Os números da Biblioteca em 2015

01/02/2016
7030777627_825006e81d_k

foto: Nathan O’Nions (Flickr)

Quem entra numa biblioteca e vê esse ambiente de tranquilidade (geralmente) e silêncio (às vezes), não imagina todo o trabalho que está por trás. Chegou a hora de mostrar pra todo mundo nossos  números espetaculares.

Atendimento

82951 pessoas entraram na Biblioteca durante o ano, ou seja, quase 7.000 por mês. É para isso que serve aquela catraca barulhenta da entrada, para contar o número de visitantes. Alguns entraram apenas para ir ao banheiro ou procurar um amigo mas, em compensação, muitos foram atendidos no balcão de entrada e não rodaram a catraca. Desse total, 6503 foram usuários da Seção de Audiovisuais.

Esse pessoal todo fez 27400 empréstimos de material, dos quais 216 foram livros que solicitamos a outras bibliotecas. Além disso, tivemos 25.158 consultas no local, das quais 1603 foram de materiais das coleções especiais de revistas e partituras.

foto: Chris: Sharing silent moments (Flickr).

foto: Chris: Sharing silent moments (Flickr).

506 pediram auxílio aos bibliotecários para localizar material, aprender a usar recursos de pesquisa, normalizar trabalhos acadêmicos etc, pessoalmente, por telefone, chat, e-mail e até pelo Facebook.

391 usaram nossas salas de áudio e vídeo para ver filmes, ouvir música, dar aulas ou fazer reuniões.

Atendemos 68 pedidos de documentos pelo Comut (2502 cópias) e fizemos 14 pedidos.

Fizemos 28 treinamentos para uso de recursos informacionais, totalizando 55 alunos atendidos. Participamos de 5 aulas na Escola, assistidas por um total de 83 alunos.

Recebemos 27 visitas orientadas para conhecer os recursos e instalações da Biblioteca (129 alunos) e 5 visitas técnicas para conhecer em detalhes determinados serviços.

Aquisição, Tratamento da Informação e Conservação

Compramos 310 itens para o acervo e recebemos em doação 1253.

Catalogamos, cadastramos no Dédalus e colocamos à disposição dos usuários 11505 itens.

Foram higienizados 671 itens, 250 passaram por conservação preventiva e 330 por pequenos reparos.

Redes Sociais

Este nosso blog continua ativo e movimentado, vejam aqui tudo o que rolou no ano.

Nossa página no Facebook já foi curtida por 3878 pessoas, até o momento. Nossas publicações atingem de 100 a 2000 pessoas, aproximadamente.

No Twitter estamos com 6213 seguidores e temos interações com o público todos os dias.

No Flickr temos 95 seguidores, e no Pinterest são 65.

 

Editado em 02.02: alterado o dado de frequência de usuário.

 

 


11 filmes para viajar pelo Brasil

26/01/2016

No Estados Unidos o road movie é considerado por muitos teóricos um gênero com características próprias. O interesse pelas estradas teria a ver com a história da sociedade norte-americana e sua ligação com rodovias e carros. Filmes como Bonnie e Clyde e Sem destino (Easy Rider), são considerados inaugurais e determinantes para os limites e características do gênero.

No Brasil também temos alguns filmes que têm a estrada como cenário e alguns deles vocês podem assistir aqui na Biblioteca da ECA ou levar emprestado para ver em casa.

bye-bye-brasil

Bye, bye, Brasil

1.Bye, bye, Brasil

(Cacá Diegues, 1979). Sucesso de público e considerado por alguns o melhor filme do diretor.

2. Noites paraguayas

(Aloysio Raulino, 1982). O diretor fez o curso de cinema na ECA. Este, ele escreve, dirige, fotografa e produz.

o caminho das nuvens

O caminho das nuvens

3. O caminho das nuvens

(Vicente Amorim, 2003). Um bike movie. Uma família parte da Paraíba para o Rio de Janeiro. Inspirado em fatos reais.

4. Cinema, aspirinas e urubus

(Marcelo Gomes, 2005). Buddy movies são filmes em que uma dupla se aventura pela estrada, tema presente em westerns e também nos road movies. No nosso exemplar, um alemão fugido da guerra e um nordestino, fugindo da miséria, se encontram no sertão.

CinemaAspirinas-e-Urubus-1

Cinema, aspirinas e urubus

5. Jorge, um brasileiro

(Paulo Thiago, 1989). Alguns dizem que o livro homônimo no qual se baseou esse filme, é nosso On the road. O livro também deu origem à série Carga pesada, exibida na tevê. Paulo Thiago tem em seu currículo outras adaptações de textos literários.

6. Mar de rosas

(Ana Carolina, 1977). Junto com Das tripas coração e Sonho de valsa, que também temos na biblioteca, faz parte da “trilogia feminina” da diretora. “Um estranho road movie em que aparece um personagem aproveitador, um casal entediado que faz de tudo para escapar à monotonia, um casal de noivos mortos no canal do mangue, etc.”

7. Tapete vermelho

(Luiz Alberto Pereira, 2005) Mais um diretor oriundo da ECA, das primeiras turmas, aliás, seu primeiro curta foi feito aqui na ECA, Monteiro Lobato. Nesse aqui, uma família passa por seis cidades do interior paulista e vem parar na capital, em busca de um cinema para assistir a um filme de Mazzaropi.

8. Hotel Atlântico

(Suzana Amaral, 2009). Mais uma ex-ecana, da primeiríssima turma. Longa baseado no livro homônimo de João Gilberto Noll.

árido movie

Árido movie

9. Árido movie

(Lírio Ferreira, 2005). A literatura de cinema diz que o sertão é nosso western. Além do sertão, o filme tematiza relações familiares, vingança etc.

10. Iracema, uma transa amazônica

(Jorge Bodanzky, Orlando Senna, 1974). Filme polêmico em seu lançamento. Uma provocação ao projeto desenvolvimentista do qual a Transamazônica era um símbolo, por conta disso foi proibido durante anos pelo governo militar. “Iracema marca também o início de um estilo cinematográfico […] ocupando uma zona limítrofe com o documentário”.

11. Central do Brasil

(Walter Salles, 1998). Além de Central do Brasil, Walter Salles tem outras incursões pelo gênero: Terra estrangeira, Diários de motocicleta e Na estrada.

As citações do texto vêm da Enciclopédia do cinema brasileiro, organizada por Fernão Ramos e  Luiz Felipe Miranda, disponível nas estantes da Biblioteca r791.430981 E56

Mais informações:

http://revistapesquisa.fapesp.br/2015/04/10/o-brasil-na-estrada/

http://www.revistas.usp.br/significacao/article/viewFile/70902/73794

http://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/51167


Filmes campeões de empréstimo em 2015

18/01/2016

No topo das listas de DVDs mais emprestados estão sempre os filmes de cineastas importantes na história do cinema, cuja obra é estudada no curso de Audiovisual, como Gláuber Rocha, Antonioni, Fassbinder, Almodovar, Fritz Lang, Eisenstein, Bergman, Tarkovsky, Hitchcock e Godard.

Vemos na lista grandes sucessos comerciais como O segredo de seus olhos, O labirinto do fauno, Guerra nas estrelas, O fabuloso destino de Amélie Poulain e Corra, Lola, corra, que podem ter seu bom desempenho ligado tanto à sua popularidade quanto ao uso em atividades acadêmicas.

De fato, a fronteira entre o interesse acadêmico e o lazer sem compromisso não é tão nítida na Biblioteca da ECA, e os cineastas estudados nas disciplinas da pós ou da graduação também podem despertar interesse de outros tipos de público.

Fahrenheit 451 e O nome da rosa provavelmente contam com alunos do curso de Biblioteconomia entre seus usuários, pelo seu tema livros, leitura e bibliotecas.

É interessante notar que vários dos títulos campeões de empréstimos fazem parte da lista de “filmes legais” que elaboramos no início do ano, com a finalidade de auxiliar os usuários que pedem indicação de um bom filme para assistir.

De qualquer forma, é uma boa lista, com variedade de temas, gêneros, épocas, países  etc, que pode atrair o interesse de muita gente.

Rassbinder, R.W. Berlin Alexanderplatz

Rocha, Gláuber. Terra em transe

Truffaut, François. Fahrenheit 451

Antonioni, Michelangelo. Blow-up

Welles, Orson. Cidadão Kane

Kubrick, Stanley. 2001, uma odisseia no espaço

Godard, Jean Luc. O desprezo1 colagem

Tati, Jacques. Meu tio

Lang, Fritz. Metrópolis

Allen, Woody. A rosa púrpura do Cairo

Jeunet, Jean Pierre. O fabuloso destino de Amélie Poulain

Tykwer, Tom. Corra, Lola, corra

Almodóvar, Pedro. Mulheres à beira de um ataque de nervos.

Araújo, Carlos. A muralha.

Almodóvar, Pedro. Tudo sobre minha mãe2 colagem

Almodóvar, Pedro. Carne trêmula.

Lean, David. Dr. Jivago

Lucas, George. Guerra nas estrelas: uma nova esperança.

Kubrick, Stanley. Laranja mecânica

Hitchcock, Alfred. Um corpo que cai.

Campanella, Juan Jose. O segredo dos seus olhos.

Cohen, Peter. Arquitetura da destruição.

Gondry, Michel. Brilho eterno de uma mente sem lembranças.3 colagem

Spielberg, Steven. A lista de Schindler.

Coppola, Francis Ford. O poderoso chefão, 2ª. Parte.

Marquand, Richard. Guerra nas estrelas: o retorno do Jedi

Eisenstein, Sergei. Outubro.

Wenders, Wim. Paris, Texas

Bergman, Ingmar. O sétimo selo.

Stevens, George. Giant.

Tarkovsky, A. Solaris.

Kieslowski, Krzysztof. A liberdade é azul.

Almodóvar, Pedro. Volver.4 colagem

Del Toro, Guillermo. O labirinto do fauno

Yang, Edward. As coisas simples da vida

Almodóvar, Pedro. Fale com ela

Herzog, Werner. Fitzcarraldo

Laitz, Steven G .The complete musician: an integrated approach to tonal theory, analysis, and listening: examples from text

Annaud, Jean-Jacques. O nome da rosa.

Hirszman, Leon. Memórias do cárcere.

 

 


Livros mais emprestados de 2015

11/01/2016

Há sempre alguns títulos que se repetem.

Há sempre livros de professores aqui da ECA.

Também sempre constam os livros indicados pelas disciplinas de graduação ou que fazem parte dos processos seletivos dos programas de pós-graduação.

Em comum, todos os livros dessa lista têm mais de um exemplar ou são títulos com mais de um volume.

A pintura: textos essenciais

P_20160105_154847

São 14 volumes, dos quais temos 10 e mais de 30 exemplares. Foram 110 empréstimos durante o ano que passou.

Gestão de marketing e comunicação: avanços e aplicações

gestão marketing

Do prof. Mitsuru Higushi Yanaze, teve 63 empréstimos. Está sempre presente nessa lista.

Para entender as linguagens documentárias

para entender

Livro das professoras Anna M.M. Cintra, Maria de Fátima G.M. Tálamo, Marilda L.G.de Lara e Nair Y. Kobashi. Temos 7 exemplares, que foram emprestados 42 vezes durante o ano que passou.

 

Hiperpublicidade

hiperpublicidade

Organizado pela professora Clotilde Perez e Ivan S. Barbosa. São dois volumes, que foram emprestados 32 vezes. Presença repetida nesta lista.

30 empréstimos
Modernidade líquida, Zygmunt Baumant.

24 empréstimos
Creatividad, comunicación y cultura, do prof. Felipe Chibáz Ortiz.

21 empréstimos
A forma difícil: ensaios sobre arte brasileira, Rodrigo Naves.

20 empréstimos
Simulacros e simulação, Jean Baudrillard.

19 empréstimos
Agências de viagens e turismo: práticas de mercado, organizado pela profª Debora Cordeiro Braga.
Área de risco, tese de doutorado de Elke Pereira Coelho Santana.
Consumidor versus propaganda, do professor Gino Giacomini Filho.

18 empréstimos
Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências, organização de Antonio Hohlfeldt, Luiz C. Martino, Vera Veiga França.
O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência, do professor Ismail Xavier.
A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a. Manuel Castells.

17 empréstimos
História geral da arte no Brasil. organizado pelo professor Walter Zanini.
Teatro de Bertolt Brecht.
Catalogação de recursos bibliográficos: AACR2R em Marc21, de Antonia Motta de C.M. Ribeiro.

16 empréstimos
Diferentes, desiguais e desconectados: mapas da interculturalidade, Néstor García Canclini.
Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia, Vilém Flusser.
Planejamento de relações públicas na comunicação integrada, da professora Margarida Kunsch.
Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot, Peter Burke.
Comunicação & produção científica: contexto, indicadores e avaliação, dos professores Dinah Población e Fernando Modesto e Geraldina Witter.
Do público para as redes: a comunicação digital e as novas formas de participação social, organizado pelo professor Massimo Di Felice.
Sobre as ruínas do museu, Douglas Crimp.

15 empréstimos
Escritos de artistas anos 60/70, organização de Glória Ferreira e Cecilia Cotrim.
A pintura da vida moderna: Paris na arte de Manet e seus seguidores, Timothy James Clark.
Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política: ensaio sobre literatura e história da cultura, Walter Benjamin.
Teoria contemporânea do cinema, organização de Fernão Pessoa Ramos.
O rosto e a máquina: o fenômeno da comunicação visto pelos ângulos humano, medial e tecnológico, do professor Ciro Marcondes Filho.


Os números de 2015

04/01/2016

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2015 deste blog.

Aqui está um resumo:

O Museu do Louvre, em Paris, é visitado todos os anos por 8.5 milhões de pessoas. Este blog foi visitado cerca de 72.000 vezes em 2015. Se fosse o Louvre, eram precisos 3 dias para todas essas pessoas o visitarem.

Clique aqui para ver o relatório completo


Dez livros de ficção de professores da ECA

21/12/2015

Você pensa que os professores da ECA apenas se dedicam à escrita acadêmica?

Alguns se aventuraram pela literatura de ficção, e produziram romances, contos, novelas. Preparamos uma lista de 10 livros para vocês conhecerem um pouco mais a produção dos professores da Escola. Todos fazem parte do acervo da Biblioteca da ECA.

1. Aquele rapaz

aquele rapaz

Do professor Jean-Claude Bernardet do curso de cinema. “É um retrato de época construído a partir de uma ótica que desliza do geral para o particular, a partir das proibições e censuras impostas pela família burguesa e das fugas, revoltas e recusas do filho que se reconhece no conceito de bastardo.”

2. Os histéricos: uma novela

histéricos

Jean-Claude Bernardet e Teixeira Coelho, ex-professor do curso de biblioteconomia, lançaram em 1993 pela Companhia das Letras esse romance epistolar.

3. Niemeyer: um romance

niemeyer

Uma biografia sobre Niemeyer que há vinte anos espera para ser escrita. Teixeira Coelho nos oferece “uma crítica à insaciabilidade moderna de biografar e ser biografado.”

4. Fliperama sem creme

fliperama

“Ser ou não ser (punk). Essa é a questão.” Do professor Teixeira Coelho.

5. Vamos ler Miroel Silveira

miroel

Seleção de contos do ex-professor do curso de artes cênicas.

6. Três mulheres de três pppês

ppp

Com edição bem cuidada da Cosac Naify e organização e posfácio do também professor da ECA, Carlos Augusto Calil, Paulo Emílio escreveu “seu livrinho de ficção […], estimulado por um concurso de contos do Paraná.” Paulo Emílio Sales Gomes foi professor do curso de audiovisual.

7. Cemitério

cemiterio

Duas obras inéditas de Paulo Emílio neste volume. Além da novela Cemitério, consta a peça Destinos.

8. Licor de amêndoas

Licor de Amêndoas

Contos do professor Victor Aquino, do departamento de relações públicas, propaganda e turismo (CRP). De um período em que o professor  assinava como Tupã Gomes Corrêa. Ainda do mesmo professor há o Cordel do CRP e e-books que podem ser baixados gratuitamente: http://goo.gl/UwVENv

9. Do tamanho do mundo

do tamanho do mundo

Da pena da professora Renata Pallottini, do curso de teatro, saíram muitos textos dramáticos, romances e poesias, muitos dos quais podem ser encontrados aqui na Biblioteca. Nesse título ela se aventura pela literatura infanto-juvenil.

10. Ataris Vort no planeta Megga: jornada para Alpha Centauri

ataris

O professor Artur Matuck, do CRP, se arrisca na ficção científica. Pela mesma coleção saíram dois outros títulos seus: Iompostioma e Kadmonvort.


Caixa de Sugestões

14/12/2015

Em 2013 decidimos reativar nossa caixa de sugestões, que estava abandonada há algum tempo.

????????????????????????????????????

Temos vários canais de interação com o usuário: chat, e-mail, telefone, Twitter e Facebook, e todos são utilizados pelo público. Mas os bibliotecários de referência consideram importante existir uma forma de comunicação simples dentro do próprio espaço da biblioteca e que possa ser feita de forma anônima, caso a pessoa não queira se identificar.

Nesses 3 anos de funcionamento da caixa recebemos 34 formulários contendo:

18 sugestões

5 reclamações sobre a Biblioteca da ECA

7 reclamações sobre serviços de outros setores da Escola

3 elogios

1 pergunta

Das reclamações sobre nossos serviço, três delas foram sobre barulho na biblioteca e duas sobre mau funcionamento de equipamentos. Os problemas de manutenção foram rapidamente solucionados. A questão do barulho é mais complicada, porque depende do espírito de colaboração e respeito mútuo de todos. Fizemos uma campanha de esclarecimento no espaço da sala de leitura e nas redes sociais e, paralelamente, buscamos reduzir o barulho produzido pelos próprios funcionários no exercício de suas atividades. Uma das medidas tomadas foi a compra de três carrinhos novos para transporte de material bem mais silenciosos do que os antigos. Sabemos que a questão não foi totalmente resolvida, mas depois dessas medidas não houve mais reclamações.

DSC_0657

Houve reclamações sobre manutenção dos banheiros e do bebedouro, que foram encaminhadas à Diretoria de Serviços Gerais da ECA, responsável pela execução de serviços de manutenção e limpeza. Os problemas foram parcialmente sanados.

Também recebemos reclamações sobre o comportamento de uma pessoa portadora de transtornos mentais que agrediu verbalmente usuários e funcionários. Essa questão, cuja solução ultrapassa os limites de atuação dos bibliotecários, está sendo analisada nas instâncias adequadas. Estamos nos mobilizando ao máximo para garantir a segurança e o sossego dos nossos usuários.

Importante: nenhuma das reclamações foi feita em termos agressivos ou inconvenientes, fato que nos deixa bastante contentes.

Das 18 sugestões recebidas, infelizmente apenas duas puderam ser implementadas: colocar uma mesa para os usuários depositarem o material consultado e disponibilizar extensões para as tomadas do salão de leitura. Entre as que não foram atendidas, apenas 3 foram respondidas negativamente, por não serem viáveis: bloquear ou restringir de alguma forma o acesso à internet nas máquinas da Biblioteca, implantar serviço de entrega por correio para usuários com deficiência e oferecer sala fechada para estudos individuais.

Outras 6 sugestões são viáveis, mas só vamos conseguir colocá-las em prática após a reforma do espaço físico. São elas: bicicletário na entrada da Biblioteca, scanner à disposição dos usuários (2 sugestões), caixa de devolução automática (2 sugestões), aumentar a quantidade de armários guarda-volumes e de tomadas nas mesas de estudo individuais. Houve ainda uma sugestão de colocar um aviso no lado de fora, ao lado da “prainha”, pedindo silêncio, mas não temos “jurisdição”sobre as áreas externas do prédio. As demais foram indicações de livros para compra, que foram encaminhadas à Seção de Aquisição para análise.

Ken Mattinson. Retired bike (Flickr).

Ken Mattinson. Retired bike (Flickr).

Observamos que há diferenças entre o tipo de interação que ocorre por meio da caixa de sugestões e dos demais canais de comunicação. Pelo nosso blog e pelas redes sociais são feitas poucas sugestões e praticamente não chegam reclamações. Tipicamente, usuários fazem perguntas e comentários sucintos, esses últimos normalmente de caráter positivo. Pelo chat, geralmente vem perguntas sobre acervo, serviços, uso dos catálogos etc, e também  questões relativas a outros serviços da USP (cursos, moradia, vestibular etc). Por e-mail também recebemos reclamações e sugestões, mas a caixinha no salão de leitura ainda está ganhando.

Detalhe divertido: além das sugestões que consideramos válidas, recebemos duas outras bastante curiosas, provavelmente feitas por crianças:

Coloquem um parquinho.

Façam eu estudar aqui! Caso contrário contarei ao meu pai! Tô esperando.

 

 

 

 

 


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 6.378 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: