Ano novo, revista nova

17/01/2022

Essa época do ano costuma ser farta em lançamentos de novos números de revistas acadêmicas em várias áreas de pesquisa.

O blog De olho na CI, por exemplo, acompanha notícias no campo da ciência da informação, e boa parte das últimas notícias lá postadas são sobre números recentes, publicados de dezembro até agora, de revistas da área.

Aqui na ECA não é diferente. Pelo menos 8 das nossas revistas estão com números novos no ar, lançados de dezembro para cá. Matrizes e Comunicação & Educação vêm com dossiê abordando o mesmo assunto, o centenário de Paulo Freire.

A Organicom debate as questões de Relações Públicas e Comunicação Organizacional, também lembra o centenário de Paulo Freire com o artigo 100 anos de Paulo Freire, patrono da educação, e traz o dossiê “Escuchando Nuestro Entorno en América Latina: Comunicación en y de las organizaciones en tiempos turbulentos”.

Anagrama e Rumores, ambas do MidiAto – Grupo de Estudos de Linguagem e Práticas Midiáticas, debatem comunicação e mídias. Se essa é sua praia, clique nas imagens abaixo.

Das artes a Revista Música trouxe o dossiê “O legado musical de Arnold Schoenberg e seus reflexos na América Latina: 1951-2021” e a Ars incursiona “por temas diversos das artes e da cultura”.

Por último, a revista Signos do Consumo trazendo a “publicidade, a Propaganda e os fenômenos do consumo”.

Ufa! Muita coisa, não é? Todas as revistas são de acesso aberto, clique nas imagens acima ou procure pelo título no Portal de Revistas da USP. Boa leitura!


Cuide da sua produção

10/01/2022
Kittens!

Professores, pós-graduandos e demais pesquisadores já estão habituados a manter atualizado seu currículo Lattes. É praticamente uma obrigação, ninguém sobrevive no mundo acadêmico sem o Lattes arrumadinho.

Mas não é só isso. Atualmente, espera-se que o pesquisador uspiano também tenha seu ORCID, devidamente alimentado, atualizado, vinculado à USP e público. Se você ainda não sabe o que é isso, dê uma olhada nas informações da página da AGUIA e nos posts que publicamos neste blog sobre o assunto. Se precisar, marque um treinamento conosco.

Além disso, é importante ter perfil no Minhas Citações do Google Acadêmico, uma plataforma útil para verificar suas citações. É muito simples criar o perfil, mas o pesquisador precisa cuidar dele para não perder o sentido. Verifique sempre se os trabalhos localizados automaticamente pelo Google são mesmo seus, exclua os que não forem e acrescente manualmente itens de sua produção que não foram recuperados de forma automática, se necessário.

Quem publica em revistas acadêmicas que são indexadas em bases de dados internacionais também precisa dedicar alguma atenção ao seu perfil nessas bases. Se seus artigos estiverem recebendo citações, é possível que você já tenha um perfil de autor na base Scopus, por exemplo. Mas é preciso revisar e atualizar as informações, verificando, principalmente, se o perfil é mesmo seu ou de alguém com nome semelhante. Este tutorial deve ajudar:

Como corrigir seu Scopus ID Profile

E não se esqueçam de uma ação muito importante: mantenham sua produção biblioteca atualizada na sua biblioteca. Ao publicar um livro ou artigo, informe imediatamente a biblioteca e, se possível, envie um exemplar impresso ou o link do documento eletrônico. Dessa forma, seus trabalhos vão aparecer rapidamente no Dédalus e no repositório da USP.

Dúvidas? Entre em contato conosco!


Livre-docência

03/01/2022

As teses de livre-docência defendidas na ECA podem fazer parte do acervo da nossa Biblioteca e da Biblioteca Digital de Teses da USP.

É muito fácil providenciar isso. Após a defesa, basta preencher dois formulários e enviá-los por e-mail para a Biblioteca, juntamente com o arquivo em pdf da tese. Não é necessário enviar a tese impressa, basta o arquivo.

Os formulários podem ser baixados no site da Biblioteca Digital de Teses da USP.

Essas orientação também vale para as teses antigas que ainda não foram enviadas à Biblioteca, ou que foram enviadas apenas em suporte impresso.

A busca das teses cadastradas poderá ser feita diretamente na Biblioteca Digital de Teses da USP ou no Dédalus.

Vejam imagens de algumas das teses de livre-docência que já estão no acervo:

Professor Hugo Fortes

Professora Kátia Canton


Recesso

20/12/2021

A partir de 24 de dezembro a USP entra em recesso e retoma as atividades em 3 de janeiro de 2022. Por isso, alguns serviços que estão sendo feitos nesse período excepcional pelo qual passamos ficam suspensos.

Foto de Littlestar19


Empréstimos por agendamento, solução encontrada para atender a todos evitando filas e aglomerações, serão encerrados no dia 23/12 e retornam no dia 03/01/22.

Também os treinamentos remotos para quem precisa de ajuda com o uso de fontes de informação online, currículo Lattes, gerenciadores de referências… serão interrompidos.

Os pedidos de digitalizações de teses, dissertações, artigos e capítulos de livros voltam a ser atendidos no início do ano que vem.

Devoluções podem continuar a ser feitas usando nossa caixa de devolução no saguão do prédio central da ECA.

Importante: o expediente está suspenso, mas os funcionários não estão dispensados do trabalho. Todas as horas do recesso deverão ser compensadas ao longo do ano.

E que fazer nessas férias?

Filmes brasileiros online

Biblioteca Virtual Pearson

E-books

Revistas antigas online

Vai um artigo acadêmico aí?

Outras questões da pandemia


Citar ou não citar

07/12/2021

Muitos estudantes tem dúvidas quanto ao uso de certos tipos de documentos em seus trabalhos. As perguntas mais frequentes são mais ou menos essas:

  • Posso citar textos de blog, podcasts, informações verbais, posts de redes sociais, trabalhos não publicados?
  • Como faço a referência de textos de blog, podcasts, informações verbais, posts de redes sociais, trabalhos não publicados?

A primeira confusão que precisa ser desfeita é a seguinte: citar e fazer referências são coisas diferentes. Quase todos os documentos podem ser referenciados, mesmo que a norma da ABNT não traga orientações precisas. Mas não é qualquer documento que pode ou deve ser citado em trabalhos acadêmicos.

Clarice Lispector. Imagem extraída do texto “Não fui eu que escrevi isso” – Sobre as falsas autorias que circulam na internet!, publicado no blog O bem viver

Não é recomendável desenvolver um discurso ou justificar uma afirmação baseando-se em informações retiradas de fontes informais, pouco confiáveis, não publicadas ou publicadas pelo próprio autor em meios que não passam pelo crivo de nenhum outro pesquisador, editor ou avaliador. Entretanto, há situações em que é perfeitamente aceitável citar blogs ou tuítes. Por exemplo: para analisar declarações e opiniões de um indivíduo ou grupo, em trabalhos que estudem a comunicação nas mídias sociais, para informações pontuais e objetivas etc. A qualificação da fonte e sua competência em discorrer sobre o tema do qual está tratando é o dado do mais importante a ser levado em conta.

Tudo depende, em resumo, do tipo de trabalho que está sendo feito, do tipo de informação que será citada, da forma de utilização dessas informações no contexto do trabalho e da qualidade da fonte.

Outro fator a ser considerado é o acesso ao conteúdo citado. Deve ser possível, para o leitor ou avaliadores do trabalho, localizar e consultar o documento citado, mesmo que seja necessário pagar por ele ou deslocar-se até um arquivo ou biblioteca.

De forma geral, fontes informais podem ser citadas quando realmente necessário, mas não devem ser inseridas na lista de referências. Nesses casos, basta uma nota de rodapé que indique, de forma objetiva mas com todas as informações necessárias, a fonte da citação. A nota não precisa conter uma referência.

Alguns exemplos de situações que geram dúvidas:

Documentos não publicados

Um artigo ainda não publicado, mas que já foi avaliado e aceito para publicação, pode ser citado e inserido em listas de referências. A norma da ABNT sugere que a referência contenha a informação “no prelo”.

Exemplo tirado da NBR-6023 , p. 50

Manuscritos mantidos em arquivos, bibliotecas, museus e outros locais nos quais, em princípio, estão disponíveis para consulta, podem ser citados e referenciados. Recomendamos que seja informado o nome da instituição de guarda. Para citar documentos que estejam em mãos de particulares, o autor deve se certificar de que o acesso aos mesmos será possível.

Documentos institucionais de acesso restrito, como os relatórios de pesquisa enviados a órgãos de fomento, não devem ser incluídos na lista de referências. Se for necessário citá-los, fazer apenas nota de rodapé.

Documentos obtidos em sites “alternativos”

É prática bastante difundida no meio acadêmico obter cópias em suporte eletrônico de livros e artigos de periódicos sem pagar por elas. Sem entrar aqui em discussões de caráter legal ou ético, o fato é que esses trabalhos podem ser citados normalmente, independentemente da forma como foram obtidos. Mas é importante ter certeza de que o arquivo obtido está completo e íntegro, não tendo sofrido qualquer alteração em seu conteúdo.

Fotos

É possível citar e referenciar uma fotografia, mas, em geral, é melhor inserir a imagem no trabalho, com legendas e indicação de fonte. É necessário ter autorização dos detentores dos direitos autorais e dos direitos de imagem, caso a foto mostre pessoas. Para submeter um artigo a uma revista, o autor deve providenciar essas autorizações (as revistas não vão fazer isso). Para mais informações sobre citação e referências de fotografias, consultem o Manual de normalização da Biblioteca da ECA.

Informação verbal

Trata-se do caso mais grave de informação que não pode ser verificada posteriormente. Pode ser citada, se for realmente necessário usá-la num trabalho acadêmico, mas não deve constar da lista de referências. Fazer uma nota de rodapé com um texto explicativo. Por exemplo:

Essa informação foi apresentada durante palestra proferida no Auditório Camargo Guarnieri, da Universidade de São Paulo, no dia 5 de maio de 2019.

IMPORTANTE

A cultura da instituição para a qual se está escrevendo o trabalho, bem como os hábitos e costumes da área, precisam ser levados em consideração. No caso de TCCs, dissertações e teses, é importante levar as dúvidas relacionadas ao dilema “citar ou não citar” ao orientador ou orientadora. Os bibliotecários também podem ajudar.

Para as questões formais de como fazer referências e citações, as fontes a serem consultadas devem ser, pela ordem:

  1. As próprias normas da ABNT (ou outro estilo que a instituição adote), em sua versão mais atual. Essas normas não são de acesso aberto, portanto é preciso cuidado ao usar textos encontrados na internet, que podem estar desatualizados ou incompletos. Na USP, a fonte correta é o GEDweb, um serviço disponível na página da Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica – AGUIA. É necessário conexão à rede VPN da USP. Na dúvida, procure orientação na sua biblioteca.
  2. Manuais oficiais da sua instituição. Na USP, temos as Diretrizes para apresentação de dissertações e teses da USP, disponíveis no Portal de livros abertos, nos estilos ABNT, APA, Vancouver e ISO. Não usem manuais de outras instituições, porque as orientações podem ser diferentes das adotadas na USP. Algumas unidades têm seus próprios manuais, que não devem, em princípio, serem usados por alunos e pesquisadores de outras unidades. Na dúvida, procure orientação na sua biblioteca.
  3. Orientações e manuais preparados pelas bibliotecas, que complementam as orientações oficiais das universidades. Procure usar apenas os manuais da sua biblioteca, ou documentos indicados pelos seus bibliotecários.


Trabalho atrasado?

30/11/2021

Uma luta constante entre a intenção de fazer o que tem de ser feito ou ficar só mais um pouquinho deslizando a barra de rolagem de sua rede social preferida, quem nunca se deparou com esse embate? Para muitas pessoas isso não chega a ser um problema, mas para outro tanto… A procrastinação é um problema comum no meio acadêmico, pesquisas apontam um número relevante de estudantes deixando para depois a conclusão de um trabalho e apontam também uma relação aparente entre procrastinação e resultados acadêmicos aquém do desejado. Apesar das várias pesquisas buscando estabelecer essa relação não serem absolutamente conclusivas, esta outra pesquisa, uma meta-análise, concluiu que, a despeito de diferenças metodológicas, é possível sim dizer que baixo desempenho acadêmico seja uma das consequências da procrastinação. 

a procrastinação identifica não um atraso qualquer, mas um atraso irracional – ou seja, quando nós voluntariamente adiamos a realização de tarefas, apesar de sabermos que nossa situação vai piorar. Quando adiamos, sabemos que estamos atuando contra nossos melhores interesses.

STEEL, P. A equação de deixar para depois

Na prática, protelar pode significar deixar a formatação do trabalho ou a correção das referências para os 45 do segundo tempo, conflitos com colegas (trabalho em grupo, orientadores etc.), notas mais baixas, trabalhos sem o aprofundamento necessário e entregues na última hora, ansiedade e estresse, noites a fio etc.

E aí, conseguiu se ver na descrição acima? Pode ser que você seja um procrastinador. As razões para procrastinar podem variar de pessoa pra pessoa, algumas características mais comuns identificados em proteladores: impulsividade, medo do fracasso, ansiedade de avaliação, aversão à tarefa a ser feita, desorganização, dependência de uma estrutura ou de orientação externa… Saber o que te leva a procrastinar ajuda a procurar uma solução para o problema.

Fonte: https://phdcomics.com/comics/archive.php?comicid=1388

E como resolver? Bom, uma primeira etapa é identificar o que te leva a procrastinar. Pode ser, por exemplo, uma das razões acima. Aqui vão algumas dicas mais gerais para lidar com o problema:

  • crie metas e divida metas grandes e ambiciosas em tarefas menores de curto prazo, realizáveis no dia a dia
  • negocie consigo mesmo, algo do tipo: fazer o trabalho agora, dará mais tempo para ver aquela série sem culpa mais tarde
  • aumente o valor subjetivo de trabalhar agora. essa dica tem a ver com a anterior, a ideia é também diminuir o valor subjetivo das distrações
  • mude seu foco dos resultados para o processo
  • crie novas rotinas, ou crie uma rotina
  • trabalhe suas emoções
  • faça uma tarefa por vez

Pode ser que as dicas acima não se apliquem ao seu caso, mas continue tentando, a bibliografia a respeito não para de crescer e a sua performance acadêmica agradece.


Uma “prosa” sobre o Schema.org

22/11/2021

A série “Prosas de catalogação” é uma atividade organizada pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Catalogação – GEPCAT. São palestras transmitidas pela canal do GEPCAT no YouTube, realizadas por profissionais ou pesquisadores da área que têm algo de interessante a dizer sobre o tema da catalogação e assuntos correlatos, sempre de maneira informal.

A prosa mais recente foi com Tiago Murakami, bibliotecário da equipe da Biblioteca da ECA com muita experiência em softwares de automação de bibliotecas, bibliotecas digitais e visualização da Informação. Tiago falou sobre o Schema.org, “uma atividade colaborativa da comunidade com a missão de criar, manter e promover esquemas para dados estruturados na Internet, em páginas da Web, em mensagens de e-mail e muito mais”. Em síntese, Tiago abordou o tema dos padrões necessários para organização de informações, de forma geral, explicando quais são as principais qualidades e limitações mais importantes do formato MARC – Machine Readable Cataloging, um dos mais usados nos catálogos de bibliotecas. Mostrou as diferenças entre o MARC e o Schema.org, um padrão mais novo, que já nasceu na Web e está preparado para o trabalho nesse ambiente – onde já é usado por mais de 10 milhões de sites.

Mesmo não tem sido criado especificamente para biblioteca, o Schema.org, segundo Murakami, pode ser adotado em sistemas de bibliotecas. A prosa termina com a apresentação, em primeira mão, da base de dados que Tiago está desenvolvendo para o acervo de gravações da Biblioteca da ECA, que deve substituir nossa heroica, porém já envelhecida e defasada, base Sonora.

Assistam ao vídeo da palestra:

Prosas de Catalogação : Uma visão sobre o Schema.org para bibliotecas, com Tiago Murakami

Também estão disponíveis os slides da apresentação.


Empréstimos por agendamento

05/11/2021

editado em 30.11.21

A partir de 8 de novembro vamos oferecer nosso serviço de empréstimos por agendamento. Para solicitar os empréstimos, preencha o formulário de agendamento e aguarde a resposta da Biblioteca. Vamos deixar o material separado para ser retirado no dia marcado. A ideia é evitar demora no atendimento, filas e aglomerações.

As regras para esse serviço são diferentes do nosso regulamento normal. Observem:

  • O agendamento deve ser feito com 2 dias úteis de antecedência, no mínimo.
  • Serão emprestados 6 itens por pessoa, no máximo (exceto para cadastros válidos só na ECA)
  • Para os cadastros válidos só na ECA (ex-alunos ECA, alunos especiais, professores convidados), o limite será de 2 itens
  • NOVO LOCAL: o atendimento será feito pela porta de entrada da Biblioteca, no saguão do prédio central da ECA.
  • Horário: das 10 às 18 horas (segunda a sexta-feira)
  • Não será permitida a entrada no espaço de estudo da Biblioteca, nem o acesso direto ao acervo. O material será separado e entregue pelos funcionários.
  • Só serão atendidos pedidos previamente agendados.
  • Para ter acesso a esse serviço, é necessário estar com o ciclo de imunização completo.

O local já está preparado:

Importante

Leve seu cartão USP (pode ser o e-card). Se não encontrar o cartão, o empréstimo poderá ser feito com seu número USP, sua senha e um documento original com foto.

Para agilizar, observe sempre se o material pode ser emprestado e se está disponível.

No exemplo acima, o livro CIRCULA, ou seja, pode ser emprestado. E está DISPONÍVEL, ou seja, está lá no acervo.

Já este outro também CIRCULA, mas, neste momento, está emprestado até dia 14.01.22.

Consulte o site da Biblioteca, para acompanhar nossas informações, ou nossos perfis no Facebook, Twitter ou Instagram, ou nosso canal no YouTube.

Se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco pelo e-mail ecabiblioteca@usp.br.


Animais no campus

25/10/2021

Nosso post de hoje é bem diferente. Não vamos falar de serviços de biblioteca, pesquisa, normalização, acervos, recursos online, nada disso. Hoje o assunto é fofo: bichinhos.

No campus da USP no Butantã é comum encontrarmos diversas espécies de pássaros e outros animais de pequeno porte. Os estudantes que ingressaram em 2020 e 2021, sem aulas presenciais, provavelmente ainda não tiveram contato com esses “coleguinhas” uspianos, mas eles estão lá, e os funcionários que já retornaram ao trabalho presencial têm registrado sua presença. Vejam algumas fotos publicadas na página Funcionários USP: A USP que habito em fotos:

Tucano – foto: Gisele Lopes
Saruê – foto: Sandra Sedini
Sagui – foto: Carlito Paulo
Coruja – foto: Marina Macambyra
Capivaras da Raia Olímpica – foto: José Estorniolo Filho

Gaviões, teiús, pica-paus e nossos famosos quero-queros – esses em grande quantidade – podem ser vistos passeando pelo campus. A diminuição da presença humana durante a pandemia teria aumentado a presença animal? Muitos funcionários tiveram essa impressão, mas, segundo esta matéria do Jornal do Campus, isso não deve ter ocorrido.

De qualquer forma, os humanos que vão retornar ao campus, ou começar a frequentá-lo, têm muita diversão à sua espera. Observar e fotografar os bichinhos é ótimo, mas sempre com cuidado para não maltratá-los e evitar conflitos. Os saguis são lindos, mas podem morder e transmitir doenças. Além disso, não é recomendável alimentá-los. Teiús (aqueles lagartões), são ariscos e não querem conversa com humanos, mas podem reagir com golpes da cauda quando ameaçados. E os elegantes quero-queros são famosos por defender aguerridamente seus ninhos – é melhor, portanto, deixá-los em paz.

Você tem fotos ou mais informações sobre a bicharada uspiana? Poste nos comentários.

Leia mais:

Monitoramento da fauna pela Prefeitura da Cidade Universitária

Resgate de animais

Bichos na ESALQ


O início do retorno

19/10/2021


A Reitoria determinou o retorno ao trabalho presencial de todos os funcionários “totalmente imunizados”. Ou seja, todos que já estão com seu esquema vacinal completo. Entretanto, é permitido aos dirigentes das unidades autorizar o escalonamento das atividades em esquema de trabalho híbrido (presencial e remoto), caso os locais de trabalho não permitam o distanciamento mínimo entre os servidores em seu local de trabalho. O documento da Reitoria alerta, ainda, que as chefias e dirigentes devem providenciar adequações no espaço físico, para garantir que o retorno seguro.

Os funcionários da Biblioteca da ECA já começaram a retornar ao trabalho presencial, mas ainda de forma escalonada, para evitar aglomeração.

Vamos ver como ficam os serviços para o público?

Empréstimos e devoluções


Por enquanto, ainda não é possível retomar o serviço de empréstimos. Assim que tivermos funcionários em trabalho presencial em quantidade suficiente, e as adequações no espaço físico estiverem concluídas, implantaremos um plantão para empréstimos por agendamento. Avisaremos pela nossa página no site da ECA e pelos nossos perfis nas mídias sociais.
No momento, estamos atendendo, excepcionalmente, aos pedidos dos docentes da ECA realizados por e-mail, dentro das nossas possibilidades.

Já foi retomado o Empréstimo entre Bibliotecas com as instituições que estejam atendendo.

Para devolver material emprestado, temos nossa caixa de devoluções instalada na entrada da Biblioteca, no saguão do prédio central da ECA. Atenção:

  • a caixa é exclusiva para materiais da Biblioteca da ECA.
  • não coloquem doações na caixa. Por enquanto, o recebimento de doações está suspenso.

Espaço físico

A Biblioteca realizou uma reforma durante a pandemia, destinada a reparar o afundamento do piso na entrada e imediações. A obra física já foi concluída, mas ainda temos trabalhos de reorganização do espaço de atendimento, volta do acervo às estantes, ventilação, instalações elétricas e rede, entre outros, para terminar. Essas atividades estão sendo feitas no ritmo possível, de acordo com a volta dos servidores imunizados.

Além disso, estamos aguardando a adequação dos espaços devido às novas exigências sanitárias, em nome da saúde de todos. O empréstimo por agendamento, quando começar, será feito logo na entrada da Biblioteca, nesse balcão que aparece na foto. Ainda faltam as barreiras de acrílico, instalação elétrica e rede no local.

A ECA está realizando diversas reformas e adequações do espaço para garantir o retorno seguro da comunidade, é necessário um tempo para terminar tudo.

Digitalização

Estamos atendendo aos pedidos de digitalização de teses, artigos de periódicos e capítulos de livros. As solicitações dever ser enviadas ao e-mail da Biblioteca: ecabiblioteca@usp.br.

Novo prazo de empréstimo

A Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica – AGUIA suspendeu a renovação automática dos empréstimos anteriores à pandemia. Entretanto, como a ECA ainda não retornou às aulas presenciais, pedimos que fosse feita mais uma renovação para nossos materiais. O novo prazo é 4 de novembro.

Essa renovação não atinge empréstimos realizados em outras bibliotecas. Para esses casos, o próprio usuário pode fazer a renovação pelo Dédalus, Busca Integrada ou aplicativo móvel Bibliotecas USP. Até fevereiro de 2022 não haverá limites para essas renovações. Vejam, em nosso site, o procedimento para renovações.

TCCs

Muitos ex-alunos estão entrando em contato conosco para perguntar sobre seus TCCs defendidos recentemente.

Esclarecemos que todos os TCCs que nos foram encaminhados de forma correta pelos Departamentos, de acordo com a portaria da CoCEX-CoG (recomendados pela banca e homologados pela Comissão de Graduação), foram catalogados e estão disponíveis para download no Dédalus e na Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos. Por enquanto, apenas o CAC e o Curso de Especialização Arte na Educação: Teoria e Prática enviaram seus TCCs dessa forma.

Neste vídeo, disponível no canal da Biblioteca no YouTube, explicamos o fluxo completo dos TCCs após a defesa. Divulguem para seus alunos e colegas!

Treinamentos

Você precisa de ajuda para localizar referências para sua pesquisa ou trabalho? Gostaria de conhecer as melhores fontes de informação online disponíveis? Tem dúvidas sobre normalização de trabalhos, citação e referências? Quer dicas sobre preenchimento do currículo Lattes e do ORCID? Conheça o programa de treinamentos da Biblioteca da ECA em sua versão à distância. Clique no link e escolha o assunto. Se sua dúvida não estiver no cardápio, não tem problema. Mande um e-mail para nós e pergunte!

Treinamentos

Como entrar em contato

A forma mais rápida e segura de conversar conosco é o e-mail institucional: ecabiblioteca@usp.br. Abrimos diariamente, várias vezes por dia, e geralmente respondemos no mesmo dia ou no dia seguinte. Além disso, todos os endereços de e-mail da equipe estão disponíveis na nossa página no site da ECA.

Mensagem para nossa página no Facebook ou perfil no Twitter também funcionam.

Telefones? Ainda não.

Para acompanhar as novidades

Para saber tudo sobre nossos serviços remotos e sobre a retomada do atendimento presencial, acessem nossa página no site da ECA, assinem o boletim Acontece na Biblioteca ou nos sigam nas mídias sociais. Qualquer notícia nova será postada nesses locais.


%d blogueiros gostam disto: