakami – 25/10

Desenho de Escuta: políticas da auralidade na era do áudio ubíquo – palestra de Henrique Souza Lima – 18/10

O desafio da diversidade nas bibliotecas: questões metodológicas e culturais – Mesa-redonda – 24/10

III Seminário de Informação em Arte: Livros de artistas: da criação ao acesso – em conjunto com a Rede de Bibliotecas e Centros de Informação em Arte de São Paulo e Departamento de Informação e Cultura da ECA – 23/11

Exposição Livros de Artista – de 23/11 a 15.12


Para ver mais dados sobre o ano que passou e mais o quadro que mostra os tipos de materiais do acervo e suas quantidades, acesse o link Biblioteca em Números do nosso site.

 

 

 

 

 

 

 


Os 10 mais

21/01/2019

Não, esta não é só a lista dos 10 livros mais emprestados na Biblioteca da ECA em 2018, é também a lista das 10 obras mais emprestadas no ano que passou.

Apenas um filme chegou perto de entrar na lista, Cidadão Kane, de Orson Welles.

Duas novidades da lista, são também aquisições recentes da biblioteca Focus on IELTS, de Sue O’Connell e Mulheres, raça e classe, de Angela Davis.

Gestão de marketing e comunicação: avanços e aplicações. Mitsuru Higuchi Yanaze

Focus on IELTS. Sue O’Connell

Hiperpublicidade: fundamentos e interfaces. Clotilde Perez (org)

O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. Ismail Xavier

Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot. Peter Burke

Mulheres, raça e classes. Angela Davis

Modernismos: ensaios sobre política, história e teoria da arte. T. J.

A pintura: textos essenciais. Jacqueline Lichtenstein (dir)

A televisão levada a sério. Arlindo Machado

Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. Vilém Flusser

 

 

 

 

 

 

 


Pergunte na Biblioteca

14/01/2019

Um filme legal para assistir com os amigos?
Aquela dúvida cruel com as normas da ABNT?
As fontes de informação mais indicadas para o seu trabalho?
Ideias para criar seu livro de artista?
Dúvidas sobre prazos de empréstimo e renovação de livros?

As respostas para essas perguntas e muitas outras que talvez nem tenham passado pela sua cabeça estão na Biblioteca da ECA. Não sabemos tudo e provavelmente nem temos tudo o que você precisa, mas podemos ajudar bastante.

Temos vários canais de comunicação à sua disposição. Escolha o mais adequado ao seu gosto e necessidades.

Informações completas sobre nossos serviços, acervo e funcionamento

Nosso site é a principal e mais completa fonte de informações sobre a Biblioteca da ECA. Nele você encontra:

– links para nossos catálogos e outras fontes de informação importantes

– regulamento e normas de funcionamento,

– endereço e contatos

– nomes dos integrantes da equipe (e seus contatos)

– FAQ (perguntas frequentes)

– informações sobre empréstimo, renovação e reservas

– histórico

– Biblioteca em números (dados do relatório anual)

– formulário para sugestão de livros

– página de treinamentos, para você escolher e marcar o seu

– formulário para elaboração de ficha catalográfica de trabalhos acadêmicos

– e muito mais

O site da Biblioteca da ECA é atualizado constantemente. Acesse: www.eca.usp.br/biblioteca

Programação, notícias, divulgação de novos serviços

Nossos perfis no Facebook e Twitter, com postagens diárias e muitos seguidores, ajudam você a se manter atualizado sobre o que acontece na Biblioteca, na ECA, na USP, nas suas áreas de interesse. Cursos, eventos, novidades no acervo, mudanças de horário, divulgação de trabalhos de professores e alunos, dicas de normalização, revistas interessantes e sites incríveis que a gente descobre. Siga-nos, não estamos perdidos.

www.facebook.com/ecabiblioteca/

twitter.com/bibliotecadaeca/

Sites recomendados

Além da seção de links em nosso próprio site, no menu Fontes de Informação, organizamos e compartilhamos nossa coleção de favoritos no Pearltrees. Há coisas ótimas por lá, descobertas por nós e outras instituições das mesmas áreas.

www.pearltrees.com/bibliotecadaeca

Imagens

Fotos desta Biblioteca no Flickr e imagens diversas que capturamos por aí, no Pinterest.

www.flickr.com/photos/bibliotecadaeca/

br.pinterest.com/bibliotecadaeca/

Atendimento online

Para tirar dúvidas em tempo real, acesse nosso chat (link no site). Atendemos dentro do horário de funcionamento da Biblioteca, sempre que um dos bibliotecários de referência estiver diante de seu computador de trabalho. Se estiver azul, clique e faça sua pergunta. 

E-mail e telefone

Não conseguiu renovar o livro e não vai dar tempo de vir devolver? Não está conseguindo acessar o JStor ou encontrar uma partitura pelo Dédalus? Ligue para nós e tentaremos resolver o problema. Mandar e-mail ou mensagem privada pelo Facebook também funciona, respondemos no mesmo dia ou, no máximo, no dia útil seguinte.

telefone: (11) 3091.4071 / 4481

ecabiblioteca@usp.br

Os contatos pessoais dos funcionários estão no link Equipe do site.

www3.eca.usp.br/contato/biblioteca

Novas aquisições

Além da divulgação que fazemos pelo Facebook e Twitter, destacando alguns itens específicos do acervo, divulgamos as principais novidades pelo Libib, uma ferramenta simpática para montar catálogos simples de livros. Funciona como uma rede social, você pode montar o seu catálogo pessoal e seguir outras pessoas ou instituições.

/bibliotecadaeca.libib.com/

Resumo do que é mais importante

Para quem não tem tempo ou não gosta de redes sociais, a melhor forma de obter pelo menos as notícias mais importantes sobre nossa Biblioteca é assinando o boletim Acontece na Biblioteca. É uma newsletter mensal que você recebe por e-mail. Se não gostar, basta se descadastrar. É um serviço restrito aos alunos, professores e funcionários da ECA/USP, devido às restrições quantitativas do programa. Se você é um ecano e deseja receber o boletim, clique aqui:

Acontece na Biblioteca

Textos diversos, instruções, destaques do acervo, catálogos temáticos de filmes

Neste blog publicamos, toda segunda-feira, conteúdos interessantes, tanto acadêmicos quanto de lazer. Acompanhe!

Bibliotecárias, bibliotecários e outros funcionários

Acreditamos que o contato pessoal ainda é a melhor forma de interagir com uma biblioteca. Venha até a Biblioteca e converse conosco. Se estiver por aqui e precisar de auxílio, não tenha receio de abordar um funcionário. Ficaremos contentes em ajudar.

 

 

 

 

 

 


Leituras para as férias: histórias em quadrinhos

07/01/2019

A correria do período letivo às vezes impede que se possa direcionar um pouco de energia para estudar o que dá mais prazer, ou aquilo mais próximo de nossos interesses intelectuais. São créditos a cumprir, artigos a escrever, trabalhos de final de semestre, iniciação científica, monografias, trabalhos em grupo etc.

As férias oferecem um alívio desse corre-corre de créditos a cumprir. Período em que podemos escolher nossas leituras sem ter que olhar a bibliografia da disciplina, nem o resultado da busca na base de dados. E que tal buscar algo que diverte, estimula habilidades interpretativas visuais e textuais?

As histórias em quadrinhos unem prosa e ilustração, texto e imagem. E as férias oferecem a oportunidade de pôr em prática aquela pichação encontrada nos muros da universidade: “Não deixe que a universidade atrapalhe seus estudos”.

Abaixo, algumas sugestões de leitura baseadas no que temos no acervo.

Começando por alguns sucessos aqui na Biblioteca:

Gen: pés descalços, Keiji Nakazawa

Um contrato com Deus & outras histórias de cortiço, Will Eisner

Blue is the warmest color, Julie Maroh

 

É possível aprender sobre a Guerra da Bósnia ou a Guerra do Paraguai

Ou passear pela cidade vendo as transformações de sua mais emblemática avenida

 

Há trabalhos de conclusão de curso que são apresentados nesse formato

Outras indicações:

Os cretinos não mandam flores, Raquel Córcoles

Habibi: quadrinhos, Craig Thompson

Whiteout: morte no gelo, criado e escrito por Greg Rucka; ilustrado por Steve Lieber

Whiteout: ponto de fusão, criado e escrito por Greg Rucka; ilustrado por Steve Lieber.

Dr Baixada e cia., Luscar

Dr. Macarra, Carlos Estêvão

Dick Tracy: America’s most famous detective, edited by Bill Crouch, Jr.

Vereda tropical, Nani


%d blogueiros gostam disto: