Os DVDs que chegaram em 2019

16/12/2019

Um dos acervos mais queridos da Biblioteca da ECA é o de DVDs. E não sem motivos! São quase 5.500 títulos muito bem escolhidos dos mais diversos  assuntos, gêneros e épocas, a maioria disponível para empréstimo.

Neste ano que está acabando, apesar de não termos conseguido comprar nem DVDs nem livros, entraram para o acervo 183 novos itens, que recebemos em doação da FAPESP, de alunos e professores da USP e até mesmo daquele pessoal generoso que resolveu se desapegar de suas coleções particulares.

Vamos dar uma olhada no que veio?

Da vida das marionetes – Ingmar Bergman, 1980

Roleta chinesa – Rainer Werner Fassbinder, 1976

Augusto Boal e o Teatro do Oprimido – Zelito Viana, 2011

Contos das 4 estações – Eric Rohmer, 1992 a 1998

 

As coisas da vida – Claude Sautet, 1970

Dersu Uzala – Akira Kurosawa, 1975

Sem destino (Easy rider) – Dennis Hopper, 1969

Histórias extraordinárias – Federico Fellini, Louis Malle, Roger Vadim, 1968

Salve geral – Sérgio Rezende, 2009

50 anos de animação na ECA/USP – coletânea

E mais: filmes de Shohei Imamura, Woody Allen, Jean Renoir, Yasujiro Ozu, Roberto Rosselini, Jean-Luc Godard, Robert Rodriguez, Vladimir Carvalho, Luís Buñuel e outros. A lista completa está aqui:

DVD_2019

Aproveitem as férias para conhecer ou rever bons filmes. A Biblioteca da ECA só fecha durante o recesso de final de ano.

 


Corporalidades

19/02/2018

Erotismo, sexualidade, sexo, corpo foram alguns dos termos que buscamos para fazer essa seleção de filmes que adentra o universo do corpo humano, tendo como inspiração a mostra Corpo desperto, do Cinusp. Instância dos sentidos, por vezes liberto e outras interdito, descobri-lo como território do prazer pode levar tanto ao gozo como à culpa.

É por esses caminhos, do corpo como palco de experiências sensoriais, que a seleção a seguir envereda. Clique aqui para conferir.

Cena de O sabor da melancia (2005)


Filmes acessíveis

14/08/2017

Capacitismo é um termo usado para falar das discriminações a que as pessoas com deficiência estão expostas, por causa de sua condição. É também a crença de que as pessoas com deficiência não podem ser plenamente independentes, subestimando suas capacidades.

A audiodescrição e as legendas ocultas (closed caption) buscam a inclusão das pessoas com deficiência visual e auditiva no universo das obras audiovisuais de maneira independente, tornando possível a essas pessoas aproveitar de maneira mais completa filmes e séries.

Nos caso dos filmes, a audiodescrição funciona como uma banda a mais de áudio acrescentada nos espaços de silêncio do som original; são informações relevantes para o entendimento da obra, mas que estão sendo ‘ditas’ pela imagem, ambientação, expressões faciais dos personagens, leitura de créditos etc.

Veja um exemplo:

O uso da audiodescrição, é claro, não se restringe a filmes ou obras audiovisuais, também pode ser aplicado a eventos, exposições, espetáculos teatrais… No caso dos DVDs os recursos são acionados em configurações, no menu inicial.

Outro recurso disponível e mais difundido, é o closed caption, trata-se de uma legenda oculta, para pessoas com deficiência auditiva.

Ainda são experiências tímidas, principalmente a audiodescrição, que precisam ser ampliadas por meio de leis, mas aqui na Biblioteca da ECA temos alguns títulos que possuem os recursos.

Deem uma olhada na lista.

Para mais informações:

http://audiodescricao.com.br/ad/

Capacitismo: o que é, onde vive, como se reproduz?


Trabalho e trabalhadores: uma seleção de filmes

12/06/2017

Trabalhador rural, educador, médico, operário, arquiteto, ator, eletricista, biólogo, farmacêutico, publicitário e mais uma infinidade de profissões que acabam configurando-se, em certa medida, como a própria identidade dos sujeitos no mundo em que vivemos. Neste mês o destaque é para filmes do acervo que tratam, de algum modo, do universo do trabalho e dos trabalhadores, abordando diferentes aspectos ai implicados.

Cena do filme Abril despedaçado, de Walter Salles Jr.

Clique aqui para consultar a lista completa dos filmes.


Rolos de filmes

29/05/2017

Um dos acervos mais interessantes e menos conhecidos da nossa Biblioteca é a coleção de filmes em película cinematográfica. Ao contrário de filmes em vídeo e DVD que são bastante populares entre os usuários, poucos conhecem os filmes em 16mm, 35 mm e super-8 que não têm cópias em outros suportes, devido a dificuldades inerentes ao processo de projeção.

São 295 títulos, em sua maioria produções curriculares dos alunos do curso de Audiovisual da ECA dos últimos 49 anos. Alguns desses filmes foram realizados por estudantes que se tornaram nomes conhecidos no cinema brasileiro.

O filme mais antigo produzido pela ECA que consta desse acervo é Um clássico, dois em casa, nenhum jogo fora, de 1968. Dirigido por Djalma Limongi Batista e fotografado por Aloysio Raulino, tem a homossexualidade como tema. A cópia em DVD pode ser emprestada.

Foto do Banco de Conteúdos Culturais da Cinemateca Brasileira

As três mortes de Solano, de Roberto Santos, único longa-metragem produzido pela USP, é um dos destaques desse acervo. Também pode ser visto em DVD.

Foto do acervo do Banco de Conteúdos Culturais da Cinemateca Brasileira

A hora do diabo, de 1971, direção de Carlos Augusto Calil, tem no elenco a hoje famosa Sônia Braga. Disponível também em DVD.

Foto do Banco de Conteúdos Culturais da Cinemateca Brasileira

Os professores Paulo Emílio Salles Gomes e Lupe Cotrim tem papéis nos filmes O sistema do Dr. Alcatrão e do Prof. Pena e A morte da strip-teaser, respectivamente. Ambos estão disponíveis em DVD no acervo.

Lupe Cotrim (foto disponível no site do Projeto Memórias da ECA/USP: 50 anos)

Sérgio Bianchi, Suzana Amaral, Chico Botelho, Wilson de Barros, Ana Muylaert, Paulo Sacramento, Jeferson Dê, Marco Dutra e Juliana Rojas são alguns dos nomes que passaram pelo curso de Audiovisual (ou Cinema) da ECA e por aqui deixaram seus curtas de estudantes.

O cinema da ECA circula bastante por festivais nacionais e internacionais, e vive recebendo prêmios.

Além da produção da casa, temos no acervo filmes recebidos em doação, alguns deles realizados por professores ou alunos da ECA, como Viver a vida (1991), de Tata Amaral, São Paulo sinfonia e cacofonia (1994), de Jean-Claude Bernardet, e Além das estrelas (1986), de Roberto Moreira.

Não temos, infelizmente, cópias em DVD de todos os filmes, mas muitos deles já estão no IPTV, Youtube, Vimeo e Portacurtas. Os filmes  em película não podem ser vistos na Biblioteca, porque não temos sala de projeção.

Rolos de filme no depósito climatizado

O acervo está armazenado numa sala com temperatura e umidade do controladas, mas, para assegurar melhores condições de preservação, as cópias mais antigas foram depositadas na Cinemateca Brasileira.

 


O cinema de Pasolini

24/04/2017

Neste post apresentamos filmes de Pier Paolo Pasolini que compõem o acervo da Biblioteca da ECA. Poeta, romancista, crítico de arte e literatura, jornalista, teatrólogo, tradutor e cineasta, Pasolini foi figura controversa que nos anos do fascismo italiano colocou-se, por meio de sua obra, numa clara oposição ideológica ao sistema e convulsionou a opinião pública com alguns de seus filmes. Sua produção leva, invariavelmente, o espectador a reflexões em torno da relação entre política e arte.

 

Decameron (1971)

Traz contos do Decameron, de Bocaccio, descrevendo, em forma de sátira, a vida em Nápoles, na época do Renascimento.

 

Teorema (1968)

Um estranho chega à casa de uma família burguesa e seduz todos os moradores, a empregada, o filho, a mãe, a filha e finalmente o pai. Quando subitamente vai embora, as vidas de todos com quem se envolveu estão profundamente afetadas e ninguém consegue continuar vivendo da mesma forma.

 

O evangelho segundo São Mateus (1964)
A história de Jesus Cristo, do nascimento à ressurreição, na versão do Evangelho de São Mateus. Assim como Jesus conquistou uma legião de seguidores também teve muitos inimigos

 

Accattone: desajuste social (1961)

Accattone vive na periferia de Roma e sobrevive como cafetão de sua mulher. Quando ela é presa, não consegue o suficiente para matar a própria fome. Um dia conhece a ingênua Stella e tenta convencê-la a prostituir-se, mas um fim trágico vai se delineando e a história segue por outros rumos.

Imagem de Accattone

Medea (1969)

Jasão sai do exílio e parte para Iolco reclamar ao tio o trono que havia sido usurpado de seu pai. O rei concorda com a exigência de Jasão com a condição de que ele traga ao reino o Velocino de Ouro. Jasão aceita o desafio e com um grupo de homens, os argonautas, parte em direção a Cólquida para conquistar o Velocino de Ouro. Ao chegar em seu destino, conhece Medéia, uma feiticeira e filha do rei de Cólquida. Ela se apaixona por Jasão e o ajuda a roubar o velocino. Quando o grupo foge para Iolco, Medéia os acompanha, levando seu irmão que é assassinado e esquartejado pelo caminho para distrair os perseguidores. Anos depois, já como rei e pai de três filhos de Medéia, Jasão se apaixona pela filha do rei Creonte e abandona sua mulher, que para se vingar, mata os três filhos e envia para a rival um manto que se incendeia, matando-a.

 

Os contos de Canterbury (1972)

Na Idade Média, o escritor Geoffrey Chaucer ouve e anota várias histórias, engraçadas e eróticas, contadas por peregrinos que se dirigem à catedral de Canterbury. Prazer, alegria, a celebração do sexo e do corpo e de suas satisfações imediatas permeiam as histórias destes peregrinos que em sua jornada passam longas noites acordados.

 

As mil e uma noites (1974)

Um jovem se apaixona pela escrava que o escolheu como mestre, mas ela é raptada e ele parte a sua procura. Em meio a sua longa busca, irá se deparar com muitos outros personagens envolvidos em uma trama de traições, cobiças e desejos.

 

Mamma Roma (1962)

Mamma Roma é uma prostituta de meia-idade que deseja mudar de vida e de classe social, para assim voltar a viver com o filho Ettore, o qual não se interessa por estudos ou trabalho e leva uma vida em meio a arruaças com os amigos. O passado, entretanto, bate à porta de Mamma e passa a atormentá-la, mostrando que um recomeço pode ser inalcançável.

 

Édipo Rei (1967)

Édipo, quando nasce, é abandonado para morrer, mas um pastor o salva e entrega aos reis de Corinto, que o consideram um presente dos deuses. Já na juventude, é levado a questionar sua origem e decide consultar o Oráculo de Delfos, que lhe revela seu destino “inevitável”: matar o pai e se deitar com a mãe. Sem rumo, caminha, angustiado, por uma estrada, até se deparar com o rei Laio, com o qual se desentende e o mata. Chegando em Tebas, encontra uma cidade em ruínas devido à maldição da Esfinge. Édipo, derrotando-a, torna-se o herói local e casa com a rainha Jocasta.Entretanto, com o tempo, a população começa a adoecer, o caos se instala e todos imploram que Édipo os salve mais uma vez. Consultado o Oráculo, é revelado que o mal está entre eles: o assassino do rei Laio. Começa a busca pelo mal-feitor, até que o cego Tirésias o adverte que ele é a própria causa de tudo. A princípio indignado, é obrigado a investigar e descobre que o seu destino se havia cumprido. Jocasta, desesperada, se enforca e Édipo fere os próprios olhos, não querendo mais enxergar sua realidade no exato momento em que a descobre.

 

Gaviões e passarinhos (1966)

Pai e filho, ambos trabalhadores proletários, empreendem uma viagem, acompanhados e orientados por um corvo falastrão.  A jornada é marcada por discussões que debatem a ideologia do socialismo

Imagem de Gaviões e passarinhos

Lembre-se que os filmes podem ser assistidos nas cabines individuais da Biblioteca e, a partir de 2 pessoas, também é possível utilizar a sala de vídeo. Aqueles que possuem vínculo com a USP também podem levar o material para assistir em casa.

Algumas referências sobre Pasolini:

DIÁLOGO com Pasolini. São Paulo : Nova Stella : Instituto Italiano di Cultura : EDUSP, 1986. 791.430945 P283d e.1 a 3

LAHUD, Michel. A vida clara: linguagens e realidade segundo Pasolini. Campinas: : Editora da Unicamp; São Paulo: Companhia das Letras, Campinas, SP : Editora da Unicamp, 1993 São Paulo, SP : Companhia das Letras. .

NAZÁRIO, Luiz. Pier Paolo Pasolini. São Paulo : Brasiliense, 1986. 791.430945 P283n e.1 e 2

 


São Paulo em filmes

13/03/2017

Com a dura poesia concreta de suas esquinas e a deselegância discreta de suas meninas, a cidade de São Paulo revela-se  nesta seleção que traz traços de sua geografia e arquitetura, desigualdade socioeconômica, riqueza cultural entre tantos outros elementos. Ora palco das ações, ora protagonista, a cidade é o foco nesta seleção de filmes  que fizemos para vocês.

Cena do filme Linha de passe de Daniela Thomas e Walter Salles

Confira aqui a lista de filmes do acervo e aproveite!


%d blogueiros gostam disto: