Mais 10 coisas para não fazer durante a pós-graduação

Este post foi inspirado no texto 10 coisas que você não deve fazer em sua tese ou dissertacao, publicado no Blog do Pós-Graduando, de 2013, que ainda circula muito por aí. Fizemos uma versão incluindo o conceito de biblioteca, que consideramos útil para os pesquisadores.

1. NÃO PROCASTINE SUA IDA À BIBLIOTECA

O momento ideal para visitar sua biblioteca, aprender a consultar os catálogos, descobrir os recursos disponíveis, conhecer os bibliotecários e saber como eles podem ajudá-lo é no primeiro mês de aulas, antes de começar a pesquisa. Se você deixar para conhecer a biblioteca só quando seu orientador reclamar das suas referências e leituras, vai sofrer desnecessariamente. Acredite, uma das frases que os bibliotecários mais escutam é “por que eu não passei por aqui antes?”.

2. NÃO SEJA UM ILUDIDO

A ideia de que está tudo online e as bibliotecas e arquivos físicos não são mais necessários é um equívoco. Provavelmente você vai precisar de livros que só saíram em papel e que ninguém fez a gentileza de digitalizar. Dependendo da sua área de estudo, talvez tenha que consultar enormes arquivos de documentos impressos sem qualquer organização, se deslocar até outras cidades (ou países) e inalar muito poeira de papel antigo.

foto: Marino González (Flickr)

3. NÃO ECONOMIZE NA BUSCA DE ARTIGOS

Antes de ler muitos artigos, você vai precisar encontrá-los. E artigos não caem do céu, embora muitos estejam na nuvem. Lembre-se de que sua universidade provavelmente assina revistas em formato eletrônico e bases de dados para busca de artigos em milhares de títulos de periódicos, e nem sempre você vai encontrar todos esses conteúdos procurando só no Google Acadêmico. Peça informações sobre isso na sua biblioteca, mesmo que você ache que já tem tudo o que precisa. Talvez você nem precise ir pessoalmente até a biblioteca, muitas delas atendem por e-mail, telefone, chat…

 

4. NÃO TENHA MEDO DA ABNT (NEM DAS NORMAS DA APA, VANCOUVER OU CHICAGO)

Normalização não é muito simples mesmo, mas não é nenhum bicho-de-sete-cabeças. Basta entender e ter um pouco de paciência. Na maioria das bibliotecas universitárias há profissionais que podem ajudá-lo a entender isso tudo, manuais explicativos etc. Bibliotecários sabem lidar bem com essas coisas e também podem apresentá-lo aos gerenciadores de referências (Mendeley, Endnote etc), que descomplicam bastante a vida. Muitas bibliotecas até oferecessem treinamentos e aulas sobre essas ferramentas.

E sim, há várias outras normas além da ABNT, veja qual a sua instituição adota.  Atenção ao submeter artigos para revistas, veja qual é a norma adotada pela publicação.

5. NÃO SUPONHA QUE UMA INFORMAÇÃO EXISTA

Mas como ninguém escreveu nada sobre isso? Não é possível que não tenha nada na internet… Como esta biblioteca não tem esse material? Vou ter que ir até Portugal para consultar um arquivo?

Pois é, muitos pesquisadores se desesperam ao descobrir que fontes de informação, publicações ou acervos organizados que “tinham de existir” não estão acessíveis, ou custam caro ou simplesmente não existem. Ao escolher um tema de pesquisa, é importante verificar quais são os recursos informacionais disponíveis e o que será necessário para ter acesso a eles.

6. NÃO CONFIE CEGAMENTE NO QUE VOCÊ NÃO LEU

As citações de citações podem ser armadilhas que escondem e perpetuam indefinidamente erros de interpretação. Não abuse dos apuds no seu texto, procure sempre encontrar a fonte original, mesmo que dê trabalho. Os bibliotecários também podem ajudar com isso .

7. NÃO ACREDITE EM TUDO QUE SEUS COLEGAS AFIRMAM

Sim, você fez a lista de referências e a página de rosto do jeitinho que seu colega que já é doutor fez. Mas está errado. Ah, seu orientador garantiu que a biblioteca tem todos esses livros. Mas não tem, nunca teve. Para ter informações precisas sobre normalização ou disponibilidade de materiais no acervo, o mais seguro é consultar o pessoal da biblioteca. E seus catálogos.

8. NÃO ATRASE A ENTREGA DO MATERIAL DA BIBLIOTECA

Cuidado! Muitas bibliotecas cobram multas pela entrega fora do prazo, mas muitas fazem pior: aplicam suspensões de acordo com o tempo de atraso e a quantidade de itens atrasados. Você corre o risco de ficar sem acesso aos empréstimos em momentos cruciais do seu trabalho. Informe-se sobre o regulamento da sua biblioteca: prazos, quantidades, possibilidade de renovação dos empréstimos, penalidades etc. Peça uma cópia do regulamento, veja se está disponível no site ou exposto no mural.

9 . NÃO DEIXE DE INTERAGIR COM SUA BIBLIOTECA

Se você não for à biblioteca de vez em quando, se não acessar seu site ou perfis nas mídias sociais, dificilmente vai descobrir que aquele acervo importante ou aquele serviço que você precisa está lá. Fale com os bibliotecários, pergunte, mande e-mail, siga no Twitter ou Facebook (se a biblioteca tiver), telefone, insista. Não tenha receio de incomodar, responder às suas perguntas é a parte mais importante do trabalho dos bibliotecários.

10. NÃO BRIGUE COM A SUA BIBLIOTECA

Mas brigue por ela. Se falta pessoal, espaço, acervo ou atenção, reclame e reivindique. Fale com a chefia, mande carta para o diretor. Ter uma boa biblioteca é um direito seu e uma obrigação da instituição de ensino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: