Filmes franceses na Biblioteca da ECA

27/07/2015

Neste post apresentamos algumas sugestões de filmes franceses do acervo da Biblioteca.

Mon oncle (Meu tio). Direção de Jacques Tati. 1958

Comédia em que Hulot visita a irmã e o cunhado, um industrial novo-rico que, para ostentar seu status, adquire uma casa ultramoderna, com decoração futurista, desconfortável e ridícula. O sobrinho de Hulot sente mais simpatia pelo tio desajeitado e simples do que por seus pais. A partir dessa relação, Tati mostra uma série de conflitos de valores.

Localização: VC0022; VC0252; DVD0724; XDVD0185

Belle de jour (A bela da tarde). Direção de Luis Buñuel. 1967

Conta a história de Séverine (Catherine Deneuve), jovem e rica, que convive na superficial linha tênue que separa o amor da realização sexual. Pierre, seu marido, não encontra espaço para entender, em sua razão ou emoção, o intrincado dilema de sua jovem e bela esposa. Séverine procura, então, um discreto bordel, em que passa suas tardes como a prostituta Belle de Jour.

Localização: DVD3251 e XDVD76

Delicatessen (Delicatessen). Direção de Jean-Pierre Jeunet. 1990

Em futuro indefinido, numa cidade à beira do colapso, comida é artigo de luxo. Atendendo a um anúncio, ex-artista de circo torna-se pau pra toda obra em uma casa de cômodos administrada por um açougueiro. Seus moradores têm costumes estranhos, e as noites guardam segredos terríveis, inclusive nos esgotos subterrâneos, habitados por grupo terrorista.

Localização:        VC0532; XDVD0682

Cena do filme Delicatessen

Cena do filme Delicatessen

 

Peau d´âne (Pele de Asno). Direção de Jacques Demy.1970

Baseado em conto de Charles Perrault, “Pele de asno” leva o telespectador para as primeiras versões dos contos de fadas, com um enredo marcado pelo tema “incesto”. Era uma vez, em um reino próspero e distante, um rei que vivia com sua esposa e sua filha, a princesa. A felicidade da família é interrompida pela morte da rainha que, antes de morrer, pede que o rei jure que apenas irá se casar com uma mulher mais bela que ela. Em sua procura, o rei descobre que só há uma mulher que atende ao requisito: sua própria filha, a princesa. Confusa com o pedido de casamento feito pelo próprio pai, a princesa pede ajuda a sua fada madrinha, que sugere que ela faça exigências ao rei, com o intuito de adiar cada vez mais o casamento. Em meio às dúvidas com relação ao amor que sente pelo próprio pai, a princesa acaba fugindo do reino escondida sob uma pele de asno, passando a viver de forma simples em uma cabana. Até que, um dia, um príncipe nota sua beleza. A partir dai, o enredo desenrola-se para que vivam felizes até morrerem.

Localização:       DVD1659

Le mépris (O desprezo). Direção de Jean-Luc Godard. 1963

Drama baseado na obra homônima de Alberto Moravia. O cineasta alemão Fritz Lang filma em Cinecittà, Itália, uma adaptação de Odisséia de Homero, para um produtor americano. O roteirista francês Paul Javal é convidado a reescrever o roteiro e aceita por motivos econômico-financeiros, razão que o leva também a permitir que o produtor flerte com sua mulher, Camille.

Localização: VC0114; DVD1731

 

La lectrice (Uma leitora bem particular). Direção de Michel Deville. 1989

Baseado na obra de Jean Raymond, Michel Deville dirigiu “La lectrice” – “Uma leitora bem particular” – que leva o espectador às leituras vivenciadas por Constance. Ao ler o livro “La Lectrice” ela descobre que a heroína Marie, assim como ela, também gosta muito de ler. Inspirada pela personagem, Constance imagina-se na pele de Marie, que oferece seus serviços de leitora particular para aquelas pessoas que por alguma razão não o podem fazer. Apesar de estar ciente de que certas situações inesperadas poderiam acontecer, ela põe um anúncio no jornal e consegue seus primeiros clientes: o garoto Eric, que é paraplégico; uma velha viúva (quase cega) e adepta da teoria marxista; um empresário que sofre de ansiedade; uma menina de 6 anos e um juiz aposentado que gosta de Marquês de Sade. O livro e o filme misturam-se e os clientes de Constance/Marie se sentem seduzidos por ela, que estabelece um jogo que muitas vezes transcende o ato da leitura.

Localização XDVD1362 (SMM)

L’amant (O amante). Direção de Jean-Jacques Annaud. 1991

Baseado em obra de Marguerite Duras, o filme é ambientado no Vietnã da década de 1920, onde uma adolescente, filha de colonos franceses em dificuldades financeiras, envolve-se com um chinês rico e bem-sucedido, muito mais velho do que ela. Tudo começa a partir de uma carona que ele lhe oferece. A relação que surge entre os dois é alvo do forte preconceito da sociedade, que não aceita a diferença de idade existente entre eles, muito menos a de classes sociais.

Localização:        VC0606; VC1587

Cena do filme L'amant

Cena do filme L’amant

La bête (La bête). Direção de Walerian Borowczyc. 1975.

 Para assegurar a estabilidade de sua família disfuncional, Mathurin de l’Esperance é forçado a se casar com Lucy Broadhurst. Às vésperas do casamento, Lucy descobre o diário de Romilda, uma das ancestrais da família do marido. Começa, então, a reviver algumas das experiências contadas por Romilda, sonhando em ser perseguida e atacada por uma fera nos bosques, sem saber como essas histórias antigas afetariam sua vida no presente. Tradução da sinopse de David M. Brown, publicada no site Cinephilia.

Localização:        VC0640; XDVD0415

Além destes há diversos outros títulos no acervo. Para pesquisar por país de produção acesse http://www.eca.usp.br/biblioteca-bases/cena/search.htm


Filmes nacionais

13/07/2015

Elaboramos uma sugestão de filmes nacionais para aqueles que querem aproveitar o acervo da Biblioteca da ECA no mês de julho! Confira

Foto__Narradores_de_Jave

Cena do filme Narradores de Javé

Narradores de Javé (2003, Direção Eliane Caffé)

O pequeno vilarejo de Javé, no sertão nordestino, está prestes a desaparecer coberto pelas águas de uma hidrelétrica. Para impedir esse acontecimento, os habitantes decidem escrever sua história e tentar transformar o local em patrimônio histórico. Para isso eles têm que trazer de volta a Javé a única pessoa alfabetizada das redondezas, o ex-carteiro Antônio Biá, que havia sido expulso da cidade por inventar fofocas sobre os moradores e as enviado por carta para amigos e parentes. Na época, foi a maneira que ele encontrou para manter seu emprego no correio, que iria fechar devido a baixa circulação de cartas. Antônio Biá é incumbido de recuperar a história e transpor para o papel, de forma científica, as memórias dos moradores mais antigos. Uma tarefa difícil porque nem sempre os habitantes concordam sobre qual, dentre todas as versões, deverá prevalecer na memória do povoado.

Estômago (2007, Direção Marcos Jorge)

Raimundo Nonato foi para a cidade grande na esperança de ter uma vida melhor. Contratado como faxineiro em um bar, logo ele descobre que possui um talento nato para a cozinha. E é nas cozinhas deste boteco, de um restaurante italiano e de uma prisão que Nonato vive sua intrigante história e também aprende as regras da sociedade dos que devoram ou são devorados. Regras que ele usa a seu favor, denunciando para o telespectador as transformações que um meio hostil opera num ser humano, preocupado com sua sobrevivência diária.

A festa da Menina Morta (2008, Direção Matheus Nachtergaele)

Há 20 anos uma pequena população ribeirinha do alto Amazonas comemora a Festa da Menina Morta, celebração de um milagre que brota da morte de uma menina, e é atribuído a Santinho. O culto às roupas rasgadas e manchadas de sangue, pertencentes à menina, se desenrola na procissão-festa –  marcada por música, comilança e bebedeira –, que cresceu indiferente à dor do irmão da menina morta, Tadeu.

Lição de amor (1975, Direção Eduardo Escorel)

São Paulo, anos 1920. Um rico industrial contrata uma governanta alemã para dar aulas aos seus filhos. Dentre as atribuições da governanta, está ensinar os segredos do amor ao filho adolescente.

Cena do filme Terra estrangeira

Cena do filme Terra estrangeira

Terra estrangeira  (1995, Direção Walter Salles Jr, Daniela Thomas)

Anos 90. Sem perspectiva de vida num Brasil tomado pelo caos em plena era Collor, Paco (Fernando Alves Pinto) decide viajar para Portugal após a morte da mãe. Ele leva consigo um objeto contrabandeado, dando início a uma vertiginosa história policial. Em Portugal Paco encontra Alex, uma garçonete que namora Miguel – músico desempregado que sobrevive fazendo contrabando. Junto com a perda da inocência, o medo e a proximidade da morte, surge a possibilidade de redenção através do amor.

Jogo de cena (2006, Direção Eduardo Coutinho)

23 mulheres contam suas histórias para a câmera, relatando momentos cruciais em sua relação com os filhos e com os pais. Em alguns casos, o depoimento é interpretado por atrizes, algumas bastante conhecidas do público, outras não. Em outros casos, é a própria personagem que narra sua história. Algumas histórias se repetem, tornando difícil para o espectador distinguir a atriz da personagem real. Completando o quadro, uma das atrizes conta uma experiência de sua vida pessoal.

O ano em que meus pais saíram de férias (2006, Direção Cao Hamburguer)

Em 1970, Mauro, com 12 anos de idade, tem o sonho de ver o Brasil tri-campeão do mundo. Entretanto, sua vida é transformada quando o menino se vê obrigado a viver longe dos pais que, por serem militantes de esquerda, vão viver na clandestinidade e o deixam aos cuidados do avô. Porém, algo inesperado sucede com o avô, e o garoto fica sozinho. Quem acaba tomando conta dele é Shlomo, o vizinho, um velho judeu solitário. Ao retratar a trajetória de Mauro e as histórias de seus pais e seu avô, o roteiro mistura temas diversos: a grande presença de imigrantes estrangeiros em São Paulo, representada pelo bairro do Bom Retiro no ano de 1970, cenas da copa do mundo de 1970 e, ainda, a opressão e violência do momento mais intenso da ditadura militar no Brasil.

O auto da Compadecida (2000, Direção Guel Arraes)

Adaptado da obra de Ariano Suassuna, narra as aventuras dos nordestinos João Grilo e Chicó. Homens pobres e que recorrem a sua esperteza para lutar pelo pão de cada dia, enganando os moradores de um pequeno vilarejo no sertão da Paraíba.

Para conferir a disponibilidade do filme acesse o Dedalus


Anton Tchékhov no acervo da Biblioteca

02/07/2015

As férias abrem espaço para a leitura realizada simplesmente por prazer, sem compromissos com provas e trabalhos de fim de semestre.

Neste sentido, escrevemos este post com o intuito de indicar algumas obras do acervo da Biblioteca da ECA para aqueles que querem se entregar ao prazer da leitura no mês de julho.

Para compor as indicações de leitura, selecionamos obras do dramaturgo russo Anton Tchékov (1860-1904), que dedicou quase toda sua obra aos “eternos problemas da existência humana”, fazendo com que suas personagens continuem presentes e atuais na contemporaneidade.

 reading

As três irmãs: conta a história de três mulheres que moram numa cidade do interior da Rússia, acham tediosa a vida na província e sonham em voltar para Moscou, onde haviam passado uma infância feliz. Um drama sobre pessoas comuns e seus problemas aparentemente banais, mas que transformam a vida em um fardo difícil de suportar.

O cerejal: a lenta e inexorável decadência da pequena aristocracia rural russa é retratada nesta peça. Com personagens imersas na trivialidade cinzenta do cotidiano, que representam o pequeno universo particular em desagregação, no qual repercute a deterioração maior, que contamina toda a Rússia.

Tio Vânia:  o protagonista desta obra é um homem que vê a si mesmo, e é visto pelos outros, como alguém secundário. Não se casou, não tem bens, não obteve amor ou reconhecimento pelo esforço que fez para sustentar a família. Apenas duas frágeis esperanças lhe restam: o médico que planta árvores e a sobrinha que confia na salvação eterna.

A Gaivota: o personagem Treplev perscruta o futuro e nos convida a sonhar com o que se passará daqui a duzentos mil anos. À fala de Sorine, tingida de humor, ao dizer que, ”Daqui a duzentos mil anos não haverá mais nada”, Treplev replica; ”Pois então que nos seja mostrado esse nada”.

Confira nesta lista outras obras de Tchékov que fazem parte do acervo da Biblioteca. Para consultar a localização e disponibilidade dos itens, acesse o Dedalus


Web of Science

29/06/2015

Estudos com foco nos números da ciência e da informação registrada são comuns e têm sido usados até para fins para os quais não foram pensados primeiramente. Instituições de fomento à pesquisa, autores, editores e bibliotecários volta e meia precisam usá-los para nortear suas decisões, por exemplo: para qual periódico enviar um artigo, quais revistas ou bases de dados assinar, quais são as revistas nucleares em uma área, analisar a produtividade de autores, instituições e países, padrões de citação e cocitação etc.

E, quando se trata de estudos nessa seara, uma das bases de dados quase obrigatória é a Web of Science, da Thomson Reuters, que é dona também de outras marcas conhecidas no meio acadêmico: InCites, EndNote etc.

A Web of Science é uma plataforma que oferece um conjunto de bases de dados para estudo e análise de citações de milhares de artigos, publicações, autores, agências de fomentos. Hoje tem concorrentes importantes como Scopus e Google Scholar, mas por ser mais antiga, tem cobertura retrospectiva melhor que as outras duas.

web

Apesar de ser a mais antiga, a representatividade do Brasil é pequena, e a presença das áreas que interessam à ECA é acessória. Por exemplo, boa parte das revistas da ECA é referência em suas áreas no Brasil, no entanto, nenhuma delas está indexada na Web of Science.

A plataforma oferece Pesquisa básica com menu suspenso com opções para pesquisa por tópico, autor, título… Pesquisa avançada, na qual – por meio de operadores booleanos, parênteses e combinação de resultados de buscas anteriores – é possível obter resultado mais preciso; Pesquisa de referência citada, em que se busca as citações a autores, artigos, publicações etc. Alerta de citação, para saber se um artigo seu ou de outro autor está sendo citado.  Critérios de seleção rigorosos acabam atribuindo importância às revistas presentes na base.

Além disso, a Web of Science oferece o recurso de lematização automática para pesquisas por tópico e título, ou seja, variações dos termos de busca são recuperadas, mesmo que não tenham sido digitadas, por exemplo: color recupera também colour; mouse  também irá recuperar mice etc., mas, nesse caso, não coloque aspas, pois isto impedirá a recuperação dos termos lematizados.

Para saber mais sobre a Web of Science ou outra base de dados de seu interesse agende um horário com um bibliotecári@. Neste link você pode ver quais são as atividades disponíveis e marcar um horário http://www3.eca.usp.br/biblioteca/servicos/treinamentos


Novidades no acervo

22/06/2015

Recentemente a Profa. Dra. Margarida Krohling Kunsch – diretora da ECA – doou à Biblioteca livros sobre áreas afins à Escola, dentre elas: Relações Públicas, Comunicação Organizacional, Comunicação Social e Artes.

As doações, de forma geral, são essenciais, contribuindo para que a Biblioteca da ECA mantenha um acervo atualizado. Caso alguém tenha interesse em doar materiais à Biblioteca, desde que pertinentes às áreas de estudo da Escola de Comunicações e Artes, basta entrar em contato via email <ecabiblioteca@usp.br> ou vir até à Biblioteca para maiores informações.

A seguir, destaque para alguns livros doados pela diretora da ECA:

Um dos destaques são os três volumes da coleção Ciências da Comunicação no Brasil – 50 anos: histórias para contarque apresentam um panorama da evolução dos estudos em Comunicação no país, a partir da análise da obra de autores que contribuíram para o desenvolvimento da área.

20907

A obnoticia_em_redera A notícia em rede: processos e práticas de produção da notícia em rede regional de televisão, de Otavio José Klein, aborda o momento presente, com a popularização das redes sociais e sua contribuição para a democratização da informação na sociedade, enquanto, por outro lado, as redes de televisão mantêm uma centralização da produção em prejuízo das suas unidades na rede. O autor busca compreender os processos de construção da informação em rede de televisão e suas consequências para os sujeitos individuais ou coletivos que se encontram afastados dos grandes centros de produção da informação.

saraEm Exercícios da Emoção- Sara Goldman-Belz, a autora Elvira Vernaschi buscou relatar sobre vida e obra de  Sara Goldman Belz, apresentando ao leitor a própria artista repensando sua trajetória e usando a si mesma como referencial para sua criação.

rpmkt

Outro destaque fica para Relações Públicas e Marketing: convergências entre Comunicação e Administração, em que Manoel Marcondes Machado Neto incentiva as incursões de profissionais da Comunicação ao campo da Administração e vice e versa, destacando o papel das Relações Públicas como responsáveis pela maior integração possível entre as organizações e seus públicos. A obra oferece ao leitor uma ampla visão do campo da Administração e, também, analisa  os conceitos de Marketing e Relações Públicas, discorrendo sobre suas interfaces com a cibernética, a indústria cultural e a teoria geral de sistemas.

Clique aqui para ver a lista completa de títulos doados pela Profa. Dra. Margarida Krohling Kunsch.

Caso queira alguma obra que ainda não está no acervo, solicite auxílio a um bibliotecári@.


Doações da ABERJE

15/06/2015

A Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (ABERJE) doou à Biblioteca da ECA livros sobre comunicação empresarial e outros assuntos de interesse de nosso acervo.

A ABERJE é uma instituição ocupada com a comunicação empresarial, e nesse sentido, promove cursos, eventos, MBA etc. Possui um Centro de Memória e Referência com acervo físico e teses e dissertações digitais para acesso e download gratuitos.
http://www.aberje.com.br/acervo_cmr_monografias.asp

Além disso, muitos dos lançamentos editoriais brasileiros nas Relações Públicas saem de suas prensas.

O site da instituição é de consulta obrigatória para quem se interessa pela comunicação empresarial: http://www.aberje.com.br/

Alguns dos títulos que recebemos:

Amadeo Jr., Ricardo. Diagramação eficaz.

diagramacao

Amorim, Lidiane; FLORCZAK, Rosângela (org.). A comunicação nas organizações educacionais: contribuições do ECOM (Encontro de Comunicação Marista).

Araneo, Paula (comp.). El poder de la comunicación institucional II.

Bristol-Myers Squibb. Fontes abertas: indicadores Bristol-Myers Squibb de relacionamento com a imprensa.

Burson, Harold. E pluribus unun: the making of Burson-Marsteller.

burson

Branco, Hiran Castello. O papel dos meios massivos na mobilização e na comunicação de utilidade pública.

Carvalho, Alexandre et al. Reportagem na TV: como fazer, como produzir, como editar.

López Alonso, Mariana (comp.). El poder de la comunicación institucional.

Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. O teatro de Abílio Pereira de Almeida.

Jung, Milton. Jornalismo de rádio.

jornalismo

Lian, Henrique. Sinfonia Titã: semântica e retórica.

Lucas, Luciane (org.). Media training: como agregar valor ao negócio melhorando a relação com a imprensa.

Pereira Filho, Francisco Alves. 70 anos do Oscar, 1927-1997: tudo o que você sempre quis perguntar sobre o Oscar e tinha medo de perguntar.

Ramos, Paulo. A leitura dos quadrinhos.

Sant’Anna, Lourival. O destino do jornal: a Folha de S. Paulo, O Globo e O Estado de São Paulo na sociedade da informação.

Sólio, Marlene Branca. Jornalismo organizacional: produção e recepção.

Terra, Carolina Frazon. Blogs corporativos: modismo ou tendência.

blogs

Viveiros, Ricardo; Eid, Marco Antonio. O signo da verdade: assessoria de imprensa feita por jornalistas.


Acervos de partituras

08/06/2015
Bird song, foto de Ozan Hatipoglu (Flickr).

Bird song, foto de Ozan Hatipoglu (Flickr).

O acervo de partituras da Biblioteca da ECA tem mais de 20.000 peças musicais, de várias épocas e estilos. Inclui partituras editadas, manuscritos antigos e contemporâneos. Para localizar partituras, basta acessar a base de dados disponível no website da Biblioteca da ECA e buscar por título, compositor e meio de expressão.

Qualquer usuário USP pode retirar partituras por empréstimo, e a consulta local é aberta ao público em geral.

Quem não encontrar em nosso acervo a partitura que precisa tem mais opções. Uma delas é a base de dados de partituras digitalizadas Classical Scores Library, assinada pela USP para todas as bibliotecas do sistema. Nessa base é possível encontrar partituras de boas editoras que não estão em domínio público. O acesso é restrito aos computadores da Universidade e aos usuários da rede VPN.

Outra fonte importante é o International Music Score Library Project (IMSLP), uma das bases de partituras em acesso aberto mais conhecidas. Basta acessar o link:

http://imslp.org/

An old piano, foto de Vladimir Agafonkin (Flickr).

An old piano, foto de Vladimir Agafonkin (Flickr).

Existem também algumas bibliotecas digitais brasileiras de partituras, como:

Museu da Música de Mariana
http://www.mmmariana.com.br/site/pesquisabasica.asp

Biblioteca Virtual de Partituras Musicais
http://paulinyi.com/biblioteca_port.html

Funarte – Coleção Música Coral no Brasil
http://www.funarte.gov.br/projetocoral/?page_id=7

Banco de Partituras da Secretaria da Cultura do Ceará – Sistema Estadual de Bandas de Música
http://www2.secult.ce.gov.br/Recursos/Internet/Pro_Bandas/partituras_form_01.asp

SESC Partituras
http://www.sesc.com.br/sescpartituras/

Música Brasilis
http://www.musicabrasilis.org.br/

E temos ainda outras bibliotecas no Brasil que têm acervos de partituras, em papel ou digitalizadas. Alguns exemplos:

Biblioteca Nacional
http://www.bn.br/portal/  (entrar em Acervo, BN Digital).

Biblioteca Alberto Nepomuceno, da Escola de Música da UFRJ
http://www.musica.ufrj.br/index.php?option=com_content&view=article&id=92&Itemid=86

Instituto Moreira Salles
http://acervo.ims.com.br/

Unicamp – Acervo de partituras do Centro de Documentação da Música Contemporânea
http://acervus.unicamp.br/

O pesquisador Paulo Castanha, do Instituto de Artes da UNESP, realizou um levantamento bastante completo de acervos musicais brasileiros e estrangeiros, disponível no link:

http://paulocastagna.com/acervos-musicais/

E logo teremos mais. A Biblioteca da ECA está desenvolvendo, juntamente com o Comitê de Bibliotecários Catalogadores de Acervos de Música, um guia de acervos musicais que terá a forma final de um blog. Aguardem notícias desse projeto, que deverá facilitar bastante a busca por documentos musicais na web e a divulgação dessas coleções.

 

 

 

 


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 6.099 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: