O cinema de Pasolini

24/04/2017

Neste post apresentamos filmes de Pier Paolo Pasolini que compõem o acervo da Biblioteca da ECA. Poeta, romancista, crítico de arte e literatura, jornalista, teatrólogo, tradutor e cineasta, Pasolini foi figura controversa que nos anos do fascismo italiano colocou-se, por meio de sua obra, numa clara oposição ideológica ao sistema e convulsionou a opinião pública com alguns de seus filmes. Sua produção leva, invariavelmente, o espectador a reflexões em torno da relação entre política e arte.

 

Decameron (1971)

Traz contos do Decameron, de Bocaccio, descrevendo, em forma de sátira, a vida em Nápoles, na época do Renascimento.

 

Teorema (1968)

Um estranho chega à casa de uma família burguesa e seduz todos os moradores, a empregada, o filho, a mãe, a filha e finalmente o pai. Quando subitamente vai embora, as vidas de todos com quem se envolveu estão profundamente afetadas e ninguém consegue continuar vivendo da mesma forma.

 

O evangelho segundo São Mateus (1964)
A história de Jesus Cristo, do nascimento à ressurreição, na versão do Evangelho de São Mateus. Assim como Jesus conquistou uma legião de seguidores também teve muitos inimigos

 

Accattone: desajuste social (1961)

Accattone vive na periferia de Roma e sobrevive como cafetão de sua mulher. Quando ela é presa, não consegue o suficiente para matar a própria fome. Um dia conhece a ingênua Stella e tenta convencê-la a prostituir-se, mas um fim trágico vai se delineando e a história segue por outros rumos.

Imagem de Accattone

Medea (1969)

Jasão sai do exílio e parte para Iolco reclamar ao tio o trono que havia sido usurpado de seu pai. O rei concorda com a exigência de Jasão com a condição de que ele traga ao reino o Velocino de Ouro. Jasão aceita o desafio e com um grupo de homens, os argonautas, parte em direção a Cólquida para conquistar o Velocino de Ouro. Ao chegar em seu destino, conhece Medéia, uma feiticeira e filha do rei de Cólquida. Ela se apaixona por Jasão e o ajuda a roubar o velocino. Quando o grupo foge para Iolco, Medéia os acompanha, levando seu irmão que é assassinado e esquartejado pelo caminho para distrair os perseguidores. Anos depois, já como rei e pai de três filhos de Medéia, Jasão se apaixona pela filha do rei Creonte e abandona sua mulher, que para se vingar, mata os três filhos e envia para a rival um manto que se incendeia, matando-a.

 

Os contos de Canterbury (1972)

Na Idade Média, o escritor Geoffrey Chaucer ouve e anota várias histórias, engraçadas e eróticas, contadas por peregrinos que se dirigem à catedral de Canterbury. Prazer, alegria, a celebração do sexo e do corpo e de suas satisfações imediatas permeiam as histórias destes peregrinos que em sua jornada passam longas noites acordados.

 

As mil e uma noites (1974)

Um jovem se apaixona pela escrava que o escolheu como mestre, mas ela é raptada e ele parte a sua procura. Em meio a sua longa busca, irá se deparar com muitos outros personagens envolvidos em uma trama de traições, cobiças e desejos.

 

Mamma Roma (1962)

Mamma Roma é uma prostituta de meia-idade que deseja mudar de vida e de classe social, para assim voltar a viver com o filho Ettore, o qual não se interessa por estudos ou trabalho e leva uma vida em meio a arruaças com os amigos. O passado, entretanto, bate à porta de Mamma e passa a atormentá-la, mostrando que um recomeço pode ser inalcançável.

 

Édipo Rei (1967)

Édipo, quando nasce, é abandonado para morrer, mas um pastor o salva e entrega aos reis de Corinto, que o consideram um presente dos deuses. Já na juventude, é levado a questionar sua origem e decide consultar o Oráculo de Delfos, que lhe revela seu destino “inevitável”: matar o pai e se deitar com a mãe. Sem rumo, caminha, angustiado, por uma estrada, até se deparar com o rei Laio, com o qual se desentende e o mata. Chegando em Tebas, encontra uma cidade em ruínas devido à maldição da Esfinge. Édipo, derrotando-a, torna-se o herói local e casa com a rainha Jocasta.Entretanto, com o tempo, a população começa a adoecer, o caos se instala e todos imploram que Édipo os salve mais uma vez. Consultado o Oráculo, é revelado que o mal está entre eles: o assassino do rei Laio. Começa a busca pelo mal-feitor, até que o cego Tirésias o adverte que ele é a própria causa de tudo. A princípio indignado, é obrigado a investigar e descobre que o seu destino se havia cumprido. Jocasta, desesperada, se enforca e Édipo fere os próprios olhos, não querendo mais enxergar sua realidade no exato momento em que a descobre.

 

Gaviões e passarinhos (1966)

Pai e filho, ambos trabalhadores proletários, empreendem uma viagem, acompanhados e orientados por um corvo falastrão.  A jornada é marcada por discussões que debatem a ideologia do socialismo

Imagem de Gaviões e passarinhos

Lembre-se que os filmes podem ser assistidos nas cabines individuais da Biblioteca e, a partir de 2 pessoas, também é possível utilizar a sala de vídeo. Aqueles que possuem vínculo com a USP também podem levar o material para assistir em casa.

Algumas referências sobre Pasolini:

DIÁLOGO com Pasolini. São Paulo : Nova Stella : Instituto Italiano di Cultura : EDUSP, 1986. 791.430945 P283d e.1 a 3

LAHUD, Michel. A vida clara: linguagens e realidade segundo Pasolini. Campinas: : Editora da Unicamp; São Paulo: Companhia das Letras, Campinas, SP : Editora da Unicamp, 1993 São Paulo, SP : Companhia das Letras. .

NAZÁRIO, Luiz. Pier Paolo Pasolini. São Paulo : Brasiliense, 1986. 791.430945 P283n e.1 e 2

 


Partituras no Dédalus

17/04/2017

O catálogo de partituras da Biblioteca da ECA foi migrado para o Banco de Dados Bibliográficos da USP – Dédalus, após mais de vinte anos de espera pelo início do processo e dois anos de trabalho do Departamento Técnico do SIBi e das bibliotecárias da ECA no planejamento e execução.

Um pouco dessa história já foi contado no trabalho Catalogação de partituras na Biblioteca da ECA, apresentado ao Seminário Internacional de Bibliotecas Universitárias. Felizmente, os problemas relatados nesse trabalho já foram ou estão sendo solucionados.

Agora, finalmente, o usuário pode buscar partituras e livros no mesmo local, sem necessidade de mudar de sistema, além de fazer renovações e reservas pelo Dédalus.

Ainda há muitos acertos a serem feitos, tanto por nós quanto pela equipe do DT-SIBi:

ajustes no formato de exibição das partituras (pontuação e outros detalhes)

aperfeiçoamento na busca por meio de expressão

acertar maiúsculas e minúsculas nos títulos (os registros mais antigos da base eram digitados em caps lock e a conversão automática não resolve tudo)

inserir novamente parte dos links para a primeira página digitalizada das partituras (havia links quebrados na base, que foram excluídos antes da migração definitiva)

colar etiquetas de código de barras nas  partituras e inserir o código nos registros do Dédalus.

Essa última atividade vai demandar muito tempo para ser concluída, devido ao tamanho do acervo: 12.666 volumes. Por esse motivo, inicialmente o usuário que solicitar o empréstimo precisará aguardar um pouco antes de levar o material. A demora vai depender da quantidade de itens a serem emprestados, mas não deve passar de alguns minutos.

A busca de partituras no Dédalus pode ser feita pelos mesmos elementos da base Acorde, ainda disponível no site da Biblioteca: compositor, título, título original, número de opus, meio de expressão, “assunto” (gênero e forma), casa publicadora, editor e arranjador. Quem desejar localizar apenas partituras, deve usar o filtro “Tipo de material”, no canto inferior esquerdo da tela do Dédalus.

E aguardem, em breve, mais novidades. Está sendo preparada, pela Divisão de Gestão de Tratamento da Informação do DT-SIBi , uma nova interface de busca específica para o acervo de partituras.

 

 

 

 

 


Fontes de informação em arte

10/04/2017

Estudantes de artes visuais têm à sua disposição, na Biblioteca da ECA, um excelente acervo de livros e revistas acadêmicas, impressas e online. Alguns títulos:

Afterimage
Art in America
Artforum
Artnews
British Journal of Aesthetics
Coloquio Artes
Connaissance des Arts
Critique d’Art
D’Ars
Flash Art
GAM
Gazette des Beaux-Arts
Humboldt
IDEA
Leonardo
October
L’Oeil
Parkett
La Revue de la Céramique et du Verre
La Revue du Louvre
Word and Image

Em nosso acervo de documentos impressos temos catálogos de exposições de arte (cerca de 3000 já catalogados) e catalogues raisonés (15 títulos), publicações fundamentais para o pesquisador da área.

O acervo de obras de referência, formado por dicionários, enciclopédia e outras obras de consulta rápida, não deve ser esquecido. Temos obras importantes (e até raras) como:

Dictionnaire des peintres, sculpteurs et graveurs, de E. Bénézit

Dicionário crítico da pintura no Brasil, de José Roberto Teixeira Leite

Dicionário de artistas e artífices dos séculos XVII e XIX em Minas Gerais, de Judith Martins

The dictionary of art, editado por Jane Turner

Dicionário histórico-fotográfico brasileiro, de Boris Kossoy.

Além desses recursos, a USP também assina bases de dados internacionais de revistas acadêmicas, por meio das quais é possível localizar artigos por assunto, autor, título, data etc. Para a área de artes, a mais completa é a base Art Full Text, que já apresentamos em outro post deste blog:

https://bibliotecadaeca.wordpress.com/2013/05/27/art-full-text/

Outras bases de dados que são boas fontes de informação na área de arte são:

JStorhttps://bibliotecadaeca.wordpress.com/2015/09/28/jstor/
Musehttps://bibliotecadaeca.wordpress.com/2016/10/31/project-muse/

Essas bases, como não são de acesso aberto, podem ser consultadas apenas nos computadores da USP ou para usuários USP conectados à rede VPN. O link para todas as bases disponíveis está na página do SIBiUSP:

http://www.sibi.usp.br/bases-dados/

Também existem ótimas fontes de informação em acesso aberto, ao alcance de qualquer cidadão com acesso à internet.

Europeana Art
Biblioteca digital que reúne textos, imagens, vídeos e arquivos sonoros de importantes coleções europeias, incluindo bibliotecas e cinematecas nacionais, acervos de universidades, museus, arquivos e bibliotecas públicas. Tem funcionalidades interessantes, como a busca de imagens por cor.
http://www.europeana.eu/portal/pt/collections/art

The Getty
Organização dedicada às artes visuais, mantém em seu portal uma vasta biblioteca contendo imagens e textos, incluindo material sobre conservação de obras de arte do Getty Conservation Institute. Algumas publicações da própria instituição estão acessíveis para leitura online, outras podem ser compradas pelo site.
http://www.getty.edu/

The Art Genome Project
Sistema de classificação da base de dados de imagens Artsy. Navegando pelas categorias do sistema é possível encontrar imagens de obras de arte de vários artistas e explorar conceitos relacionados. A partir da categoria Art Nouveau, por exemplo, chegamos às obras de Alphonse Mucha, Josef Hoffmann, Archibald Knox, Louis Majorelle, Hector Guimard, Alexandre Bigot, Georges Hoentschel, Galileo Chini, Émile Decoeur, Alfred Daguet e às categorias relacionadas: Simbolismo, Japonismo, Vienna Secession etc.

https://www.artsy.net/categories

Art & Architecture Thesaurus (AAT)

O pesquisador que precisar tirar dúvidas ou explorar melhor os conceitos da área de artes conta com uma ótima ferramenta. No AAT é possivel buscar um conceito, encontrar sua definição, descobrir qual é termo mais adequado para representá-lo e encontrar os conceitos relacionados. Na imagem abaixo vejam o resultado da busca para o termo “tondo”.

http://www.getty.edu/research/tools/vocabularies/aat/

Pearltrees

É uma ferramenta para compartilhamento de links, onde se pode encontrar muitas sugestões de fontes de informação artística. Faça uma busca e descubra coleções de links coletados e organizados por usuários da rede. A partir de uma coleção qualquer, clique no link em forma de círculo para descobrir coleções semelhantes.

No perfil da Biblioteca da ECA reunimos uma coleção de links de bibliotecas digitais de imagens de arte.

http://www.pearltrees.com/bibliotecadaeca


De onde vêm os livros: doações de editoras

03/04/2017

A notícia do fechamento da editora Cosac Naify no final de 2015 pegou todo mundo de surpresa e deixou perturbados leitores e apreciadores de edições bem feitas. No ano seguinte veio a notícia de que o títulos em estoque seriam destruídos. O que aparentemente é uma prática comum no meio editorial, também causou espanto.

Felizmente o final tem sido um pouco diferente do que estava no roteiro. Algumas instituições conseguiram doações generosas, como o MIS (Museu da Imagem e do Som), que fechou uma parceria com a editora e conseguiu uma doação de mais de 9 mil livros. A Amazon comprou o acervo remanescente.

Também a Biblioteca da ECA, graças a iniciativa da professora Sonia Salztein, recebeu uma doação importante, foram 170 títulos (mais de 450 exemplares) de livros importantes para nosso acervo. São títulos de artes, cinema, teatro, fotografia, pintura, livros de professores da ECA etc.

Alguns dos títulos nós já tínhamos no acervo, mas como fazem parte de bibliografias de cursos da graduação e pós-graduação é importante ter mais de um exemplar. A maioria, entretanto, é formada por textos inéditos em nosso catálogo.

Outra doação recém-chegada veio do Instituto Moreira Salles e trouxe principalmente livros de arte e fotografia. Esta chegou por iniciativa do professor João Luiz Musa, também do departamento de artes plásticas.

Os livros ainda estão sendo catalogados, mas já podem ser consultados.

Para uma lista das obras doadas, acesse os links abaixo:

Cosac Naify: https://bibliotecadaeca.libib.com/i/doacoes-da-cosac-naify

Instituto Moreira Salles: https://bibliotecadaeca.libib.com/i/doacoes-instituto-moreira-salles

 

 


De onde vêm os livros: aquisição por meio do processo de pregão

27/03/2017

O acervo da Biblioteca é atualizado de maneira dinâmica, seja por meio de doações ou processos de compra. Neste ano que se inicia a Biblioteca encaminhou ao SIBi-USP o pedido de livros a serem adquiridos por meio do processo de pregão. Isso significa, dentre outras coisas, que não é possível para nós comprar livros de maneira isolada e pontual. A compra é um processo centralizado, que se dá para toda a USP e ocorre em determinado período, logo há um espaço de tempo considerável entre o momento em que o pedido é feito e sua compra.

Quer conhecer quais os critérios para a formação desta lista com os pedidos de livros? Vamos fazer um sobrevoo pelo processo!

foto: Rick Leche – Photography

Antes de mais nada, é importante dizer que nos últimos anos houve diminuição dos recursos destinados à aquisição de livros,  enquanto as solicitações de compra continuaram sendo enviadas à Biblioteca. Com isso, o processo de seleção dos itens a serem adquiridos ficou ainda mais minucioso.

A Biblioteca recebeu R$ 41.589,00 para utilizar na compra de livros nacionais e internacionais impressos. A partir deste valor deu-se o processo de seleção de itens dentre uma demanda acumulada de vários anos.

Dentre as indicações feitas à Biblioteca, foram incluídas aquelas provenientes de docentes e funcionários da Biblioteca, que totalizou 1107 itens. Destes, 735 eram livros internacionais; 372, nacionais. Desta vez, infelizmente, não foi possível atender aos alunos, como sempre fizemos.

A partir disso iniciou-se um processo de seleção que comportou: verificação da existência de exemplares em número suficiente no acervo, considerando-se também edições e idiomas existentes e solicitados; exclusão de pedidos em duplicidade; exclusão de itens que podem ser adquiridos por meio de doação; exclusão de itens esgotados.

Após esta fase, chegamos ao total de 231 publicações nacionais encaminhadas para o processo de pregão.

De outro lado, foi preciso realizar mais filtros para a seleção dos títulos internacionais, pois os pedidos excediam em grande medida o valor disponível: a demanda de livros internacionais foi de US$39.171.72 – 570 itens – , mas a verba disponível era US$ 6.900,00.

Desse modo, eliminaram-se itens com preços muito elevados e que haviam sido indicados por docentes que tiveram grande número de solicitações incluídas na lista; itens da bibliografia básica somente foram excluídos em casos de preço muito elevado; a temática das obras foi considerada no momento da seleção, assim os pedidos que traziam várias obras de um mesmo assunto foram observados com minúcia tendo em vista a seleção. Após esta fase, chegamos a indicação de 167 obras internacionais para o pregão, quantidade que se enquadrava no valor disponível para compra.

Depois deste processo a lista de itens foi enviada para o pregão, mas é provável que alguns pedidos não sejam atendidos, já que alguns itens podem estar esgotados no momento da compra. Os pedidos que não forem atendidos neste processo permanecerão na lista de aquisição para compras futuras.

foto: Heidi Elliott

Ao fim de todo este processo, livros novos irão compor o acervo! É um trabalho minucioso, realizado pela Seção de Aquisição da Biblioteca. Nem toda a demanda pode ser atendida e os critérios de seleção precisam ser rigorosos, tendo em vista a formação de um acervo pertinente à nossa Escola.

Consideramos muito positivo o fato de termos grande demanda a ser atendida. Isso significa que nossos professores e alunos estão conscientes da importância de ter um bom acervo e empenhados nessa tarefa. Agradecemos a quem nos enviou sugestões e lamentamos não poder, neste momento, atender a todos.


O fim da reforma

20/03/2017

Falta pouco para nosso espaço ficar pronto. A gente nunca sabe quando uma reforma vai terminar, mas tudo indica que estamos na reta final.

O que falta?

Mudar a porta de entrada para o saguão do prédio central da Escola. A porta de vidro já foi colocada e por ela já se pode ver a Biblioteca, mas ainda não se pode entrar por lá.

A nova entrada, quase pronta

Estamos aguardando a finalização das instalações elétricas e a conclusão das obras na sala onde ficava a copiadora Multiofício (do Fernando) e nossa antiga sala de estudos em grupo. Nesse espaço será instalada a sala dos bibliotecários de referência e alguns outros serviços e equipamentos.

Futura sala dos bibliotecários

O empréstimos de todos os materiais, tanto impressos quanto audiovisuais, será feito no mesmo local, logo na entrada. O acervo de DVDs, partituras e CDs já foi transferido para seu novo espaço. Vamos comprar mobiliário novo para o espaço ficar mais bonito e funcional mas, enquanto o novo não chega, vamos nos virando com os velhinhos mesmo.

Balcão (velhinho) para empréstimo de todos os materiais

No espaço onde hoje está a porta de entrada, faremos três salas de estudos em grupo. Uma delas para uso coletivo, as outras duas para grupos de até quatro pessoas. Será preciso consertar o piso, colocar divisórias de vidro, tomadas e pontos de rede.

Atual entrada da biblioteca, onde serão instaladas salas de estudos em grupo

Atual entrada da biblioteca, onde serão instaladas salas de estudos em grupo

A sinalização e comunicação visual precisa ser refeita. Estamos preparando, com nossos próprios recursos, o básico: sinalização das estantes e placas para indicar os grandes blocos de acervo: livros, revistas e teses. O ideal, porém, é contratar os serviços de uma empresa especializada, que faça um projeto profissional e adequado às nossas necessidades. Estamos trabalhando nisso, mas por enquanto vamos nos virando com nossa própria criatividade.

As más notícias

Logo no início da mudança do acervo, foi descoberto que uma parte do nosso piso está cedendo. Em função disso, tivemos que mudar todo o leiaute planejado, pois o “buraco” se localiza justamente no espaço onde iríamos instalar pesadas estantes deslizantes.

Não era possível interromper as obras em andamento para reforçar o piso, trabalho que requer um outro projeto. Isso significa que, em algum momento, teremos outra obra na Biblioteca. Não temos, até o momento, previsão de quando isso ocorrerá.

As boas notícias

É possível que, em breve, a Biblioteca consiga ampliar um pouco mais seu espaço. Aguardem novidades!


São Paulo em filmes

13/03/2017

Com a dura poesia concreta de suas esquinas e a deselegância discreta de suas meninas, a cidade de São Paulo revela-se  nesta seleção que traz traços de sua geografia e arquitetura, desigualdade socioeconômica, riqueza cultural entre tantos outros elementos. Ora palco das ações, ora protagonista, a cidade é o foco nesta seleção de filmes  que fizemos para vocês.

Cena do filme Linha de passe de Daniela Thomas e Walter Salles

Confira aqui a lista de filmes do acervo e aproveite!


%d blogueiros gostam disto: